Páginas

terça-feira, 8 de janeiro de 2013

Uma dura advertência à liderança

Por Thiago Ibrahim


Hoje trago para vocês um comentário sobre um livro da Bíblia que não costumo ver exposto na igreja: o livro do profeta Malaquias. A leitura mais atenciosa desse livro me fez buscar conhecer o contexto do profeta, as pessoas para quem escreveu, além de me fazer refletir muito sobre o que é ser um líder separado por Deus e a tamanha responsabilidade que decorre dessa função.

O livro de Malaquias é o último dos profetas menores. Ele é dividido em 4 capítulos e fecha o Antigo Testamento, tendo sido escrito por volta do ano 430 a.C. O profeta Malaquias foi contemporâneo de Esdras e Neemias, no período pós-exílio  na Babilônia. O profeta foi usado por Deus na condução dos israelitas da apatia religiosa ao retorno aos princípios da lei. Os temas tratados na obra são o amor de Deus, o pecado dos sacerdotes, o pecado do povo e a vinda do Senhor. O objetivo deste texto é falar sobre um tema muito relevante para os dias de hoje: o pecado dos sacerdotes.

O sacerdote, juntamente com os levitas, era o responsável pelo culto e os sacrifícios, primeiro no tabernáculo, depois no Templo de Jerusalém. De acordo com a tradição bíblica, apenas os descendentes de Arão, irmão de Moisés, poderiam ser elevados ao cargo. Era deles também a responsabilidade de colher as ofertas (e também os dízimos) do povo e distribuir de forma correta aos que necessitavam, como por exemplo, as viúvas, os órfãos e os forasteiros.

No contexto do livro de Malaquias, o pacto que Deus tinha feito com Levi havia sido quebrado pelos responsáveis por manter a nação em ordem e agora Deus chama a atenção dos líderes de Israel para que se arrependam da maneira como estavam governando o povo. Convido você, a partir daqui, a refletir comigo sobre o objetivo da função “sacerdote”; a forma como estavam exercendo a função na época de Malaquias; e a advertência feita por Deus aos líderes do povo.

No capítulo 2 Malaquias começa uma dura advertência aos sacerdotes:
"E agora esta advertência é para vocês, ó sacerdotes. Se vocês não derem ouvidos e não se dispuserem a honrar o meu nome”, diz o Senhor dos Exércitos, “lançarei maldição sobre vocês, e até amaldiçoarei as suas bênçãos. Aliás já as amaldiçoei, porque vocês não me honram de coração. “Por causa de vocês eu vou destruir a sua descendência; esfregarei na cara de vocês os excrementos dos animais oferecidos em sacrifício em suas festas e lançarei vocês fora, juntamente com os excrementos. Então vocês saberão que fui eu que lhes dei esta advertência para que a minha aliança com Levi fosse mantida". Malaquias 2:1-4
Uma dura advertência aos homens que eram responsáveis por trabalhar pela Justiça de Deus, mantendo o perfeito funcionamento da nação e que agora estavam distantes da justiça e sendo parciais em seu trato com a nação de Israel. Deus deixa claro aqui que está disposto a manter a aliança e exatamente por isso está fazendo a pesada advertência.

Nos versículo 7 e 8 Deus, por meio do profeta, fala como deve ser o procedimento do sacerdote e logo depois acusa-os de terem quebrado a aliança que o Soberano havia feito com o Levi.
"Porque os lábios do sacerdote devem guardar o conhecimento, e da sua boca todos esperam a instrução na lei, porque ele é o mensageiro do Senhor dos Exércitos. Mas vocês se desviaram do caminho e pelo seu ensino causaram a queda de muita gente; vocês quebraram a aliança de Levi”, diz o Senhor dos Exércitos". Malaquias 2:7-8
Logo em seguida Deus parte para a sentença:
"Por isso eu fiz que fossem desprezados e humilhados diante de todo o povo, porque vocês não seguem os meus caminhos, mas são parciais quando ensinam a lei" . Malaquias 2:9
Como vimos no relato bíblico, a realidade decadente da liderança religiosa e institucional do povo na época de Malaquias era tamanha a ponto de fazer com que Deus os advertisse duramente, chegando ao ponto de dizer que esfregaria excremento da própria oferta na cara deles e depois os rejeitaria tal qual se faz com o dejeto dos animais.

Com Deus não se brinca (Gl 6:7,8). Não que Deus seja um perverso que quer fazer o mal a qualquer preço, mas Ele é um Deus zeloso e que guarda sua aliança, como fez com Levi e tantos outros. Lembre-se de que Ele é o Soberano e tem tudo sob seu domínio, tanto na Terra como no Céu. Aqui fica o alerta para que não quebremos o pacto com o nosso Deus, sob pena sermos desprezados e humilhados diante de todo o povo, tal qual os sacerdotes em Israel. Se você tem um chamado de liderança, exerça-o com zelo e entendimento. Um ministério que agrada a Deus requer uma vida de oração e disposição pra lutar pela justiça do Reino e contra tudo que se opõe à Sã Doutrina.

A minha oração é que Deus tenha misericórdia da liderança cristã brasileira e a faça retornar ao caminho que é o evangelho puro e simples de nosso Senhor Jesus Cristo. Que todos os dias nos conscientizemos sobre qual o sentido do verdadeiro evangelho, lutando pelo Reino e Justiça de Deus.

Thiago Ibrahin

http://www.napec.org/heresias-igreja/uma-dura-advertencia-a-lideranca/#more-2167

Um comentário:

  1. Excelente texto, é muito bom saber que existem atalaias nos dias de hoje, te espero no meu blog, sou iniciante na blogosfera e gostaria de receber sua presença: convido a seguir-me.

    A Paz do Senhor,

    RCL

    ResponderExcluir