Páginas

terça-feira, 30 de junho de 2009

FAMÍLIA - PROJETO DE DEUS

Vivemos os tempos dificeis que o Espírito Santo revelou a Paulo. É com muito pesar que vejo a banalização daquilo que é sagrado, que foi instituído por Deus como o casamento, bem como a inversão dos valores até mesmo por aqueles que se dizem cristãos e servos do Deus vivo.

A família foi a primeira instituição estabelecida por Deus e, creio que como seus filhos devemos lutar com todas as nossas forças para preservá-la. Afinal, fazemos parte de uma igreja santa e a igreja é formada por famílias.

Malaquias 2: 10-17

"10 Não temos nós todos um mesmo Pai? Não nos criou um mesmo Deus? Por que agimos aleivosamente cada um contra seu irmão, profanando a aliança de nossos pais?
11 Judá tem sido desleal, e abominação se cometeu em Israel e em Jerusalém; porque Judá profanou o santuário do SENHOR, o qual ele ama, e se casou com a filha de deus estranho.
12 O SENHOR destruirá das tendas de Jacó o homem que fizer isto, o que vela, e o que responde, e o que apresenta uma oferta ao SENHOR dos Exércitos.
13 Ainda fazeis isto outra vez, cobrindo o altar do SENHOR de lágrimas, com choro e com gemidos; de sorte que ele não olha mais para a oferta, nem a aceitará com prazer da vossa mão.
14 E dizeis: Por quê? Porque o SENHOR foi testemunha entre ti e a mulher da tua mocidade, com a qual tu foste desleal, sendo ela a tua companheira, e a mulher da tua aliança.
15 E não fez ele somente um, ainda que lhe sobrava o espírito? E por que somente um? Ele buscava uma descendência para Deus. Portanto guardai-vos em vosso espírito, e ninguém seja infiel para com a mulher da sua mocidade.
16 Porque o SENHOR, o Deus de Israel diz que odeia o repúdio, e aquele que encobre a violência com a sua roupa, diz o SENHOR dos Exércitos; portanto guardai-vos em vosso espírito, e não sejais desleais.
17 Enfadais ao SENHOR com vossas palavras; e ainda dizeis: Em que o enfadamos? Nisto que dizeis: Qualquer que faz o mal passa por bom aos olhos do SENHOR, e desses é que ele se agrada, ou, onde está o Deus do juízo?”


Talvez o texto acima seja menosprezado por alguns defensores do divórcio, pelo mesmo se encontrar arraigado no Velho Testamento. Contudo, analisando o casamento à Luz da hermenêutica genuinamente bíblica, vamos entender que o casamento é uma aliança que teve a sua legitimidade no Antigo Testamento e continua no Novo Testamento sem perder a sua essência. Por ser uma aliança, que é um compromisso firmado perante Deus e a sociedade, somente a morte será capaz de quebrar esse acordo.

Jesus foi enfático quanto a posição do divórcio: “o que Deus ajuntou não o separe o homem” (Marcos 10.9).Existem três instituições que Deus estabeleceu na esfera humana; a família, a nação e a igreja. A família foi a primeira a ser criada; as outras duas dependem dela.

O casamento ou matrimônio foi criado por Deus, confirmado por Jesus; é explanado pela Bíblia e efetuado pela Igreja e pela sociedade.

O QUE É O CASAMENTO?

Segundo o ensino geral da Sagradas Escrituras, o casamento é individualmente uma escolha. Se essa não for dirigida por Deus, os conjugues poderão ter sérios problemas pelo resto da vida.

Daí, a necessidade de se esperar em Deus e orar em busca do parceiro(a) ideal, como o fizeram os santos do passado.

Do ponto de vista social, o casamento é um contrato ou uma aliança feito entre um homem e uma mulher, na presença do Senhor, da família e da sociedade.

A FAMÍLIA COMO O ALICERCE DA IGREJA DE DEUS (Ef 5.29-32).

Observamos neste texto que a família cristã aparece como destaque e a Igreja é mencionada cinco vezes e, portanto ela deve ser a escola do lar por excelência. Antes de Deus estabelecer a Igreja historicamente, Ele constituiu a família. Na realidade, a Igreja, no aspecto atual e terreno, procede do lar, ou seja: da família e sem família não há igreja.

PERIGOS QUE AMEAÇAM A FAMÍLIA E A IGREJA

a) - Casamento misto: (Ed 9.1,2 1Co 7.39. 2Co 6.14).
b) - Divórcio:

Por que o divórcio torna-se um perigo para a família e a igreja?

O Divórcio arranca os alicerces do casamento quebrando a aliança firmada por dois seres, que passaram a ser uma só carne perante o Senhor.

A bíblia não encobre nem defende erros humanos, ainda que cometidos involuntariamente.

O divórcio é condenado por Deus e também o deve ser pelos ministros do Evangelho, constituídos por Ele aqui na terra para defenderem a ortodoxia da sua Palavra (Ml 2.16).

Deus não criou o divórcio nem ordenou a sua prática (Mt. 19.3-4). Ele tem contribuído para a separação entre pais e filhos, e a destruição da personalidade humana.

O divórcio torna os filhos do casal traumatizados e desajustados moral e espiritualmente. Ele não é regra nem exceção; é transgressão.

O divórcio geralmente é uma opção por casais que estão atravessando problemas conjugais, como sendo o caminho mais fácil. Porém a determinação do Senhor aos casais problemáticos, dada por intermédio de Paulo é: “ Todavia, aos casados mando, não eu mas o Senhor, que a mulher não se aparte do marido. Se, porém, se apartar, que fique sem casar, ou que se reconcilie com o marido; e que o marido não deixe a mulher” (1Corintios 7.10,11).

Deus nunca ordenou a prática do divórcio, ao contrário; seu preceito em relação ao casal é: “O que Deus ajuntou, não o separe o homem”(Mt.19.6).

O divórcio é uma profanação (Ml 2.10,11). Repudiar o cônjuge e casar com outro não é permitido na Dispensação da Graça (1Co 7.10,11)

DEVE O CRISTÃO SE DIVORCIAR E CASAR NOVAMENTE?

Não! Apesar de ser um direito social adquirido, legislado, sancionado através de leis em vigor em quase todo o mundo inclusive no Brasil; no entanto, não devemos esquecer que a Igreja constitui um povo diferente (1Co 10.32); uma nação santa (1Pe 2.9). Suas leis não foram inspiradas por homens profanos, mas pelo próprio criador e escritas por santos de Deus (2Pe 1.21).

“Qualquer que repudiar sua mulher, não sendo por causa de prostituição e casar com outra, comete adultério; e o que casar com a repudiada, também comete adultério”(Mt.19.9).

Para um cônjuge contrair um segundo casamento, é necessário que o outro consorte esteja morto (Rm 7.2; 1Cor 7.39).

POR QUE DEUS CONDENA O DIVÓRCIO?

Por que ele é contrário ao plano que Deus estabeleceu para a família; é cruel para o cônjuge rejeitado, e injusto para os filhos (Mt 19.3). Se o divórcio se tornou maldição no tempo de Malaquias, também o é nos dias de hoje.

O casamento foi instituído por Deus, com o propósito de preservar o casal unido, consagrado e santificado. Entretanto, essas leis foram violadas pelos homens que buscam seus próprios interesses.

Nunca esqueça que o divórcio entrou no mundo pela dureza do coração dos homens, mais não pela vontade de Deus (Mt 19.8).

Nenhum comentário:

Postar um comentário