Páginas

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

O CRESCIMENTO VERTIGINOSO DAS IGREJAS EVANGÉLICAS

Pentecostais já somam dezenas de milhões de seguidores


O maior país católico do mundo é também o que mais abriga seguidores de religiões pentecostais. São mais de 24 milhões destes evangélicos - número que, apesar de não fazer frente aos presumidos 138 milhões de católicos que o Brasil possui, é quatro vezes maior do que a população de pentecostais do Estados Unidos, o lugar onde esta vertente do protestantismo cristão surgiu. O país concentra a segunda maior massa pentecostal do mundo - pouco menos de 6 milhões de seguidores - , mas ainda é o que mais tem evangélicos: 44 milhões, contra 27,6 milhões no Brasil. O crescimento vertiginoso de igrejas como Assembléia de Deus, Universal do Reino de Deus e Renascer em Cristo nos últimos dez anos indica que metade da população brasileira pode estar convertida aos cultos evangélicos dentro de cinco décadas - um tempo bastante curto quando se fala no avanço de uma religião. A leitura das reportagens de VEJA publicadas sobre o assunto na última década revela que as conseqüências desse crescimento foram muitas, do campo dos costumes à educação, da política aos esportes, das favelas aos bairros chiques, dos presídios à televisão.

O trabalho de conversão e a ação social

Uma das explicações para o fenomenal crescimento das igrejas evangélicas no Brasil reside no poder que estas seitas têm de fazer muito pela prosperidade material e social dos que se convertem à sua pregação. Num país onde a educação é uma desgraça, o costume protestante de promover a leitura cotidiana da Bíblia - e, mais que isso, de obrigar o fiel a ler os textos sagrados antes de convertê-lo - transformou-se numa verdadeira revolução. As igrejas evangélicas realizam um monumental trabalho de alfabetização de adultos e estimulam o hábito da leitura, especialmente entre a população de baixa renda. Além disso, são notáveis os esforços de recuperação de dependentes de drogas e álcool empregados pelos evangélicos. Também não existem, na maioria das seitas, dogmas que impeçam o planejamento familiar - estas religiões podem distribuir anticoncepcionais a seu rebanho. Há ainda uma sólida e ampla rede de solidariedade entre os fiéis, que garante que um ajude o outro na hora do desemprego ou da dificuldade financeira. Evangélico empresário prefere empregar irmãos de fé ou candidatos à conversão. Estas são apenas algumas saídas viáveis oferecidas pelas igrejas pentecostais a problemas que nem o governo e nem a sociedade brasileira conseguiram solucionar.



Nenhum comentário:

Postar um comentário