Páginas

quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

Ganhar almas ou fazer prosélitos; qual a nossa missão?




"O fruto do justo é árvore de vida, e o que ganha almas é sábio."  (Provérbios 11:30).

Não escolhemos seguir ao Senhor, antes Ele nos escolheu e nos nomeou para levarmos as suas boas novas e produzirmos frutos para o seu reino (João 15:16). Todo aquele que é chamado por Cristo recebe a incumbência de anunciar o evangelho e ganhar almas para o seu reino. 
É pelo conhecimento do Evangelho que as almas são libertas e por ele se descobre a justiça de Deus de fé em fé (Romanos 1:16,17). Anunciá-lo é uma responsabilidade pessoal, inegociável e intransferível. 

Paulo, o apóstolo dos gentios disse: "Porque, se anuncio o evangelho, não tenho de que me gloriar, pois me é imposta essa obrigação; e ai de mim, se não anunciar o evangelho!"  (I Coríntios 9:16). De maneira nenhuma podemos atribuir essa responsabilidade a terceiros e muito menos pagar para que outros façam isso em nosso lugar. Também não temos o direito de cobrar de quem quer que seja para levar as boas novas do reino, pois assim como de graça recebemos, também de graça devemos dar. (Mateus 10:8). 

Paulo, como bom imitador de Cristo nos dá esse exemplo: "E por isso, se o faço de boa mente, terei prêmio; mas, se de má vontade, apenas uma dispensação me é confiada. Logo, que prêmio tenho? Que, evangelizando, proponha de graça o evangelho de Cristo para não abusar do meu poder no evangelho" (1Corintios 9:17,18).

Fazer missões e ganhar almas é responsabilidade individual de cada crente salvo, pois cada um receberá do Senhor o galardão pelo que tiver feito para o Senhor (1Corintios 3:8). Porém, de nada adianta evangelizar, fazer missões e ganhar almas se não tiver o cuidado de se discipular estas. 
Falar às pessoas e convencê-las a fazerem parte de um grupo religioso ou uma denominação não é propriamente ganhar almas, mas sim fazer prosélitos. Por isso vemos as divisões e intrigas entre grupos religiosos, onde algumas denominações sequer respeitam o espaço das outras e ficam a fazer proselitismo entre os membros destas, o que nos leva a ver a real intenção destes grupos. Falam em ganhar almas, mas o objetivo principal, com raras exceções, é encontrar mantenedores para suas instituições. Jesus foi totalmente contrário a essa maneira de fazer missões. Vejam o que Ele disse ao maior grupo religioso de seu tempo: "Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! pois que percorreis o mar e a terra para fazer um prosélito; e, depois de o terdes feito, o fazeis filho do inferno duas vezes mais do que vós."  (Mateus 23:15). 

Pelas palavras do Mestre, entendemos que os fariseus também se preocupavam em ganhar almas, mas o objetivo deles era engrossar as fileiras da sua religião e não preparar as pessoas para herdarem o reino dos céus. Aqueles que eles ganhavam, impunham um pesado fardo de legalismo que nem eles mesmos podiam carregar (Mateus 23:4). Quantas igrejas, hoje, não fazem o mesmo com as almas que conquistam ao impor sobre elas tradições e dogmas que elas mesmos criaram, tirando-lhes a liberdade de servirem a Deus? A expressão de Jesus sobre "fazei filhos do inferno duas vezes mais que vós", é muito séria, pois se refere a uma forma de ensino distorcido que estas almas recebem e que, com o passar do tempo passam a defendê-los como se fosse uma verdade divina revelada. E, uma vez que estes prosélitos não são incentivados a examinarem as Escrituras (João 5:39), tornam-se presas fáceis dos lobos e escravas de um sistema religioso.

"Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; Ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém."  (Mateus 28:19,20).

Muitos conhecem a ordem imperativa do Mestre sobre levar o Evangelho e alguns até se orgulham de praticá-la, mas não na sua plenitude. Evangelizar, ganhar almas, fazer discípulos, batizar e ensinar o que Jesus ensinou é algo que precisa ser realizado em sua totalidade. Àqueles que no principio ouviram essa ordem a obedeceram praticamente ao pé da letra e a igreja teve um crescimento vertiginoso em quantidade e qualidade (Atos 2:41-47).

Almas eram ganhas e discípuladas para servirem ao reino de Deus em amor. Em obediência a ordem do Mestre, todos os que eram ganho pela Palavra eram imediatamente batizados, pois assim ordenou o Senhor (Atos 2:41; 8:13-16,33. 9:18. 10:46,47). Nenhum dos que aceitavam a Cristo eram colocados no probatório, como é feito atualmente, mas todos eram imediatamente batizados para remissão dos pecados. Havia um sério compromisso por parte dos discípulos com a ordem divina e Deus honrou essa obediência, fazendo com que a igreja caísse na graça do povo (Atos 2:47). Infelizmente vemos o inverso acontecer.

Temos o privilégio de fazermos parte da igreja do Senhor e, como tal a responsabilidade de ganhar almas e discipulá-las, ensinando aquilo que Jesus mandou ensinar, não indo além do que Ele falou. Somente dessa forma estaremos construindo uma igreja sadia, fortalecida na doutrina que foi legada pelos apóstolos e preparada para o encontro triunfal nas núvens com aquele que pelo seu sangue nos comprou (Apocalipse 12:11).

Prosélito, segundo o dicionário é a pessoa ou indivíduo que abandona suas crenças e convicções, aderindo a outra crença, religião ou doutrina. Adepto. Partidário. Simpatizante.

Não somos chamados a fazer prosélitos, mais a ganhar almas para serem libertas e servirem a Deus por amor.


Em Cristo,

Reginaldo Barbosa
Sta. Bárbara do Pará

Um comentário:

  1. Certo dia um jovem me abordou e me perguntou se eu poderia ouvi-lo alguns segundos. Urbanos assustados que somos fiquei em silêncio e parado como estava aguardando o coletivo. Meu rosto deve ter transmitido a ele paz. Ele foi rápido, evadiu-se como um tiro após me dizer: "Deus fez as mulheres atraentes foi para tormento e confusão dos homens"...:)

    ResponderExcluir