Páginas

quinta-feira, 13 de março de 2014

Deus escolhe Arão e seus filhos para o sacerdócio


"E para o nosso Deus os fizeste reis e sacerdotes; e eles reinarão sobre a terra."  (Apocalipse 5:10)

Fazemos parte de um povo que foi comprado pelo sangue de Jesus. Somos a Sua igreja. Ao adquirir-nos com seu sangue, Jesus concedeu-nos o privilégio de sermos reis e sacerdotes para Deus, seu Pai (Apocalipse 1:6). Pedro diz que fazemos parte de uma geração eleita com um sacerdócio real (1Pedro 2:9).

No antigo concerto o povo de Deus era Israel somente e a vontade do Pai era que Israel também fosse um reino sacerdotal (Êxodo 19:6). Deus tinha um projeto em fazer toda a nação de Israel um povo sacerdotal, onde todo hebreu pudesse se achegar a Deus e servi-lo de coração como é hoje com a igreja. Mas algo aconteceu que fez o Senhor mudar seus planos em relação a fazer de Israel um reino sacerdotal. Em vez de toda a nação, Deus separa apenas uma tribo – a tribo de Levi (Êxodo 32:26). Mais na frente veremos como isso se deu.

Para um melhor entendimento vamos analisar o capítulo 24 do livro do Êxodo, onde veremos Deus firmando com Israel a primeira aliança. Até aí, Israel ainda exercia o reino sacerdotal.

O ESTABELECIMENTO DA PRIMEIRA ALIANÇA (Êxodo 24:1-18).

Verso 1 e 2: Quando do momento em que Deus estabeleceu o pacto do primeiro concerto que foi feito ao pé do Monte Sinai, o Senhor pediu que Moisés, Arão, Nadabe, Abiú e setenta anciões subissem ao Monte e adorassem de longe, enquanto que somente Moisés se achegaria a Deus
Verso 3:  Moisés fala estas palavras ao povo que de pronto atende afirmando: Todas as palavras, que o SENHOR tem falado, faremos.
Verso 4:  Moisés escreve todas as palavras do Senhor, levanta de madrugada e edifica um altar ao pé do monte com doze pedras, simbolizando as doze tribos de Israel.
Verso 5:. Moisés designa alguns jovens dos filhos de Israel para oferecerem holocaustos e sacrificarem ao Senhor. Os versos 4 e 5 nos mostram que Israel, com suas doze tribos exercia o reino sacerdotal. Os jovens que sacrificaram ao Senhor pertenciam a Israel nas suas diversas tribos e não eram levitas. Mais tarde apenas os levitas poderiam sacrificar ao Senhor.
Verso 6:. Do sangue do holocausto que os jovens israelitas sacrificaram ao Senhor, Moisés pegou uma metade em bacias e a outra metade aspergiu sobre o altar
Verso 7:. Moisés toma o livro da aliança, no qual ele escreveu as palavras do Senhor e o lê ao povo que prontamente se compromete a obedecer tudo o que nele estava escrito.
Verso 8: Diante de tal compromisso, Moisés pega o sangue da bacia e esparge sobre o povo dizendo: Eis aqui o sangue da aliança que o SENHOR tem feito convosco sobre todas estas palavras. Estava assim firmada a primeira aliança, qual o povo se comprometeu a obedecer.

Até aí,  Arão e seus filhos ainda não haviam sidos separados para o sacerdócio, pois todo Israel era uma nação sacerdotal como Deus havia desejado. Moisés então sobe ao monte Sinai e ali permanece quarenta dias na presença de Deus. Os capítulos 25 a 31 relatam as ordenanças que Deus entregou a Moisés, inclusive a ordem de separar Arão e seus filhos para o sacerdócio (Cap. 28). Deus em sua onisciência sabia que Israel quebraria o concerto e seria infiel a aliança, por isso não poderia ser uma nação sacerdotal.

No capítulo 32 de Êxodo vemos Arão sucumbir aos desejos do povo, fabricando um ídolo e erigindo um altar, provocando assim o zelo do Senhor. Deus então diz a Moisés: “Vai, desce; porque o teu povo, que fizeste subir do Egito, se tem corrompido” (Êxodo 32:7). Deus já não reconhece mais Israel como seu povo. Isso nos faz refletir que quando fazemos algo que não está no agrado de Deus, não podemos dizer que somos o seu povo. Deus fica sobremaneira irado que deseja exterminar com o povo, mas Moisés suplica o favor do Senhor, lembrando as promessas feitas a Abraão, Isaque e Jacó.Então,o Senhor se arrependeu do mal que dissera que faria (Êxodo 32:14). Moisés quebra as tábuas da lei ao pé do monte mostrando aos israelitas que da mesma forma eles haviam quebrado a aliança que fizeram com Deus; destrói o bezerro de ouro e contende com Arão por permitir que tal sacrilégio acontecesse.

A TRIBO DE LEVI É ESCOLHIDA COMO TRIBO SACERDOTAL

E, vendo Moisés que o povo estava despido, porque Arão o havia deixado despir-se para vergonha entre os seus inimigos, pôs-se em pé Moisés na porta do arraial e disse: Quem é do SENHOR, venha a mim. Então se ajuntaram a ele todos os filhos de Levi” (Êxodo 32:25,26).

Diante de tal vexame, Moisés pergunta quem estaria disposto a zelar pela causa do Senhor. Apenas os filhos de Levi se prontificaram e assim, eles foram separados para exercerem o sacerdócio, pois com a quebra da aliança, Israel perdeu o privilégio de ser uma nação e um reino sacerdotal. Agora, em vez de uma nação, apenas uma tribo dentre as doze exerceria o ofício sacerdotal em Israel.

Todo sacerdote em Israel era levita, mas nem todo levita era sacerdote.

O Sacerdote: Como vimos, toda a tribo de Levi foi separada para o exercício sacerdotal, mas apenas Arão e seus descendentes assumiriam o sacerdócio e Arão foi o primeiro sumo sacerdote e seus filhos Nadabe e Abiú sacerdotes, quais Deus os matou, sendo substituídos por Eleazar e Itamar. Mesmo assim, se alguns de seus descendentes nascessem com algum defeito físico não poderiam exercer o sacerdócio (Levítico 21: 17-23). O sacerdócio de Arão estava intrinsecamente ligado à lei e seu ministério apenas apontava para Cristo, pois Jesus é sumo-sacerdote segundo a ordem de Melquisedeque (Salmo 110:4; hebreus 5;6-10; 6:20; 7:11-17). Jesus ao assumir o sacerdócio mudou a lei (Hebreus 7;12).

O ministério dos sacerdotes: Quais eram as funções de um sacerdote? Várias, entre elas, interceder pelo povo diante de Deus; oferecer dons e sacrifícios, primeiramente por si e depois pelos pecados do povo (Levítico 4:26; Hebreus 5:1; 8:3) e principalmente, conhecer e ensinar ao povo as leis de Deus e ser o exemplo para os demais. Porque os lábios do sacerdote devem guardar o conhecimento, e da sua boca devem os homens buscar a lei porque ele é o mensageiro do SENHOR dos Exércitos (Malaquias 2:7).

O sumo sacerdote: Em hebraico כהן גדול, na forma transliterada é Kohen Gadol.  Era o mais alto posto da religião de Israel, era aquele que estava acima dos demais sacerdotes. Somente ele poderia entrar no santo dos santos apenas uma vez por ano, não sem antes obedecer todas as ordenanças que o Senhor determinou cumprir para entrar nesse santo lugar (Levitico 16:1-34). Assim como os demais levitas, o sumo sacerdote não recebeu nenhuma herança na terra, pois sua herança era o próprio Deus (Deuteronômio 18:2; Ezequiel 44:28). Ninguém que não fosse levita, poderia se achegar ao santuário, fazer isso era suicídio. Por isso, todo o Israel dependia dos levitas e dos sacerdotes para oferecem sacrifícios em favor de seus pecados (hoje, todos temos livre acesso a Deus). Em retribuição, os demais israelitas dariam anualmente os dízimos de sua produção aos levitas pelo trabalho exercido no santuário (Números 18:21-28). É importante salientar que os sacerdotes com o sumo sacerdote não recebiam dízimos. Eles receberiam dos levitas os dízimos dos dízimos como ofertas alçadas, bem como as demais ofertas alçadas do povo. "Todas as ofertas alçadas das coisas santas, que os filhos de Israel oferecerem ao SENHOR, tenho dado a ti, e a teus filhos e a tuas filhas contigo, por estatuto perpétuo; aliança perpétua de sal perante o SENHOR é, para ti e para a tua descendência contigo."  (Números 18:19). Ao contrário dos levitas que só recebiam dízimos anualmente, os sacerdotes recebiam parte das ofertas que diariamente o povo levava ao tabernáculo (1Samuel 2:13,14). Erroneamente se tem ensinado que os dízimos eram dos sacerdotes, quando na verdade eram daqueles que lhes auxiliavam, quais eram os levitas e também dos órfãos, das viúvas e dos estrangeiros. Dos sacerdotes eram as primícias e as ofertas alçadas que Deus lhes estipulou como salário (aliança perpétua de sal). Quebrar esta aliança consistia em roubar a Deus como os sacerdotes filhos de Eli fizeram e os da época de Malaquias e Neemias. (Neemias 13:4-11: Malaquias 3:5-9).

A INDUMENTÁRIA DOS SACERDOTES

"E farás vestes sagradas a Arão teu irmão, para glória e ornamento...Também farás túnicas aos filhos de Arão, e far-lhes-ás cintos; também lhes farás tiaras, para glória e ornamento."  (Êxodo 28: 2;40).

Em momento algum os sacerdotes deveriam rasgar as suas vestes, pois isso se constituía em abominação ao Senhor. "E Moisés disse a Arão, e a seus filhos Eleazar e Itamar: Não descobrireis as vossas cabeças, nem RASGAREIS VOSSAS VESTES, para que não morrais, nem venha grande indignação sobre toda a congregação; mas vossos irmãos, toda a casa de Israel, lamentem este incêndio que o SENHOR acendeu."  (Levítico 10 : 6).

O único sacerdote que cometeu essa abominação foi Anás (Mateus 26:65). Com essa atitude de desrespeito para com a aliança sacerdotal, Anás demonstrou que ali estava sendo encerrado o ministério sacerdotal levítico.

Os sacerdotes ainda deveriam trajar-se de modo a glorificar o nome do Senhor. De igual modo, como sacerdotes reais nesta dispensação, não podemos estar na presença do rei com qualquer traje. Somos um povo especial e zeloso de boas obras e tudo o que há em nós deve glorificar o nome do Senhor (Salmo 103.1). Quando o Senhor chamou a Jacó e sua família à sua presença, este entendeu que não deveria comparecer na presença de Deus vestido de qualquer maneira. Jacó ordenou seus filhos se purificarem e mudarem suas vestes (Gênesis 35;2).

Urim e Tumim.
Também porás no peitoral do juízo o Urim e o Tumim, para que estejam sobre o coração de Arão, quando entrar diante do Senhor; assim Arão levará o juízo dos filhos de Israel sobre o seu coração diante do Senhor continuamente”. (Êxodo 28, 30).

Era uma placa no peito do sumo sacerdote com o nome de Deus ali gravado. A pessoa que buscasse uma resposta em questões relevantes na comunidade israelita ia até ao sumo sacerdote e fazia a perguntava. O sumo sacerdote por sua vez virava-se para a arca da aliança, e a pessoa em pé atrás do Sumo-Sacerdote em voz baixa fazia a pergunta. Cabia ao sumo sacerdote, olhar a letra que se acendia e recebia a inspiração de Deus para decifrar a resposta de Deus. Estes oráculos funcionaram até a destruição do Primeiro Templo.

MINISTROS  DE CRISTO PARA A IGREJA

Chamados por Deus. Com a mudança da lei efetuada por Cristo, aboliu-se o sacerdócio levítico. O sacerdócio que predomina hoje é o universal, onde todos os crentes são sacerdotes do altíssimo. Diferentemente dos levitas, não existe um sacerdócio específico, visto que o véu se rasgou e hoje, todos temos acesso a presença de Deus. (Hebreus 10:19). O que existe na atual dispensação são MINISTROS, que foram dados à igreja para sua edificação, como segue a ordem: "E a uns pôs Deus na igreja, primeiramente apóstolos, em segundo lugar profetas, em terceiro doutores, depois milagres, depois dons de curar, socorros, governos, variedades de línguas."  (I Coríntios 12:28) "E ele mesmo deu uns para apóstolos, e outros para profetas, e outros para evangelistas, e outros para pastores e doutores,"  (Efésios 4 : 11). É o próprio Senhor quem escolhe seus ministros e os designa a fazerem sua obra que é cuidar de seu rebanho (1Pedro 5:1-4). Faz-se necessário que todo o que aspira ao episcopado entre no curral (aprisco/obra) pela porta que é Jesus. Àqueles que sobem por outra parte, são os que não tem chamada e estes são considerados por Jesus de ladrões e salteadores (João 10:1); assassinos e destruidores (João 10:10). Em suma, todo obreiro que não tem chamada, isto é, não entra pela porta, rouba, mata e destrói a obra de Deus.

Qualificados e comprometidos com a Palavra. A bíblia é nossa regra de fé e prática. Ela é a Palavra de Deus e nela encontramos os critérios exigidos pelo Espírito Santo para aqueles que são vocacionados a exercerem o ministério (1Timóteo 3:1-13). Além destes requisitos essenciais, requer-se dos mesmos fidelidade com o trato com aquilo que pertence ao Senhor.

“Que os homens nos considerem como ministros de Cristo, e despenseiros dos mistérios de Deus.  Além disso, requer-se dos despenseiros que cada um se ache fiel” (1Corintios 4:1,2).

Paulo usa uma figura de linguagem para mostrar a responsabilidade do obreiro no trato com o rebanho do Senhor, usando a figura do despenseiro que é o mesmo que mordomo. O despenseiro na antiga aliança era um sacerdote responsável pela despensa do templo (casa do tesouro), onde se depositavam os mantimentos. Ele era o responsável em administrar essa parte, distribuindo igualmente o mantimento com seus irmãos. Na época de Malaquais e Neemias era o sumo sacerdote Eliasibe quem tinha essa responsabilidade (Neemias 13:4), mas ele foi infiel nessa responsabilidade. Neemias então o substituiu por Selemias, Zadoque, Pedaías e Hanã, pois estes foram encontrados fiéis: “E por tesoureiros pus sobre os celeiros a Selemias, o sacerdote, e a Zadoque, o escrivão e a Pedaías, dentre os levitas; e com eles Hanã, filho de Zacur, o filho de Matanias; porque foram achados fiéis; e se lhes encarregou a eles a distribuição para seus irmãos” (Neemias 13:13).

“E disse o SENHOR: Qual é, pois, o mordomo fiel e prudente, a quem o senhor pôs sobre os seus servos, para lhes dar a tempo a ração? Bem-aventurado aquele servo a quem o seu senhor, quando vier, achar fazendo assim” (Lucas 12:42,43)

O obreiro precisa ter comprometimento com a palavra, mas antes se faz necessário ter conhecimento da mesma para que possa passar um conhecimento puro e cristalino dos mistérios de Deus ao rebanho do Senhor. Paulo instruindo a Timóteo diz: "Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade."  (2Timóteo 2:15). Para poder manejar bem a Palavra é preciso ter conhecimento desta, tanto do antigo testamento como do novo, e, principalmente sabendo diferenciar o que era para Israel e o que é para a igreja. O obreiro que não procura adquirir esse conhecimento acaba por resgatar dogmas, preceitos e tradições de um concerto que foi abolido, trazendo sobre si condenação (1Corintios 11:29).

CONCLUSÃO

Aquilo que Deus desejou para Israel e não aconteceu que era fazer daquele povo uma nação sacerdotal se cumpriu em nós,  Sua igreja.  Foi preciso Deus escolher a tribo de Levi e separar Arão e seus filhos para um sacerdócio temporário, que visava atender apenas a nação de Israel. Mas este  sacerdócio foi  cheio de falhas, a começar por Nadabe e Abiú que ofereceram fogo estranho no altar de Deus e por isso Ele os matou (Números 3:4). O sacerdócio Araônico não poderia continuar na Nova Aliança, por isso, hoje, fomos constituídos pelo Senhor em uma nação real de reis e sacerdotes, como foi Melquisedeque. Aleluia!

Que não decepcionemos o Senhor, assim como Israel decepcionou-o.

Em Cristo,




Reginaldo Barbosa
Sta. Bárbara do Pará

37 comentários:

  1. MUITO BOM SEMPRRE QUIZ ENTENDER COMO URIM E TUMIM FUNCIONAVA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O direito ao sustento de quem ministra a palavra continua. O dízimo não é cerimonial.O Sacerdote levita além do dízimo do dízimo também recebia dinheiro 2Rs12:16 , Até porque o amor ao próximo é se colocar no lugar do outro. Por exemplo vc no lugar do levita tendo o seu direito de sustento gostaria de perder o seu sustento ? Neemias 13:10-11 Hoje quem ministra a palavra dentro da Igreja feita por mãos humanas tem muito + direito que TODOS OS MINISTROS LEVITAS 1Cor9:11-12 Escrevo-lhe estas coisas embora espere ir vê-lo em breve; mas, se eu demorar, saiba como as pessoas devem comportar-se na casa de Deus, que é a igreja do Deus vivo, coluna e fundamento da verdade.1 Timóteo 3:14,15 DEUS QUER QUE A SUA CASA(IGREJA) SEJA BEM SUSTENTADA E TENHA SEMPRE O SUSTENTO DE SEUS MINISTROS E DE TODOS QUE NECESSITAM. HOJE AS NECESSIDADES DENTRO DA IGREJA E FORA DELA SÃO EM ESCALA MUNDIAL E NÃO TEM NEM COMPARAÇÃO COM A IGREJA PRIMITIVA!!!

      Excluir
    2. Concordo plenamente pastor Marcelo. Mas não é todo o que se diz obreiro que deve receber o sustento da igreja. No antigo testamento só poderia exercer o sacerdócio os descendentes de Arão da tribo de Leví. Os dizimos não eram dos sacerdotes, mas daqueles que os auxiliavam que eram os demais levitas que não eram descendentes de Arão. O sacerdote recebia dinheiro sim, mas não em forma de dízimos e sim de uma oferta estabelecida em lei, que obrigatoriamente deveria ser dada por todo o hebreu que passasse pela contagem (recenseamento).

      Mas hoje, não temos levitas, nem sacerdotes e as ofertas tiveram seu cabal cumprimento em Jesus que foi a perfeita oferta. Os ministros da nova aliança que devem receber o sustento da igreja são os presbíteros. Estes devam ser homens acima de 60 anos, ,pois presbítero quer dizer ancião. A eles Deus deu autoridade para dirigir a igreja. Se alguém recebe ajuda da igreja não sendo presbítero está roubando a Deus e ao povo. Quanto aos demais, devam pregar a palavra de graça como Jesus ensinou.

      "Porque, se anuncio o evangelho, não tenho de que me gloriar, pois me é imposta essa obrigação; e ai de mim, se não anunciar o evangelho! E por isso, se o faço de boa mente, terei prêmio; mas, se de má vontade, apenas uma dispensação me é confiada. Logo, que prêmio tenho? Que, evangelizando, proponha de GRAÇA o evangelho de Cristo para não abusar do meu poder no evangelho" (1Corintios 9 : 16 - 18).

      Excluir
    3. Paulo era solteiro e ele não ensinou ninguém que ministra a abrir mão desse direito1Cor9:11-12

      Excluir
    4. Tem certeza Pastor Marcelo?

      "Se outros participam deste poder sobre vós, por que não, e mais justamente, nós? Mas nós NÃO USAMOS DESTE DIREITO; antes suportamos tudo, para não pormos impedimento algum ao evangelho de Cristo." (I Coríntios 9 : 12)

      Excluir
    5. "nós" não são os ministros casados!!!

      Excluir
    6. Kkkkkkkk!

      É incrível a manipulação das escrituras para defesa de uma grana fácil.

      "Não temos nós direito de levar conosco uma esposa crente, como também os demais apóstolos, e os irmãos do Senhor, e Cefas?" (I Coríntios 9 : 5)

      Excluir
    7. Quem controla o que chega nas suas mãos é vc.

      Excluir
    8. Vou dar um exemplo veja bem eu disse um exemplo: Estamos em pleno século XXI. Existe uma igreja que tem 1000 fiéis desses 1000 fiéis os 1000 são agropecuristas. Eles perguntam para o ministro da Igreja é mais prático receber o dízimo em dinheiro e todas as contribuições em dinheiro ou em produtos agropecuários ? É mais prático para eles e para o ministro da Igreja receber o dízimo e as contribuições em dinheiro ou em produtos agropecuários ? Como fica se todos não quiserem contribuir em dinheiro$$$ ? E como fica se todos não quiserem entregar o dízimo em dinheiro$$$ ? A não ser que a igreja tenha território bastante para colocar todos esses produtos e o ministro vende-los posteriormente para suprir as suas necessidades e as necessidades da igreja o que não seria prático. Agora se eles não quiserem dar o dízimo em dinheiro e as contribuições em dinheiro e sim em produtos agropecuários o ministro da Igreja não poderá recusar e ele terá o direito de receber e trocar por dinheiro para suprir as necessidades dele como ministro e da igreja porque todos concordaram assim.

      Excluir
    9. Pastor Marcelo,

      Vê se entende, ou pelo menos tente. Dízimo nunca foi dinheiro e nem era para custear algum tipo de despesa. As despesas relativas as necessidades do templo e do culto vinham de ofertas voluntárias e de algumas estabelecidas em lei, como aquelas dos que hebreus que fossem contados no recensseamento.Mas tudo isso acabou na cruz, onde Cristo cumpriu a lei.

      O novo testamento sob o qual eu vivo e você também deveria viver, até porque não é judeu (eu acredito que não).Esse testamento nos ensina uma maneira diferente de contribuir e com um objetivo específico que também não é cobrir despesas com templos e seus custos.

      Veja o que diz 2Corintios 9:1-13 (King James)

      1 Ora, quanto à assistência em favor dos santos, não há necessidade de que vos escreva,
      2 porquanto estou convicto da vossa total disposição, da qual me orgulho de vós diante dos macedônios, informando que a Acaia está pronta para contribuir desde o ano passado. E a vossa dedicação tem incentivado muitos outros.
      3 No entanto, estou enviando esses irmãos, com o propósito de que nosso orgulho por vós, nesse aspecto, não se torne inútil, a fim de que estejais preparados, como afirmei que de fato estariam,
      4 a fim de que, se alguns macedônios forem comigo e os encontrarem despreparados, nós, para não vos mencionar, não sejamos envergonhados por tanta confiança que depositamos em vós.
      5 Sendo assim, considerei necessário pedir a esses irmãos que vos visitassem e preparassem de antemão a vossa contribuição, que já havia sido prometida, para que esteja pronta como oferta generosa e não como algo arrancado da avareza. Semeando e colhendo fartura
      6 Lembrai-vos: “aquele que pouco semeia, igualmente, colherá pouco, mas aquele que semeia com generosidade, da mesma forma colherá com fartura”.
      7 Cada pessoa coopere conforme tiver proposto em seu coração, não com pesar ou por constrangimento, pois Deus ama o doador que contribui com alegria.
      8 Certos de que Deus é poderoso para fazer que toda a graça vos seja acrescentada, a fim de que em todas as áreas da vida, em todo o tempo, tendo todas as vossas necessidades satisfeitas, transbordeis em toda boa obra.
      9 Como está escrito: “Distribuiu, doou dos seus bens aos necessitados; a sua fidelidade será eternamente reconhecida”.
      10 Aquele que oferta a semente ao que semeia, e pão ao que tem fome, também vos suprirá e multiplicará a semente e fará desenvolver os frutos da vossa fidelidade.
      11 Sereis enriquecidos em todas as áreas de vossas vidas, a fim de que possais ser generosos em qualquer ocasião e, por nosso intermédio, a vossa boa vontade resulte em ações de graças a Deus. 12 Porquanto, ao ministrar essa assistência não apenas estais suprindo as necessidades dos santos, mas semelhantemente promovendo o transbordamento de variadas expressões de louvor e gratidão a Deus.
      13 Por intermédio dessa prova de verdadeiro serviço ministerial, muitos outros louvarão a Deus pela obediência que acompanha a vossa confissão do Evangelho de Cristo e pela generosidade do vosso coração em compartilhar vossos bens com eles e com todos os outros. 14E eles, orando em vosso favor, demonstram a profunda afeição que têm por vós, por causa da extraordinária graça de Deus que vos foi concedida. 15Graças a Deus por nos haver oferecido seu maior e mais indescritível dom!

      Excluir
  2. A sua contribuição aos santos é proporcional como Paulo ordeou ?1cor16;1-2

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Existe uma outra forma de contribuição no novo testamento que não seja destinada aos santos? Me mostre.

      Eu aguardo

      Excluir
    2. A sua contribuição em dinheiro aos santos é proporcional como Paulo ordenou ? 1cor16;1-2

      Excluir
    3. Se eu querer que vc faça exatamente igual aos cristãos primitivos faziam vc não conseguirá. E vc será cobrado por isso !!!

      Excluir
    4. Mas eu prefiro tentar fazer, do que entregar o meu suado dinheiro na mão de mercenários e negociantes da fé.

      Creio que serei menos cobrado do que muitos que fazem os que os lobos pedem.

      Excluir
    5. Vc pratica todos esses preceitos do N.T. ? 1Tess5;15-27 sim ou não ?

      Excluir
    6. O novo testamento não é legalista como a lei do antigo concerto sob as quais muitos ainda insistem em viver. Lembra que Paulo disse que nossa contribuição é de conformidade com as nossas posses e segundo o que propusermos no coração? Logo, eu faço o que está em meu alcance, e se eu puder, não havendo obrigação para isso.

      eu vivo na graça que é um favor imerecido.

      Excluir
    7. Paulo odenou contribuir proporcionalmente em dinheiro aqui 1cor16;1-2 vc pratica?

      Excluir
    8. 1Tess 5;15-27 é N.T. E É PARA SER OBEDECIDO. vc pratica ?

      Excluir
    9. Se falar que sim, você acredita?

      Mas deixa eu lhe perguntar uma coisa:

      Paulo também ensina: "E procureis viver quietos, e tratar dos vossos próprios negócios, e trabalhar com vossas próprias mãos, como já vo-lo temos mandado; Para que andeis honestamente para com os que estão de fora, e não necessiteis de coisa alguma" (1Tess 4: 111,12).

      E: "Porque vós mesmos sabeis como convém imitar-nos, pois que não nos houvemos desordenadamente entre vós, Nem de graça comemos o pão de homem algum, mas com trabalho e fadiga, trabalhando noite e dia, para não sermos pesados a nenhum de vós" (2Tess 3 ; 7 , 8).

      Você ou algum outro pastor de sua igreja obedece esse ensino? Ou vive exigindo dizimos e ofertas como manfava a lei que foi cumprida.

      Eu trabalho e ganho o meu sustento com o meu suor. E você?

      Excluir
    10. então conforme a sua confissão 1cor16;1-2 proporcional 10% aos necessitados cont...

      Excluir
    11. É CONTRA E obedece 1cor9;7-8 cont...

      Excluir
    12. alguma vez já praticou esse preceito de Jesus ? Lc14;12-14

      Excluir
    13. Errado. Alguns dos preceitos do novo testamento seguem a alguns dos princípios do antigo. Exemplo: O dizimo era dos levitas, dos órfãos, das viúvas e dos estrangeiros. A lei dizia: "Maldito aquele que perverter o direito do estrangeiro, do órfão e da viúva. E todo o povo dirá: Amém." (Deuteronômio 27 : 19). Por não obedecerem esse preceito, os contemporâneos de Malaquias foram amaldiçoados: "Com maldição sois amaldiçoados, porque a mim me roubais, sim, toda esta nação." (Malaquias 3 : 9).

      A lei foi cumprida, mas a contribuição do novo testamento segue o principio no qual o dizimo foi estabelecido que é (ou era) para atender a classe necessitada, como a igreja primitiva fez, e conforme é ensinado em todo o novo testamento. Mas não se fazem isso nas igrejas, pois os pastores embolsam alegando ser para a "obra do Senhor".

      E outra. Não existe isso de proporção de 10%. O que Paulo diz em 1Cor 16 : 1,2, ele completa em 2Cor 8 ;12: Veja:
      1Cor 16:2: "No primeiro dia da semana cada um de vós ponha de parte o que puder ajuntar, conforme a sua prosperidade",

      Agora compare 2 Cor 8:12: "Porque, se há prontidão de vontade, será aceita segundo o que qualquer tem, e não segundo o que não tem".

      Procure entender o texto dentro do seu contexto meu amigo.

      Excluir
    14. O sustento dos ministros é oriundo do dízimo 1tm3;2-5 ,dt1;11 , mt26;11

      Excluir
    15. Dízimo não era para sustento de sacerdotes. Eles deveriam se manter das ofertas. O dizimo era dos levitas e dos necessitados. O texto mencionado por você diz isso: "Pois nunca deixará de haver pobre na terra; pelo que te ordeno, dizendo: Livremente abrirás a tua mão para o teu irmão, para o teu necessitado, e para o teu pobre na tua terra".(Deut. 15.11)

      Excluir
    16. O sustento aos pobres é além do dízimodt15;11 , mt26;11

      Excluir
    17. Na visão dos pastores, porque na visão de Deus o sustento dos necessitados era do dizimo e ele não autorizou ninguém mudar isso.

      Excluir
    18. Até sacerdote recebia dizimo do dízimo nm18;2628

      Excluir
    19. Até que enfim uma resposta coerente.

      Sim, o sacerdote recebia o dizimo dos dizimos, mas como oferta alçada que significa voluntária.

      "Assim também oferecereis ao SENHOR uma oferta alçada de todos os vossos dízimos, que receberdes dos filhos de Israel, e deles dareis a oferta alçada do SENHOR a Arão, o sacerdote." (Números 18 : 28)

      Eles recebiam apenas dos levitas de quem eram os dizimos enão do povo.

      Agora te pergunto: Os pastores que recebem os dizimos, pagam o dizimo dos dizimos. Se o pagam, a quem o pagam visto não haver entre sumo sacerdote?

      Se não o pagam, então, estão roubando a Deus não acha?

      Excluir
    20. Arão também recebia ele pagava a quem ? nm18;28

      Excluir
    21. Uma boa pergunta, merece uma boa resposta.

      Abrão pagou antecipadamente por ele a Melquisedeque.

      "E, por assim dizer, por meio de Abraão, até Levi, que recebe dízimos, pagou dízimos. Porque ainda ele estava nos lombos de seu pai quando Melquisedeque lhe saiu ao encontro" (Hebreus 7 : 9 , 10).

      Mas os pastores de hoje não são sacerdotes na ordem de Arão. Abrão pagou pro Levi e não pelos pastores. Entendeu?

      Logo, se não pagam estão roubando.

      Bom final de Semana

      Excluir
    22. O direito ao amparo a casa de Deus continua... ne10;38 , ne13;11 , 1tm3;15

      Excluir
    23. Com certeza,

      Principalmente sabendo que Deus não habita nesse tempo presente em templos de tijolos, cimento ou qualquer outra casa construída por homens, mas nas vidas que nele creem.

      "O Deus que fez o mundo e tudo que nele há, sendo Senhor do céu e da terra, não habita em templos feitos por mãos de homens;" (Atos 17 : 24)

      "Não sabeis vós que sois o templo de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós?" (I Coríntios 3 : 16)

      "Mas Cristo, como Filho, sobre a sua própria casa; a qual casa somos nós, se tão somente conservarmos firme a confiança e a glória da esperança até ao fim." (Hebreus 3 : 6)

      Excluir
  3. Pastores, vamos trabalhar para pagar suas contas.... Aquele que não trabalhar que ñ coma... (Palavras de Apostolo Paulo). Jesus está voltando e muitos naquele dia dirão: mas Senhor em seu nome fiz... e Ele dirá: apartai vos de mim que n Vos conheço!

    ResponderExcluir