Páginas

sábado, 6 de agosto de 2016

O Dízimo no Novo Testamento



INTRODUÇÃO

Neste blog muito já escrevi a respeito da doutrina do dizimo, da maneira como é ensinado na bíblia.  Já escrevi sobre o dízimo de Abrão e o dizimo de Jacó que foram antes da Lei, bem como do dízimo na Lei que Deus deu como herança aos Levitas e um direito dos necessitados, conforme a última publicação. Neste post dissertarei sobre o dízimo no Novo Testamento. Mas o Novo Testamento fala sobre o dizimo? Sim, fala! Fala aludindo a exemplos que ocorriam na velha dispensação quando o dizimo valia na Lei, mas não ensina que aqueles que vivem sob a Lei de Cristo, na dispensação da Graça na Nova Aliança, devam dizimar como os hebreus faziam conforme a Lei ordenava.

REFERENCIAS DE DÍZIMO NO NOVO TESTAMENTO

O dízimo é mencionado apenas nove (9) vezes em o Novo Testamento, sendo uma vez (1) no evangelho de Mateus (Mateus 23 : 23); duas (2) vezes no evangelho de Lucas (Lucas 11 : 42 e 18 : 12) e seis (6) vezes na carta escrita aos Hebreus (Hebreus 7 : 2 - 9). Porém, as devidas referências em momento algum deixam transparecer a menor ideia que os cristãos devam praticar essa doutrina veterotestamentária.

É bem certo que atualmente existem teólogos que ensinam que o dízimo está inserido indiretamente em outras partes do Novo Testamento, como no livro de Atos (Atos 4 : 37 ; 5 : 1 – 3) e nas cartas de Paulo aos Coríntios (1Corintios 9 : 7 – 14 ; 16 ; 1 , 2 ; 2Corintios 8 : 11 , 12) e alguns outros. Porém, essas referências, principalmente as de 2 Coríntios, se referem às contribuições espontâneas e não a dízimos. No caso de 1Coríntios 9 : 7 – 14, Paulo faz alusão às ofertas levíticas que eram levadas ao altar para sustento dos que ministravam sobre ele que eram os sacerdotes, filhos de Arão e não aos dízimos, pois estes na Lei eram dos levitas e dos necessitados.

O DÍZIMO NOS EVANGELHOS

Há os que defendem a legalidade dos dízimos no Novo Testamento, tendo como base o que Jesus falou nos evangelhos de Mateus e Lucas. Porém, uma coisa é necessária saber que apesar de Mateus e Lucas, assim como Marcos e João constarem no cânon do Novo Testamento, este na verdade só teve início após o cumprimento da Lei por Cristo que se deu por sua morte na cruz. O escritor aos Hebreus nos fala disso: “Porque onde há testamento, é necessário que intervenha a morte do testador. Porque um testamento tem força onde houve morte; ou terá ele algum valor enquanto o testador vive?” (Hebreus 9 : 16 , 17). Isto nos faz entender que o Novo Testamento só passou a valer quando Jesus morreu e derramou seu sangue para o selar (1Coríntios 11 ; 25). A morte de Jesus foi necessária, pois, assim como o antigo Testamento que era transitório foi selado com sangue de animais que morreram (Hebreus 9 ; 19), o Novo que é superior e eterno foi selado com o sangue de Jesus, o Cordeiro de Deus que tira os pecados do mundo.

Então, quando Jesus exerceu o seu ministério aqui neste mundo como homem, a Lei e a lição do Antigo Testamento ainda vigorava. E cumprir a toda a Lei fazia parte de seu ministério terreno. (Mateus 5 : 17 – 19).. O principal texto no evangelho que muitos teólogos se utilizam para defender a prática do dizimo na Nova Aliança é a de Mateus 23 : 23, que também repete em Lucas 12 : 42. Porém, quando Jesus censurou a práticas dos legalistas fariseus dizimarem, ensinou-nos uma grande lição que muitos ainda não enxergaram.


"Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! pois que dizimais a hortelã, o endro e o cominho, e desprezais o mais importante da lei, o juízo, a misericórdia e a fé; deveis, porém, fazer estas coisas, e não omitir aquelas."  (Mateus 23 : 23)

A primeira lição que Jesus ensina é a que muitos não querem aceitar atualmente. É a lição que o dízimo é uma obra da Lei. Quando Jesus diz: “...e desprezais o mais importante da lei..”, deixa bem claro que o dizimo também era da Lei, pois o Juízo, a Misericórdia e Fé que eram o mais importante da Lei, era a base do ato de dizimar. E, sendo o dízimo uma obra da Lei, qualquer crente que tenta se justificar perante Deus pela sua prática no tempo da graça, se põe em baixo de maldição. E ainda, todo aquele que tenta se justificar pelo rito do dízimo ou alguma outra obra da Lei, precisa saber que fica na obrigação de obedecer toda a Lei nos seus 613 preceitos, como disse Paulo: "Todos aqueles, pois, que são das obras da lei estão debaixo da maldição; porque está escrito: Maldito todo aquele que não permanecer em todas as coisas que estão escritas no livro da lei, para fazê-las."  (Gálatas 3 : 10). E Tiago, o irmão do Senhor acrescenta: "Porque qualquer que guardar toda a lei, e tropeçar em um só ponto, tornou-se culpado de todos." (Tiago 2 : 10).

A segunda lição dada por Jesus é que o rito de dar o dízimo não tinha valor algum, se não fosse feito observando o princípio da prática da Justiça, e da Misericórdia e da Fé. Estes três na Lei eram mais importantes do que o simples ato de dizimar. Por isso Jesus ordena aos fariseus: “...deveis, porém, fazer estas coisas, e não omitir aquelas”. No cumprimento da Lei, Jesus pediu que os fariseus continuassem observando o preceito do rito mosaico do dízimo, mas que priorizassem o que na Lei era o mais importante.

A terceira lição é sobre os princípios imutáveis que eram exercidos no ato de dar o dizimo, como: o Juízo, a Misericórdia e a . São princípios imutáveis, pois eram importantes na Lei e continuam sendo na dispensação da Graça. Convém dizer que toda a Lei do Antigo Testamento era fundamentada nesses princípios, assim como é o Novo.  Em relação ao ato de dar o dizimo na Lei, o Juízo, a Misericórdia e a Fé deveriam ser a base deste rito, assim como o amor precisa ser a base de todos os nossos atos para com o próximo (1Corintios 13 : 1 – 13). Como expliquei no artigo anterior, o dízimo era uma herança que Deus deu aos levitas e um direito atribuído aos pobres e necessitados, como órfãos, viúvas e estrangeiros. Tirar deles esta bênção dada por Deus ocasionava em perverter o Juízo e a Justiça e culminava em roubar a Deus e atrair maldição (Malaquias 3 : 8 – 10) .

Deus sempre teve um cuidado especial pelos pobres e necessitados. Em relação a eles, o Senhor instrui Moisés a ensinar que na Lei, a cada três anos o dízimo era para ser dado a eles e aos levitas também. E após o dizimista cumprir toda a obrigação exigida, Moisés declara as Palavras de Deus sobre o principio do juízo no ato de dar o dizimo: “Neste dia, o SENHOR teu Deus te manda cumprir estes estatutos e juízos; guarda-os pois, e cumpre-os com todo o teu coração e com toda a tua alma (Deuteronômio 26 : 16). Os hebreus não deviam apenas dar o dízimo como uma obrigação e um ritual, mas, sobretudo, atentar para o cuidado de praticar por ela a justiça divina em relação àqueles a quem Deus ordenou entrega-lo. Jeremias também fala sobre isso: "Assim diz o SENHOR: Exercei o juízo e a justiça, e livrai o espoliado da mão do opressor; e não oprimais ao estrangeiro, nem ao órfão, nem à viúva; não façais violência, nem derrameis sangue inocente neste lugar." (Jeremias 22 : 3).

Os dízimos estabelecidos por Deus eram um ato de sua soberana justiça, mas que deveria ser praticada pelo seu povo Israel. Nunca era em dinheiro, mas em produtos da terra e do rebanho que era para ser comido pelos levitas e necessitados, como: os dízimos do grão, do mosto (vinho), do azeite, e os primogênitos das vacas e das ovelhas (Deuteronômio 14 : 23). Mas os fariseus davam apenas hortelã, endro e cominho. Por assim dizer, eles davam como dízimo apenas o tempero da comida. Por isso, Jesus censura o ato dos fariseus dizimarem sem atentarem para o principio inserido no rito do dízimo que consistia no Juízo (justiça), Misericórdia e Fé. Como já foi dito anteriormente, no cumprimento da Lei, Jesus exorta-os a atentarem primeiro para o que era mais importante (Justiça, Misericórdia e Fé), sem, contudo, deixarem de continuar na obrigação de dar os dízimos, pois esta era uma Lei que por eles deveria ser obedecida como Deus a instituiu, sem aumentar ou diminuir (Deuteronômio 12 : 32).

Os que insistem em dizer que neste episódio Jesus aprovou a prática do dízimo aos cristãos, precisam entender que Ele não estava falando com crentes, mas com judeus que tinham compromisso com a Lei de Moisés. À Sua Igreja o Senhor exortou-a a seguir os princípios imutáveis, como: a) cumprir Sua justiça. "Porque vos digo que, se a vossa justiça não exceder a dos escribas e fariseus, de modo nenhum entrareis no reino dos céus." (Mateus 5 : 20); b) a exercer a misericórdia: "Antes sede uns para com os outros benignos, misericordiosos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou em Cristo."  (Efésios 4 : 32); e, c) viver pela fé: “Mas o justo viverá da fé; E, se ele recuar, a minha alma não tem prazer nele”. (Hebreus 10 : 38); pois sem fé é impossível agradar a Deus (Hebreus 11 ; 6).

Os dízimos cobrados atualmente nas igrejas não têm respaldo bíblico e tampouco são acompanhados dos princípios de Justiça, Misericórdia e Fé, pois não são destinados para o fim o qual Deus estabeleceu em Sua Palavra.

A PARÁBOLA DO FARISEU E DO PUBLICANO

Em Lucas 18, Jesus conta uma parábola, usando o exemplo de um publicano e um fariseu. Na parábola em questão o objetivo da lição era mostrar a importância da humildade em contraste com a arrogância e presunção do religioso que se julga santo mediante as obras que faz. Jesus diz que ambos, o pecador publicano e o religioso fariseu subiram ao templo para orar. Naquele tempo os judeus ainda entendiam que o local ideal para orar era o templo, onde Deus ouviria as orações (1Reis 8 : 29). Mas Jesus ensinou que o melhor lugar para orar é o quarto a portas fechadas (Mateus 6 : 6). Ao chegar alí o fariseu foi logo entrando no templo e se auto justificando mediante suas obras, dizendo: “Ó Deus, graças te dou porque não sou como os demais homens, roubadores, injustos e adúlteros; nem ainda como este publicano. Jejuo duas vezes na semana, e dou os dízimos de tudo quanto possuo” (Lucas 18 : 11 , 12). Mas o publicano pecador ficou de longe e sequer entrou no templo e lá fora mesmo reconheceu sua pobreza de espírito e voltou justificado.

Diferente dos fariseus de Mateus 23 : 23, que davam somente o tempero dos dízimos, este fariseu da parábola parecia que era o melhor de todos, pois além de não pecar, ainda jejuava duas vezes por semana e dava os dízimos de tudo quanto possuía. E é com base nesse “tudo” praticado pelo personagem da parábola que Jesus usou para classificar a arrogância e a presunção religiosa, é que os defensores do dizimo entendem que os crentes também têm de dar o dizimo de tudo. Mas estes esquecem ou não entenderam o que Jesus ensinou, que o pecador publicano é que foi justificado por se humilhar diante de Deus e não o fariseu dizimista fiel. Quiçá o publicano por ser pecador nem dízimos pagava, mas foi justificado por sua fé unicamente e não pelo que fazia, pois pelas obras da Lei como o dízimo ninguém será justificado, como bem ensinou o apóstolo dos gentios: “Sabendo que o homem não é justificado pelas obras da lei, mas pela fé em Jesus Cristo, temos também crido em Jesus Cristo, para sermos justificados pela fé em Cristo, e não pelas obras da lei; porquanto pelas obras da lei nenhuma carne será justificada” (Gálatas 2 ; 16).

DAR A CÉSAR O QUE É DE CÉSAR E A DEUS O QUE É DE DEUS.

Outro texto citado pelos defensores do dizimo na Nova Aliança é sobre o que Jesus disse em Mateus, Marcos e Lucas a respeito dos impostos.

"Disse-lhes então: Dai, pois, a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus."  (Lucas 20 : 25).

Estaria Jesus ensinando nessa passagem a obrigatoriedade dos dízimos na Nova Aliança? De Jeito nenhum! O texto mostra os principais dos sacerdotes armando uma cilada para apanhar Jesus em contradição contra o estado e assim, criar um ambiente propício para o prenderem e entrega-lo às autoridades romanas (Lucas 20 : 19 , 20). Espias foram enviados pelos principais dos sacerdotes, os quais se fingindo de justo lançaram a pergunta: “É-nos lícito dar tributo a César ou não?” (Lucas 20 : 22). Jesus sabendo que eles o tentavam, pediu uma moeda romana que de um lado havia a efigie de César em alto relevo e do outro a inscrição em latim que dizia: “Ti Caesar Divi Aug F Aug.” Que significa: “Tibério César, filho do divino Augusto”. Jesus apresentou-a ao povo e fez a pergunta: “De quem tem a imagem e a inscrição?” (verso 24). Logo o povo respondeu: De César. Diante da resposta, Jesus concluiu: "Disse-lhes então: Dai, pois, a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus." (Lucas 20 : 25). Jesus quis ensinar que a moeda romana, com a efigie e a inscrição honrando a César, foi criada por César e, portanto pertence a César. E sabemos que nesse texto Jesus estava ensinando o povo a cumprir com seus deveres para com o estado representado por César. E os “césares” eram uma dinastia de imperadores romanos que se auto divinizavam e assim, queriam ser honrados como deuses na terra. Por isso, Jesus ordenou dar-lhe o que lhe pertencia que era o dinheiro, mas dar a Deus o que a Ele pertence.

O QUE PERTENCE A DEUS?

Forçando uma interpretação, muitos dizem que a Deus, pertencem todos os dízimos (10%) dos ganhos que devem ser pagos às igrejas. Em momento algum Jesus quis dizer isso, pois Ele, como o filho de Deus sabe que ao Pai é devida a honra, a glória, o louvor, o poder para toda a eternidade. Foi exatamente isso que Jesus ordenou os principais dos sacerdotes darem a Deus, como antes profetizou Malaquias: “Agora, ó sacerdotes, este mandamento é para vós. Se não ouvirdes e se não propuserdes, no vosso coração, dar honra ao meu nome, diz o SENHOR dos Exércitos, enviarei a maldição contra vós, e amaldiçoarei as vossas bênçãos; e também já as tenho amaldiçoado, porque não aplicais a isso o coração” (Malaquias 2 : 1 , 2).

E ainda, na Lei os dízimos não eram em dinheiro, como já foi dito. E nesse tempo a Lei ainda vigorava e Jesus a estava cumprindo e não podia violá-la. Como então ordenaria dar dízimo em dinheiro a Deus se a Lei não permitia assim?

O DÍZIMO NO LIVRO DE HEBREUS

E por fim, muitos citam Hebreus 7 como estando este livro corroborando a prática do dízimo na Nova Aliança. Mas o livro de Hebreus, cujo autor desconhecemos, foi escrito por alguém que era erudito na Lei e que recebeu de Deus a revelação da Graça salvadora. Ele sabia muito bem a grande diferença entre a Lei e a Graça (suponho ser Paulo).

A carta aos Hebreus é assim denominada, pois foi escrita para o povo hebreu que se convertia a fé cristã. Povo esse que por muitas gerações viveu sob o jugo da Lei e era difícil entender deu uma hora pra outra a plenitude da graça e da liberdade que Cristo garantiu. Por isso, nesse livro o autor procura mostrar a superioridade de um Novo Concerto efetuado por Cristo que na cruz aboliu todos os ritos que a Lei exigia. E é importante salientar que o dízimo fazia parte de um rito mosaico anual que envolvia festas religiosas, muita comida e até bebidas embriagantes (Deuteronômio 14 : 22 - 26). E relativamente a esses ritos da Lei que na graça ficaram sem valor, Paulo escreveu: “Portanto, ninguém tem o direito de vos julgar pelo que comeis, ou pelo que bebeis, ou ainda com relação a alguma festa religiosa, celebração das luas novas ou dos dias de sábado” (Colossenses 2 : 16). Temos que entender que a Lei foi por Cristo cumprida e não abolida (Mateus 5 : 17). A Lei está em vigor para o povo judeu, mas os ritos cerimoniais que faziam parte da Lei e da lição que encerrava o antigo testamento foram todos abolidos: “Mas os seus sentidos foram endurecidos; porque até hoje o mesmo véu está por levantar na lição do velho testamento, o qual foi por Cristo abolido” (2Corintios 3 : 14).

O DIZIMO DE ABRAÃO A MELQUISEDEQUE COMO MODELO

Outro meio de justificar os dízimos no Novo Testamento é alegando que Melquisedeque antes da Lei recebeu dízimos de Abraão e ele era uma representação de Jesus. Concordo com isso! E continuam no entendimento que por Jesus haver sido constituído sumo-sacerdote segundo a ordem de Melquisedeque, também devemos dar-lhes os dízimos como Abraão o fez ao rei de Salém. Mas Abraão não deu dízimos de suas riquezas, mas de despojos que ele resgatou de uma guerra onde matou quatros reis (Hebreus 7 : 1); e o restante que deveria ficar com ele, entregou-os ao seu legítimo dono, o rei de Sodoma (Gênesis 14 : 22 – 24). E Jesus quando aqui esteve não cobrou dízimos e nem ensinou que num futuro quando assumisse o sumo-sacerdócio segundo a ordem de Melquisedeque, devêssemos lhe pagar dízimos.

O escritor aos Hebreus se esforça por mostrar que Jesus sendo eterno, é antes de Levi; assim, antes de Levi existir, o Pai o constituiu sumo-sacerdote das nossas almas segundo a ordem de Melquisedeque (Salmos 110 : 4 ; Hebreus 6 : 20). Segundo a ordem de Melquisedeque significa dizer que Jesus foi sacerdote, seguindo a escolha soberana de Deus, pois os judeus não reconheciam nenhum sacerdote que não viesse da tribo de Levi, como foi determinado na Lei (Números 3 : 6 – 10). Jesus não era levita, mas da tribo de Judá (Mateus 2 : 6 ; Hebreus 7 : 14). Os judeus tinham a consciência que os dízimos na Lei como rito, eram inerentes ao ofício levita que ofereciam sacrifícios no altar em favor dos homens. Por causa do serviço que os levitas executavam, recebiam dos judeus todos os dízimos como recompensa pelo trabalho (Números 18 : 21). Mas, mas quando Jesus assumiu o sumo-sacerdócio eterno, seguindo o modelo de Melquisedeque, mudou essa Lei. “Porque, mudando-se o sacerdócio, necessariamente se faz também mudança da lei” (Hebreus 7 : 12). Quando diz que Jesus mudou a Lei, não diz toda a Lei nos seus 613 preceitos, mas a Lei inerente aos sacrifícios levíticos, uma vez que Ele próprio se ofereceu como sacrifício perfeito e insubstituível (Hebreus 10 : 10 – 14).

E no tempo em que a carta aos Hebreus foi escrita os levitas ainda exerciam seu ministério, pois o templo ainda estava de pé. E por ministrarem, ainda recebiam dízimos. Por isso diz: “E aqui certamente tomam dízimos homens que morrem; ali, porém, aquele de quem se testifica que vive” (Hebreus 7 : 8). Esse verso, inclusive é deturpado, quando dizem que “aqui certamente tomam dízimos homens que morrem” , o escritor esteja se referindo ao ministério dos pastores que devem receber dízimos dos crentes; enquanto que “ali, porém, aquele de quem se testifica que vive”, se refira a Jesus. Mas o escritor está falando dos levitas “aqui” e de Melquisedeque “ali”. Porém, com a destruição do templo no ano 70 eC, os levitas encerraram definitivamente seu ministério, pois não existe mais santuário para ministrarem sacrifícios. Ainda que os levitas continuassem ministrando no tempo da graça, nós gentios não teríamos compromisso com eles. "Temos um altar, de que não têm direito de comer os que servem ao tabernáculo." (Hebreus 13 : 10).

Por isso, na Nova Aliança não se sacrificam animais, pois Cristo na sua morte aboliu todos esses ritos (Efésios 2 : 15). E os ministros do Novo Testamento, sejam presbíteros, evangelistas, pastores ou bispos não são levitas e muito menos sacerdotes que possam exigir dízimos do povo. Jesus mudou essa Lei (Hebreus 7 : 12). Mas essa mudança na Lei, não significa que Ele tenha mudado o dízimo que era mantimento para dinheiro.

QUEM INTRODUZIU O DÍZIMO EM DINHEIRO NA NOVA ALIANÇA?

Como enfatizei, o dizimo não era dinheiro. Dinheiro existia, mas não era aceito como dizimo (Deuteronômio 14 : 22 – 27). Quando Deus legalizou o dizimo como mandamento pediu que nada do que Ele mandou fosse mudado (Deuteronômio 12 : 32). Mas vemos que isso foi mudado. E quem mudou?  Quem primeiramente tentou fazer essa mudança foram os sacerdotes no templo na época de Cristo. Os dízimos e as ofertas que eram levados ao templo em animais e cereais, eram postos no pátio deste para serem cambiados, isto é, trocados por dinheiro. Mas Jesus não aprovou isso e expulsou dalí aqueles que assim faziam, pois haviam transformado o templo em covil de ladrões e salteadores. Os sacerdotes estavam repetindo o feito do tempo de Malaquias quando Deus foi roubado nos dízimos e nas ofertas. E quando eles viram o prejuízo que o Senhor lhes causara a soltar os animais postos para a venda, derrubar as mesas e espalhar o dinheiro pelo chão, ficaram enfurecidos e procuravam matá-lo por fazer isso (Lucas 19 : 45 – 47). Qualquer semelhança hoje não é mera coincidência.

Nos escritos dos chamados pais apostólicos ou pais da igreja e dos apologistas não aparece nada relacionado a dízimos. Irineu de Lião considerou o dizimar uma lei judaica que não se requer dos cristãos, porque os cristãos receberam em Cristo a liberdade, e devem como consequência dar sua contribuição sem constrangimento externo (Haer 4,18,2). Orígenes considerava que o dízimo era algo que deveria ser ultrapassado, de longe, pelos cristãos nas suas contribuições (In Num. Hom. 11).

Rei Católico Carlos Magno - Criador do Dízimo em dinheiro
Porém, quem definitivamente fez essa mudança, impondo essa obrigação aos cristãos foi a Igreja Católica Romana no sec. VII da era cristã. Essa igreja inicialmente introduziu a prática do dízimo, como maneira de sustentar seus clérigos. Pra isso, ela usou passagens do Novo Testamento, tais como: Mateus 10 : 1 0 ; Lucas 10 : 7 e 1Corintios 9 ; 3 – 4 e outras, mas isso numa ação voluntaria por parte dos fiéis.  Como não conseguiu o sucesso desejado, precisou recorrer ao poder da lei civil, para impor aquilo que a instrução não conseguiu levar a efeito. Então, entra em ação o famoso decreto do rei católico Carlos Magno (785 dC). O decreto do rei obrigou a todos os fieis tributarem 10% de suas rendas para o sustento da igreja e seus clérigos, quer gostassem ou não.

Assim, essa igreja mudou a doutrina do dizimo de Deus, impondo no seu lugar a que ela mesma criou. Ela não apenas mudou a lei do dizimo que era MANTIMENTO, como também introduziu o costume de construir templos em honra às suas divindades, como criou o modelo de hierarquia para ministrar nesses (modelo de hierarquia também adotado pelas igrejas evangélicas). E para manter seus templos, bem como seus ministros, seria necessário cobrar dízimo em dinheiro dos fiéis e, como o povo não tinha acesso às escrituras, foi fácil modificar as Escrituras e introduzir essa tradição que a maioria das igrejas evangélicas e protestantes aceitam como Divina, mas não é.

CONCLUSÃO

O Novo Testamento em parte alguma ensina sobre a prática de dar e/ou pagar dízimos. Ensina sim, com vastas referências o contribuir e seus propósitos. No próximo artigo falarei sobre a Contribuição no Novo testamento. Mas como vimos, o dizimo é bíblico, mas não é cristão. Foi praticado antes da Lei, incorporado na Lei, mas não sobreviveu na Graça, porque Cristo cumpriu a Lei. O dízimo atual é uma herança que a igreja católica romana legou as demais igrejas, mesmo depois da Reforma no Sec. XV. Todos os que dão a décima parte de seus rendimentos às instituições religiosas pensando estar obedecendo a uma doutrina bíblica, estão na verdade obedecendo ao ensinamento de uma igreja que eles mesmos condenam. Mas estão a beber do mesmo cálice (Apocalipse 17 : 4). O testemunho que mostra que o dizimo atual não é uma doutrina divina, é a dissenção, a divisão e exclusão de pessoas das igrejas que ele proporciona. Por ele, alguns enriquecem em detrimento da ignorância de outros.

O dizimo bíblico era um principio de Justiça, Misericórdia e Fé (Mateus 23 : 23). Mas o dizimo atual imposto pela religião é a medida aferidora que delimita quem tem valor e quem não tem; quem é bandido e quem é o mocinho; quem presta e quem não presta e, que vai para o céu e quem vai para o inferno.

"Fiz-me acaso vosso inimigo, dizendo a verdade?" (Gálatas 4 : 16).

Em Cristo,

Reginaldo Barbosa
Santa Bárbara do Pará

Fontes: Bíblia Sagrada Almeida Corrigida Fiel ao texto original (ACF)
                      Dicionário Internacional de Teologia.

30 comentários:

  1. Graça e paz Reinaldo!Isso que é resposta para quem, ainda acredita no dízimo na nova aliança!digo à você que este foi seu melhor trabalho!Pra tirar a dúvida de toda áquele, que, sinceramente, busca a verdade!

    Abraços






    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Graça e Paz Roberto,

      Agradeço por suas palavras de incentivo, pois saiba que tenho sido muito apedrejado por causa daquilo que defendo. É certo que aqueles que sinceramente buscam a verdade, hão de tirar suas dúvidas. Mas há outros que nunca concordarão, porque aprenderam a tirar proveito do erro e não abrirão mão disso, a não ser por uma intervenção divina mesmo.

      Irei iniciar um outro assunto voltado para a Contribuição no Novo Testamento e seus objetivos.

      Um grande abraço

      Excluir
    2. Prezado com base em que versículos bíblicos que você concluiu que "O Novo Testamento em parte alguma ensina sobre a prática de dar e/ou pagar dízimos." ?? Com base na sua conclusão na forma de negativa enfática também poderei concluir que: O Novo Testamento em parte alguma "Não" ensina sobre a "Não" prática de "Não" dar e/ou "Não" pagar dízimos. Paulo disse "ordenou" também o Senhor " e não disse "desordenou também o Senhor ou desmandou também o Senhor" o que já estava escrito.(1Co9:9-10) Paulo nunca pregou a descontinuação do dízimo nem no Templo e nem na Igreja. Assim "ordenou também o Senhor" aos que anunciam o evangelho , que vivam do evangelho.(1 Co9:14) Quem administra o que é sagrado deve administrar com moralidade administrativa(1Co4:1-2) Paulo confirmou que os ministros tinham direitos até maiores dos que administravam e comiam do Templo e participavam do altar(os levitas)

      Há algum impedimento para dar dízimo ou contribuir com 10% em dinheiro ou além de medida do dízimo ou com qualquer coisa aceita pela Igreja de Jesus Cristo no Novo Testamento ??(Ap 5:12) (Rm11:36) Não há e nunca houve. Deem a cada um o que lhe é devido: se imposto, imposto; se tributo, tributo; se temor, temor; se honra, honra. (Rm3:7) Todavia, assim como vocês se destacam em "Tudo": na fé, na palavra, no conhecimento, na dedicação completa e no amor que vocês têm por nós, "destaquem-se também neste privilégio de contribuir." (2Co8:7) 1% - 100% dentro das possibilidades e prosperidade que Deus dá a cada um.

      Contribuir com 10% em dinheiro ou mais , entregar o dízimo também é um privilégio e não uma desonra para Deus. Deem e será dado a vocês: uma boa medida, calcada, sacudida e transbordante será dada a vocês. Pois a medida que usarem "para Deus e para os outros" também será usada para medir vocês". (Lc6:38) E, quanto fizerdes por palavras ou por obras, fazei tudo em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai.(Cl3:17) Portanto, quer comais quer bebais, ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para glória de Deus. Portai-vos de modo que não deis escândalo nem aos judeus, nem aos gregos, nem à igreja de Deus.(1Co10:31,32) "Assim ordenou" também o Senhor" é mandamento" o sustento dos ministros que anunciam o evangelho tem o direito de viver do evangelho.(1Co9:14) Lembre-se que Paulo nunca disse "Assim também desordenou e Assim também desmandou" o Senhor o Não sustento , a suspensão do dízimo dos ministros que vivem do evangelho(1Co9:14)

      E, sendo ele "Jesus" consumado, veio a ser a causa da eterna salvação para todos os que lhe obedecem; "mandamentos"(1Co6:910) (Ml3:8) (1Jo5:2-3) (1 João 3:17) Chamado por Deus sumo sacerdote, segundo a ordem de Melquisedeque.(Hebreus 5:9-10) (Hb7:11) Que com grande voz diziam: Digno é o Cordeiro, que foi morto, de "receber" o poder, e riquezas, e sabedoria, e força, e honra, e glória, e ações de graças.(Ap 5:12) Porque "dele e por ele, e para ele, são todas as coisas"; glória, pois, a ele eternamente. Amém.(Rm11:36) Jesus continua a receber tudo o que lhe pertence na Igreja para a honra e glória de Deus amém.(Ef1:23)(At20:28) (Hb13:17)(1Co14:33)

      Excluir
    3. Bom dia Anônimo.

      Aqui eu falei sobre dízimo, como era quando existiu e também procurei enfatizar quem estabeleceu o atual dizimo cobrado em dinheiro. Os textos por você postado nada tem a ver com dízimos. Aliás, essa tem sido uma justificativa daqueles que são beneficiados pelos ditos dízimos por medo de perderem as regalias, caso o povo descubra a verdade que assunto encerra.

      Mas, se não fui bastante claro, procure conhecer a história da igreja a partir do momento em que Roma institucionalizou a igreja.

      Excluir
    4. Onde tem algum cristão contra o dízimo na igreja primitiva ?? Onde tem alguma manifestação contrária ao dízimo no Novo Testamento ?? O Autor da fé cristã (Jesus cristo) nunca foi contra o dízimo. O Pai da fé cristã(Abraão) também nunca foi contra o dízimo. Esses dois personagens viviam pela fé. Assim como o povo de Deus ontem na lei(Hc2:4) e hoje depois da lei(Rm1:17) Não é Carlos Magno e nem Roma que escreveram na bíblia que o dízimo pode ser de Tudo que possuímos.(1Co6:9-10) (Ml3:8) (1Jo5:2-3) (1 João 3:17)(Ap 5:12) (Rm11:36) (Ef1:23)(At20:28) (Hb13:17)(1Co14:33)

      Excluir
    5. Nem Jesus, nem os apóstolos e nem eu sou contra o dízimo. Assim como não sou contra a circuncisão, nem contra o dia de sábado ou qualquer outra obra da Lei. Simplesmente não as cumpro por eu não ser judeu obrigado a obedecer a Lei de Moisés. Se você é, cumpra-as.

      Abraços

      Excluir
    6. A origem do dízimo de tudo não depende da lei de Moisés para existir.(Gên14:18-20) A origem do dízimo é na promessa e no sacerdócio de Melquisedeque(Rm4:16) (Hb7:6) (Hb7:11) E, se sois de Cristo, então, sois descendência de Abraão e plenos herdeiros de acordo com a Promessa.(Gl3:29) Onde há necessidade há o dízimo. Onde há fé há o dízimo. Onde há Deus há o dízimo porque pertence a ele.(Ap11:13)(Ml3:8) A Fé , a promessa e o dízimo "Não" depende da Lei de Moisés para existir.

      Excluir
    7. Você e muitos que defendem a legalidade do dizimo esquecem que Melquisedeque não era apenas sacerdote, mas rei também. E os reis recebiam dízimos do povo (1Samuel 8.11-15).

      Será que Melquisedeque recebeu dízimos como sacerdote? Se foi, então porque na Lei os dízimos não era para eles, mas para os levitas e necessitados?

      Será que como sacerdote de Deus, Melquisedeque recebeu dízimos de Abrão sabendo que aqueles bens não lhe pertenciam?

      Ora, essa sua justificativa pegando textos isolados não convencem ninguém. Se você é, como diz, descendência de Abraão, já se circuncidou? Veja os termos da promessa em Gênesis 17.9-14:

      9 Disse mais Deus a Abraão: Tu, porém, guardarás a minha aliança, tu, e a tua descendência depois de ti, nas suas gerações.
      10 Esta é a minha aliança, que guardareis entre mim e vós, e a tua descendência depois de ti: Que todo o homem entre vós será circuncidado.
      11 E circuncidareis a carne do vosso prepúcio; e isto será por sinal da aliança entre mim e vós.
      12 O filho de oito dias, pois, será circuncidado, todo o homem nas vossas gerações; o nascido na casa, e o comprado por dinheiro a qualquer estrangeiro, que não for da tua descendência.
      13 Com efeito será circuncidado o nascido em tua casa, e o comprado por teu dinheiro; e estará a minha aliança na vossa carne por aliança perpétua.
      14 E o homem incircunciso, cuja carne do prepúcio não estiver circuncidada, aquela alma será extirpada do seu povo; quebrou a minha aliança.

      Observe que ao contrário do dízimo que foi um ato espontâneo de Abrão, a circuncisão foi dado como mandamento e isto, 400 anos antes da Lei ser instaurada. Até Jesus se submeteu a esse mandamento como sendo parte dessa promessa.

      E você, como descendente de Abrão e herdeiro de acordo com a promessa já se circuncidou? Não venha me dizer que a circuncisão foi abolida, porque não foi.

      Excluir
    8. Prezado , com todo respeito você erra dizendo "Se foi, então porque na Lei os dízimos não era para eles, mas para os levitas e necessitados?" Os Sacerdotes também dependiam do dízimo dos recebido pelos levitas ou você não sabe disso ?? Se os levitas não o recebessem os Sacerdotes também não receberiam o dízimo dos dízimos , resumindo a medida de cálculo 10% ou décima parte é a mesma. Por um acaso aumentou ou diminuiu ?? Se tem algo que diga isso na bíblia que aumentou ou diminuiu particularmente desconheço. Você conhece ?? Eu não. Os levitas administravam o que era sagrado e o que era levado ao Templo e eram distribuídos com todos que dependiam do dízimo e tinham direito. Ou você não sabe disso ?? Respeito quando você disse que não teve muito estudo , mas daí afirmar que os Sacerdotes não recebiam é um erro primário. Os Sacerdotes recebiam a mesma medida recebida pelos levitas. A primeira pessoa é representada pelos levitas para receber o dízimo. A segunda pessoa é representada pelos Sacerdotes. O dízimo dos dízimos está representado na segunda pessoa por direito a receber que nesse caso são os Sacerdotes. Aprenda que o dízimo e o dízimo dos dízimos são medidas iguais , não importa se são para levitas ou Sacerdotes a medida é a mesma tanto para com um como para com outro , todos os levitas dependiam também do dízimo. Até o Sumo Sacerdote tinha direito de receber e recebia o dízimo dos dízimos. Sobre a "Sua" idéia a meu respeito dizendo "a minha justificativa pegando textos isolados não convencem ninguém" e a "Sua" idéia sobre a circuncisão sem comentários. “Pois nem a circuncisão é coisa alguma, nem a incircuncisão, mas o ser nova criatura”(Gl6:15) Acredito que não preciso escrever mais nada !!

      Excluir
    9. Caro Anônimo,

      Se não estou enganado, o tema desse estudo é DIZIMO NO NOVO TESTAMENTO. Por favor tente refutar esse tema, se for o caso, pois sobre o dizimo no antigo pacto, quando esteve em vigor eu já escrevi em estudos anteriores. Neles, fui bem claro quanto o sacerdote ser sustentado pelas ofertas e por apenas a décima parte dos dizimos, como uma oferta alçada. Quando afirmo que o dizimo não era dos sacerdotes, faço-o com base nas escrituras. Mas, mesmo que fosse, hoje na nova aliança não temos sacerdotes. Não segundo a linhagem Araônica que pela Lei deveriam ser sustentados pelos seus irmãos hebreus. E eu não sou hebreu.

      Assim como não existem sacerdotes, também não existem templos e nem altar. Logo, qualquer justificativa de querer pagar dízimos cai por terra. Acho que fui bem claro no atual estudo sobre quem foi quem criou e introduziu esse atual dizimo em dinheiro.

      E, quanto a circuncisão, era de se esperar a sua reação citando o que Paulo escreveu. Mas o mesmo Paulo que disse que a circuncisão nada é, precisou circuncidar a Timóteo em plena dispensação da graça (Atos 16.1,2). Contradição de Paulo? Não! Cumprimento de uma lei que não foi abolida e que até hoje os herdeiros de Abrão as obedecem.

      Excluir
    10. Prezado eu estou respondendo todos os seus questionamentos e contradições citados por você em(1Samuel 8.11-15) E complementarei como um todo para total entendimento (1 Samuel 8:10-22) Samuel transmitiu todas as palavras do Senhor ao povo, que estava lhe pedindo um rei,
      dizendo: "Isto é o que o rei que reinará sobre vocês reivindicará como seu direito: ele tomará os filhos de vocês para servi-lo em seus carros de guerra e em sua cavalaria, e para correr à frente dos seus carros de guerra.
      Colocará alguns como comandantes de mil e outros como comandantes de cinqüenta. Ele os fará arar as terras dele, fazer a colheita, e fabricar armas de guerra e equipamentos para os seus carros de guerra.
      Tomará as filhas de vocês para serem perfumistas, cozinheiras e padeiras.
      Tomará de vocês o melhor das plantações, das vinhas e dos olivais, e o dará aos criados dele.
      Tomará um décimo dos cereais e da colheita das uvas e o dará a seus oficiais e a seus criados.
      Também tomará de vocês para seu uso particular os servos e as servas, o melhor do gado e dos jumentos.
      E tomará de vocês um décimo dos rebanhos, e vocês mesmos se tornarão escravos dele.
      Naquele dia, vocês clamarão por causa do rei que vocês mesmos escolheram, e o Senhor não os ouvirá".
      Todavia, o povo recusou-se a ouvir Samuel, e disseram: "Não! Queremos ter um rei.
      Seremos como todas as outras nações; um rei nos governará, e sairá à nossa frente para combater em nossas batalhas".
      Depois de ter ouvido tudo o que o povo disse, Samuel o repetiu perante o Senhor.
      E o Senhor respondeu: "Atenda-os e dê-lhes um rei". Então Samuel disse aos homens de Israel: "Volte cada um para sua cidade".
      (1 Samuel 8:10-22) Não confunda os direitos de um rei no governo de uma Nação com o direito do dízimo que pertence a Deus.(Hb7:6) (Hb7:8)(Ml3:8) O dízimo instituído por Deus pode ser de tudo que possuímos. Na graça Paulo e os discípulos citavam a lei de Moisés para todos os cristãos sabia ?(1Co9:8-10) Eu concordo com Paulo você não ?? Você diz que não existe altar e Sacerdotes vamos conferir na bíblia e no N.T. ?? pois, andando pela cidade, observei cuidadosamente seus objetos de culto e encontrei até um altar com esta inscrição: AO DEUS DESCONHECIDO. Ora, o que vocês adoram, apesar de não conhecerem, eu lhes anuncio.(Atos17:23) Você viu Paulo condenando ou derrubando algum Altar erguido a Deus fora de Israel ? Deram-me um caniço semelhante a uma vara de medir e me disseram: "Vá e meça o templo de Deus e o altar, e conte os adoradores que lá estiverem.(Ap11:1) Outro anjo, que trazia um incensário de ouro, aproximou-se e ficou em pé junto ao altar. A ele foi dado muito incenso para oferecer com as orações de todos os santos sobre o altar de ouro diante do trono.(Ap8:3) Quando ele abriu o quinto selo, vi debaixo do altar as almas daqueles que haviam sido mortos por causa da palavra de Deus e do testemunho que deram. (Ap 6:9) Você viu a ordem do Sacerdócio de Melquisedeque e a ordem de sacerdócio levítica sem mandamento , sem dízimo e sem Altar ?? (Hb5:9-10) (Hb7:13) Prezado , é um despreparo enorme de sua parte afirmar que não existem templos , sacerdotes e altar. Vou te recomendar antes de você postar tais informações do tipo "Não existe isso ou aquilo" ou "Será isso ou aquilo" e antes de ler bíblia e antes de elaborar os "seus estudos" leia mas leia muito o wikipédia e estude sobre revisão sistemática sobre respectivo assunto e não irá entrar em tantas contradições e não vai acusar sem prova de textos isolados. E por favor volte se esforce e volte a sala de aula(supletivo) conclua ao menos o ensino fundamental se possível também o ensino médio isso vai lhe ajudar muito. Com todo respeito Não sei quem está mais perdido um cego em tiroteio ou você. Tenha uma conversão verdadeira Jesus Cristo amigo recomendo.

      Excluir
    11. Isso vai longe,

      Você me manda fazer revisão sistemática e até consultar a Wikipedia. Ok. Mas acho que você precisa também conhecer um pouco de história. Se o fizer, vai ver que a prática do dízimo é muito anterior a Abrão e, quando ele o praticou, o fez por ser algo que ele já conhecia e que era praticado dentre os povos de onde saiu. E entre os povos antigos, era costume dos reis pagãos cobrarem dízimos de seus súditos. Costume esse que o primeiro rei de Israel se basearia, como adiantou Deus para Samuel.

      Me chama de contraditório e vem usar uma profecia de Apocalipse que se refere ao futuro templo celestial para ratificar a ideia que existem templos na atualidade. E pior, vem usar o texto de que mostra Paulo visitando uma cidade grega que erguia templos a ídolos, como era o caso de Diana, a deusa dos efésios. E coincidentemente havia um grupo de pessoas que imitando o costume pagão dos efésios, levantaram um santuário e um altar dedicando ao Deus desconhecido, o que Paulo aproveitou para anunciar a Jesus. Mas você não citou o restante do verso em que Paulo categoricamente afirma: "O Deus que fez o mundo e tudo que nele há, sendo Senhor do céu e da terra, não habita em templos feitos por mãos de homens" (Atos 17.24); confirmando mais uma vez que se isola em textos para expor suas crenças.

      Repito mais uma vez Anônimo seja lá quem for. Na atualidade não existem templos e nem altar, pois a habitação de Deus é no corpo do crente. Corpo esse que é o altar espiritual, como diz: "Temos um altar, de que não têm direito de comer os que servem ao tabernáculo." (Hebreus 13 : 10)

      Então Anônimo, se você for um pastor que entende que tem de ser sustentado por dízimos, aconselho-o a procurar um emprego e ganhar seu sustento honestamente como eu faço.

      Excluir
    12. Eu não tenho mais nada a declarar a respeito do dízimo porque sei que é de tudo e porque bem sei que pertence a Deus. Vou mostrar a verdade sobre a palavra templo para você ver com os seus olhos que templo , Igreja , não tem somente um significado como poucos erroneamente acreditam. Só esse versículo já diz por si só Porque Deus não é Deus de confusão, senão de paz, como em todas as igrejas dos santos.(1Co14:33) Olhai, pois, por vós, e por todo o rebanho sobre que o Espírito Santo vos constituiu bispos, para apascentardes a igreja de Deus, que ele resgatou com seu próprio sangue.(At20:28) "Escrevo isto para que, no caso de eu tardar,saibas como se deve proceder na casa de Deus,a qual é a igreja do Deus vivo,coluna e esteio da verdade."(1Tm3:15) "E a uns pôs Deus na igreja, primeiramente apóstolos, em segundo lugar profetas, em terceiro mestres, depois operadores de milagres, depois dons de curar, socorros, governos, variedades de línguas."(1Cor12:28) (Ef4:11) Pois a Igreja é o Corpo de Cristo; é nela que Cristo está completamente presente, ele completa todas as coisas em todos os lugares. (Ef1:23) Obedeçam aos seus líderes e sigam as suas ordens,pois eles cuidam sempre das necessidades espirituais de vocês porque sabem que vão prestar contas disso a Deus. Se vocês obedecerem,eles farão o trabalho com alegria; mas,se vocês não obedecerem,eles trabalharão com tristeza,e isso não ajudará vocês em nada (Hb13:17)" Não aceite nenhuma acusação contra qualquer presbítero, a não ser que ela seja feita por duas testemunhas, pelo menos.(1Tm5:19) Todo aquele que não permanece no ensino de Cristo,mas vai além dele,não tem Deus;quem permanece no ensino tem o Pai e também o Filho.(2Jo 1:9) Todos os insubmissos como você que não acreditam nas igrejas e nos pastores e querem descredenciar o dízimo como preceito da igreja não tem nenhum crédito no que diz , pois esses ensinamentos dízimo , congregar dentro da igreja , e ser submisso ao autoridade de pastores dentro da Igreja jamais foram ab-rogados e sim confirmados por Deus e por seu filho Jesus Cristo. A palavra igreja (do grego ἐκκλησία, ekklēsía, significando "assembleia","convocação") utiliza-se para descrever não apenas uma comunidade religiosa cristã mas também a construção usada para serviços religiosos públicos, dedicando-se geralmente aos do culto cristão. Outro termo para definir o edifício dedicado ao culto cristão é templo.fonte wikipédia Deus pode agir e salvar e manifestar milagres dentro dos templos.(Igrejas) Não foi os pastores que instituíram templos (igrejas) casa de oração , casa de Deus e sim o próprio Deus. deus errou por instituir pastores e congregar dentro de igrejas ?? Não erra e peca quem está fora delas e fazem de tudo para que outros não congreguem nelas. Recomendo que veja o vídeo: Existe Templo No Novo Testamento? Duração 22 minutos. Reveja os seus equivocados conceitos sobre templo , igreja e dízimo. Não ficou surpreso com esse vídeo ?? veja outro vídeo : Neil Barreto Dízimos e Ofertas. É melhor uma verdade que machuca do que uma mentira disfarçada de verdade.

      Excluir
    13. Acho que você está associando igreja com templo (construção de madeira, cimento, ferro, etc). Tá redondamente enganado meu caro. Igreja do grego Ecklesia,tem um significado ainda maior que simplesmente assembleia, significa também TIRADOS PARA FORA. Foi exatamente isso que Jesus fez quando edificou sua IGREJA. Tirou suas ovelhas de dentro da religião com seus templos e altares para FORA."E por isso também Jesus, para santificar o povo pelo seu próprio sangue, padeceu fora da porta. Saiamos, pois, a ele fora do arraial, levando o seu vitupério" (Hebreus 13.12,13). Aí você vê a razão porque apedrejaram estevão até a morte. Ele falou essa dura verdade que os religiosos alienados não gostam de ouvir: Que Deus não habita em templos feitos por mãos de homens.

      Sabe porque não gostam de ouvir e nem querem aceitar? Porque FORA não tem como justificar o pedir DIZIMOS E OFERTAS. E mais, dentro dos templos é fácil os lobos devorarem as ovelhas, pois elas não tem para onde correr. Por isso que Jesus veio para tirar suas ovelhas para fora."E, quando tira para fora as suas ovelhas, vai adiante delas, e as ovelhas o seguem, porque conhecem a sua voz." (João 10 : 4)

      Só saem fora aqueles que ouvem a voz do bom pastor. Ainda bem que eu ouvi.

      "Não foi os pastores que instituíram templos (igrejas)". Não, não foi mesmo. Mas não foi Deus também. Foi ROMA, ou melhor a IGREJA MÃE, a Católica Romana quem instituiu os templos como casa de Deus indo de contra a determinação de Deus.

      "Não sabeis vós que sois o templo de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós? Se alguém destruir o templo de Deus, Deus o destruirá; porque o templo de Deus, que sois vós, é santo" (1Cor 3.16,17). "E que consenso tem o templo de Deus com os ídolos? Porque vós sois o templo do Deus vivente, como Deus disse: Neles habitarei, e entre eles andarei; e eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo." (2Cor 6.16)

      Ai você me vem falando de Neil Barreto? Vamos falar sério sr Anônimo.

      Excluir
    14. Existia IGREJA MÃE na época dos apóstolos ?? Tá bom é tudo culpa de roma e de Carlos Magno vou fazer de conta que acredito. Você acredita em NAVE MÂE ? sabe o que é ?? Na ficção científica é essa NAVE MÂE que comanda os discos voadores e os seus supostos ovnis. Na ciência é algo que eles desconhecem porque nunca puderam provar. Como a ciência nunca pode provar o homem é ancestral do macaco. A bíblia diz que vc é macaco ou é homem ? Se eu acreditasse que sou ancestral de um macaco o Deus que eu sigo também é um Deus macaco porque somos feito imagem e semelhança dele. Não creio em suposições em achismos. Prefiro dar crédito ao vídeo 1) Existe Templo No Novo Testamento? Duração 22 minutos. e ao vídeo 2) Neil Barreto Dízimos e Ofertas. Ao menos eu sei que eles falam a verdade.

      Excluir
    15. Kkkkkk

      A igreja na era dos apóstolos era UMA e UNA. No primeiro indicio de divisão que aconteceu em Corinto, quando uns ficaram do lado de Paulo, outros de Apolo e outros de Cefas (Pedro), Paulo tratou logo de corrigir o problema. "Está Cristo dividido? foi Paulo crucificado por vós? ou fostes vós batizados em nome de Paulo?" (I Coríntios 1:13).

      Assim, a igreja permaneceu uma só, embora houvesse crentes em vários lugares, mas a igreja era UNA e seguia apenas UMA doutrina. Mas, morrendo os apóstolos, Roma entra em cena. Então, ela dá o nome a igreja de Católica Romana e passa a construir templos conforme o seu costume pagão. E para nos templos põe os clérigos para administrarem sobre os fiéis. E para pagar o salário dos clérigos inventa esse dizimo que vocês tanto amam que é dinheiro, pois fartamente já mostrei aqui neste blog que dizimo bíblico nunca foi dinheiro.

      Seguindo essa doutrina que Roma criou, vocês religiosos testemunham que estão ao lado dela, obedecendo suas tradições. Você pergunta se existia igreja mãe no tempo dos Apóstolos. Não! Mas a João foi revelado que no futuro haveria. "E na sua testa estava escrito o nome: Mistério, a grande Babilônia, a mãe das prostituições e abominações da terra." (Apocalipse 17 : 5). É de consenso de todos os estudiosos das escrituras que Babilônia aqui representada pela MÃE DAS PROSTITUIÇÕES E ABOMINAÇÕES da terra, é a igreja que Roma fundou.

      Existe templo no novo testamento. Não encontramos em nenhuma parte a igreja primitiva construindo ou se congregando em templos. Mas atualmente existem sim, e não são poucos. Existem templos de todas a s formas e para todos os credos. Mas em nenhum deles Deus habita, pois sua casa somos nós, os que cremos. "Mas Cristo, como Filho, sobre a SUA PRÓPRIA CASA; A QUAL CASA SOMOS NÓS, se tão somente conservarmos firme a confiança e a glória da esperança até ao fim." (Hebreus 3 : 6).

      Mas você não é obrigado a acreditar no que eu digo. Siga acreditando no que o Neil Barreto ensina, pois nele eu não acredito.

      Excluir
    16. O seu engano é gritante "Não encontramos em nenhuma parte a igreja primitiva construindo ou se congregando em templos." Os discípulos se reuniam dentro do templo , sinagogas e igrejas cristãs (At2:46)(At11:25-26) (At25:9-11) (1Co14:33) (1Tm3:15) Não tenho mais nada mais a declarar. (Gl1:9)(Tt3:10-11)(1Tm5:20)

      Excluir
    17. Sinceramente Marcelo,

      Se meu engano é gritante; sua ignorância em relação as escrituras é aberrante. Os discípulos se reuniam sim no templo, mas enquanto este ainda estava de pé. E somente os discípulos judeus faziam isso, por causa do seus costume. Porém, os crentes gentios não podiam entrar no templo, pois a Lei do judaísmo não permitia isso, para aquele lugar, considerado santo não fosse profanado por pagãos. Porém, depois da cura do coxo na porta do templo chamada formosa, os fariseus chegaram a propor que os discípulos judeus não mais falassem no nome de Jesus, o que eles recusaram. A partir daí, não mais puderam entrar no templo. Mais isso não fez diferença nenhuma para eles, pois já sabiam que Deus não mais habitava alí, como não habita em nenhum desses que hoje existem.

      Espero mesmo que não me declare mais nada, pois irei refutar todas.

      Excluir
    18. Prezado , com todo respeito. Não tenho mais nada mais a declarar. (Gl1:9)(Tt3:10-11)(1Tm5:20)

      Excluir
    19. Você disse: "Siga acreditando no que o Neil Barreto ensina, pois nele eu não acredito." Cuidado !!! você deve avisar "aos seus seguidores" e supostos crentes do Novo Testamento que você nem eles não podem citar nada que venham do Antigo testamento(Sl91:1-16) E nenhum das centenas de textos do Antigo testamento que estão explicitamente escritos no Novo testamento. E quando vocês citam e refutam (Mt23:23) porque não tem mais validade para vocês e era só para fariseus e não tinha validade alegando esse texto fora de contexto: Porque onde há testamento, é necessário que intervenha a morte do testador.
      Porque um testamento tem força onde houve morte; ou terá ele algum valor enquanto o testador vive?(Hb9:16,17) Em (Mt23:23) A misericórdia , a justiça , a fé também não deve ter validade para vocês junto com o dízimo antes da morte do testador.(Hb9:16,17) Depois que o testador morre querem de qualquer maneira invalidar o dízimo e querem manter uma aparente justiça , misericórdia e fé sem o dízimo. Isso é pretexto para heresia. Neil Barreto que está certo , quando ele afirma que quem não quer praticar o dízimo porque é coisa do Antigo testamento , também não deve praticar nada do que é do Antigo Testamento e nada do que está na lei de Moisés.

      Excluir
    20. Kkkkkk

      Não tenho seguidores, caro Anônimo. Tenho irmãos e companheiros que igual mim seguem o Messias. E, para sua informação, cada dia esse número de irmãos e companheiros aumentam, sendo inclusive pastores cuja venda estão caindo pela exposição da Palavra da Verdade. Todo dia recebo mensagens em meu e-mail de pessoas que acessando este blog se depararam com uma realidade totalmente diferente do que se ensina nas instituições. Todos me agradecem pela grande contribuição de conhecimento que meu blog proporciona. Não é a toa que os religiosos cada dia me odeiam e querem minha cabeça. Mas sigo emfrente olhando para o alvo.

      Quanto as suas críticas, eu entendo perfeitamente como se sente. "Porque nada podemos contra a verdade, senão pela verdade." (2Coríntios 13.8).

      E, quanto a justiça, misericórdia e fé, fui bem claro que são princípios eternos e imutáveis, que fazem parte da natureza de um Deus justo, misericordioso e imutável. Quanto ao dizimo, fui claro que ele era um rito cerimonial que fazia parte das festas religiosas de Israel, como páscoa, tabernáculos e pentecostes. Essas festas não nos dizem respeito e nem seus ritos cerimoniais.

      Mas, se você entende que em Mateus 23.23, Jesus aprova a prática do dizimo, conforme ordenou os fariseus praticarem, então continue fazendo. Mas faça direito! Siga o exemplo dos fariseus que dizimavam em HORTELÃ, ENDRO e COMINHO. Não dizime em dinheiro para não ir contra o que Jesus ensinou.

      Bom dia e continue seguindo Neil Barreto que continuarei seguindo Cristo e Sua Palavra.

      Excluir
    21. Prezado , 1º (Mt23:23) foi dito por Jesus sob a ótica da Antiga Aliança sim, porém aplicando um princípio mais profundo para nossas vidas, pois Jesus não veio destruir a lei, mas cumprir(Mt5:17) Jesus fez isto outras vezes (Mt5:21-22, 27-28 , 38-39 e 43-44)


      2º Mateus foi escrito aproximadamente 50 D.C, portanto dentro da nova aliança. Logo, este relato é importante para a nova aliança.

      3º Tudo que Jesus ordenou deveria ser ensinado na nova aliança (Mt28:20) (Mt4:23) Só(Mt23:23) já serve para provar o dízimo no novo testamento.

      E para o seu "errôneo entendimento" o dízimo não é rito ou lei cerimonial como você diz. Você pode mostrar 1(um) só versículo confirmando que o dízimo é rito ou lei cerimonial ??Mostre-me se puder ou quiser , e eu lhe darei razão !

      Excluir
    22. Até quando?

      Sr Anônimo, os seus argumentos demonstram total falta de conhecimento de sua parte em relação as escrituras. E por essa falta de conhecimento o povo de Deus no passado foi destruído (Oseias 4.6). O triste é vermos que isso se repete atualmente.

      O que você entende por cumprir a Lei e não destruir? Eu sempre defendo que a Lei continua em sue vigor, pois Cristo não veio aboli-la. E, quanto a cumprir, entenda que nesse cumprimento da Lei, Jesus não podia desobrigar os judeus de praticarem os ritos que faziam parte dessa Lei. Por isso, ordenou os fariseus continuarem pagando o dizimo naquilo que a Lei pedia que era os produtos extraídos da terra. E veja que no cumprimento da Lei Jesus não manda os fariseus darem dizimo em dinheiro, pois a Lei não aceitava isso. É difícil de entender não é? É por que o "deus" deste século cegou o entendimento dos incrédulos (2Cor 4.4). E o deus deste século é MAMON. Por isso, muitos não compreendem a graça de Deus que foi-nos revelada nestes últimos tempos.

      "3º Tudo que Jesus ordenou deveria ser ensinado na nova aliança (Mt28:20) (Mt4:23) Só(Mt23:23) já serve para provar o dízimo no novo testamento". Ei, Jesus mandou o jovem rico vender TUDO o que tinha e dsitribuir entre os pobres para depois segui-lo (Mt 19.21). Você já fez isso sr. Anônimo? Ou faz o contrário recebendo até o pouco que o pobre tem?

      "E para o seu "errôneo entendimento" o dízimo não é rito ou lei cerimonial como você diz. Você pode mostrar 1(um) só versículo confirmando que o dízimo é rito ou lei cerimonial ??Mostre-me se puder ou quiser , e eu lhe darei razão !"

      Sei que nunca vai me dar razão, mas vou postar, não só um, mas alguns pra mostrar esse rito:

      Deuteronômio 26.12-17
      12 Quando acabares de separar todos os dízimos da tua colheita no ano terceiro, que é o ano dos dízimos, então os darás ao levita, ao estrangeiro, ao órfão e à viúva, para que comam dentro das tuas portas, e se fartem;
      13 E dirás perante o SENHOR teu Deus: Tirei da minha casa as coisas consagradas e as dei também ao levita, e ao estrangeiro, e ao órfão e à viúva, conforme a todos os teus mandamentos que me tens ordenado; não transgredi os teus mandamentos, nem deles me esqueci;
      14 Delas não comi no meu luto, nem delas nada tirei quando imundo, nem delas dei para os mortos; obedeci à voz do SENHOR meu Deus; conforme a tudo o que me ordenaste, tenho feito.
      15 Olha desde a tua santa habitação, desde o céu, e abençoa o teu povo, a Israel, e a terra que nos deste, como juraste a nossos pais, terra que mana leite e mel.
      16 Neste dia, o SENHOR teu Deus te manda cumprir estes estatutos e juízos; guarda-os pois, e cumpre-os com todo o teu coração e com toda a tua alma.
      17 Hoje declaraste ao SENHOR que ele te será por Deus, e que andarás nos seus caminhos, e guardarás os seus estatutos, e os seus mandamentos, e os seus juízos, e darás ouvidos à sua voz.

      Me diz aí se você obedece esse mandamento como rito cerimonial da Lei? A cada três anos você dá os dízimos aos pobres como ordena a Palavra? Depois de obedecer todo o cerimonial ainda faz a oração confirmando a Deus que obedeceu tudo o que ele ordenou?

      Não precisa responder, pois sei que não faz esse RITO CERIMONIAL.

      Excluir
    23. "Dízimo nunca foi RITO CERIMONIAL" O rico não queria perder tudo porque confiava na sua riqueza , mas os insubordinados como você e que não querem obedecer o mandamento moral de Deus não tem desculpa eles a inventam e levam outros pelo mesmo caminho da porta larga.

      Excluir
    24. Ah, então você não obedece a Jesus em vender todos os seus bens e dá-los aos pobres, por entender que Jesus estava falando particularmente com o rico que não queria perder tudo, porque confiava em sua riqueza? Mas no que diz respeito a censura de Jesus aos fariseus que davam o dizimo em Hortelã, endro e Cominho, você quer incluir-se e os demais cristãos, como sendo um mandamento para nós? Confuso não?

      Agora me diga uma coisa, quais são as leis morais e onde o dizimo está inserido nesta categoria? Vou esperar a resposta.

      Excluir
    25. 1º Jesus mandou os cristãos venderem tudo e dar aos pobres ? Jesus mandou os Pastores venderem tudo e dar ao pobres ? Ele mandou o jovem rico porque "esse" confiava em suas riquezas e não em Jesus.

      2º Mateus foi escrito aproximadamente 50 D.C, portanto dentro da nova aliança. Logo, este relato é importante para a nova aliança.

      3º Tudo que Jesus ordenou deveria ser ensinado na nova aliança (Mt28:20) (Mt4:23) Só(Mt23:23) já serve para provar o dízimo no novo testamento. Mas como eu sei que você não se contenta que o dízimo de tudo.(Lc18:12) Então pare de praticar o juízo, a misericórdia e a fé;(Mt23:23) juntamente com o dízimo e não exclua somente o dízimo , exclua o juízo a misericórdia e a fé também (Mt23:23) Porque vos digo que, se a vossa justiça não exceder a dos escribas e fariseus, de modo nenhum entrareis no Reino dos Céus.(Mt5:20)

      4º Confusos e perdidos ficam os que contribuem com avareza(2Co9:5) E ensinam também como roubar a Deus em seu mandamento moral(Ml3:8) (1Co6:9-10) E por consequência ficam fora do reino de Deus.

      Excluir
    26. Se perdeu em contradição.

      Estou aguardando a resposta. Quais a leis morais e onde o dizimo como mandamento está inserido nesta categoria.

      Excluir
    27. Dizimo em Malaquias mandamento moral de Deus? Esse povo é cego. O deus deste século cegou esse pessoal, só pode ser..

      Excluir
  2. Reginaldo, Misericórdia e Paz!É assim mesmo!você é apedrejado por falar a verdade!Mas fique firme!Com certeza muitos foram beneficiados com esse estudo!Eu fui um deles!Fica nesta força, que Deus vai te abençoar!

    Abraços

    ResponderExcluir
  3. Olá amados viemos aqui fazer um apelo
    Eu e minha esposa estamos ajudando moradores rua com refeições
    Por isso viemos aqui pedindo uma ajuda de um valor simbólico de 10 reais ou com o valor q poder ajudar temos um grupo no watzap com fotos de umpouco do nosso dia dia
    051991863126
    Deus os abençoe

    ResponderExcluir