Páginas

segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

Melquisedeque Abençoa a Abrão


Texto Áureo:
"E abençoou-o, e disse: Bendito seja Abrão pelo Deus Altíssimo, o Possuidor dos céus e da terra"; (Gênesis 14 : 19).

INTRODUÇÃO

A lição desta semana da Escola Dominical editada pela CPAD traz como tema: MELQUISEDEQUE ABENÇOA A ABRÃO, tendo como comentarista o Pr. Claudionor de Andrade. A lição nos fornece ricas informações a respeito de Melquisedeque e Abraão nos dois primeiros tópicos. Porém, igual aos crentes de Beréia, também analiso aquilo que é ensinado, comparando com os textos sagrados. Por causa disso, não sou mais recebido nas congregações, contudo, tenho acompanhado e ministrado as lições nas casas dos irmãos, exortando-os a analisarem cuidadosamente as referências citadas, uma vez que as escrituras rezam que o povo perece por falta de conhecimento (Oséias 4 : 6). E analisando esta lição, deparei com uma contradição no terceiro tópico que fala sobre a OCASIÃO DA BÊNÇÃO, qual gostaria de comentar e, de certa forma refutar tal pensamento, uma vez que o mesmo vai de encontro com o que diz a Palavra de Deus.

Vou transcrever o que diz o tópico da lição:

1. Objetivo da visita. Depois de uma vitória tão decisiva, Abraão, já nas imediações de Salém, agradece a Deus ao ser recepcionado por Melquisedeque. O maior recebe o menor (Hb 7.7). O patriarca sabia muito bem que estava diante do sacerdote do Deus Altíssimo. Por isso, reverencia-o com os dízimos de seus bens pessoais e não dos despojos de guerra, já que se recusou a recebê-los (Gn 14.20). Verdadeira adoração e serviço a Deus. Que exemplo para nós.

Certamente que o tema fala da visita de Melquisedeque a Abraão, que até então se chamava Abrão. Ele (Abrão) retornava vitorioso de uma guerra, onde num lugar chamado vale de Savé ou vale do rei teve a visita, não somente de Melquisedeque, mas do rei de Sodoma. E, o primeiro que lhe foi ao encontro foi rei de Sodoma: “E o rei de Sodoma saiu-lhe ao encontro (depois que voltou de ferir a Quedorlaomer e aos reis que estavam com ele) até ao Vale de Savé, que é o vale do rei” (Gênesis 14 : 17). Este rei, cujo nome era Bera, foi encontra-lo com o objetivo de barganhar com Abrão, como veremos mais adiante. Mas Melquisedeque foi com o objetivo de abençoar Abrão e agradecer a Deus por ele haver realizado tão grande feito, derrotando o inimigo. Em Genêsis 14 : 18 aparece pela primeira vez o nome de Melquisedeque, mas a bíblia não diz que Abrão sabia que ele era sacerdote, pois não se conheciam. Ainda sobre Melquisedeque a bíblia diz que ele era um rei justo. E como tal, se alegrou grandemente pela vitória de Abrão sobre os reis tiranos que oprimiam os povos da região. Ao retornar da batalha, Abrão passava pelos domínios de Melquisedeque (Salém)e este foi até ele com o  Objetivo de  felicita-lo e também abençoá-lo, por trazer a paz e a tranquilidade aqueles povos, quando matou os reis tiranos liderados por Quedorlaomer, rei de Elão.

“E abençoou-o, e disse: Bendito seja Abrão pelo Deus Altíssimo, o Possuidor dos céus e da terra;  E bendito seja o Deus Altíssimo, que entregou os teus inimigos nas tuas mãos. E Abrão deu-lhe o dízimo de tudo” (Gêneis 14 : 19 , 20).
E quando a bíblia diz que Abrão deu a Melquisedeque o dizimo de tudo, em momento algum fala que foi dos bens pessoais de Abrão, como é enfatizado na lição. A bíblia diz que Abrão era muito rico: “E era Abrão muito rico em gado, em prata e em ouro” (Gênesis 13 : 2). Porém, Abrão ao ir para a guerra não levou essas riquezas com ele. Nem mesmo para mantimento de seus soldados, pois estes vieram a alimentar-se de parte dos despojos conquistados por Abrão na guerra (Gênesis 14 : 24). Contrariando o comentário da lição, a bíblia é clara e explícita em afirmar que Abrão deu sim os dízimos dos despojos da guerra. "Considerai, pois, quão grande era este, a quem até o patriarca Abraão deu os dízimos dos despojos." (Hebreus 7 : 4).

Mas Abrão não deu o dízimo de tudo? Nesse “tudo” não pode estar incluído seus bens pessoais? Não! Aqueles povos seguiam certos costumes, onde alguns deles foram incorporados à lei 400 anos mais tarde. A circuncisão, o dizimo e as administrações dos despojos de guerra eram alguns deles.

O que a bíblia diz sobre os despojos de guerra: (Deuteronômio 20 : 10 – 14):

10  Quando te achegares a alguma cidade para combatê-la, apregoar-lhe-ás a paz.
11  E será que, se te responder em paz, e te abrir as portas, todo o povo que se achar nela te será tributário e te servirá.
12  Porém, se ela não fizer paz contigo, mas antes te fizer guerra, então a sitiarás.
13  E o SENHOR teu Deus a dará na tua mão; e todo o homem que houver nela passarás ao fio da espada.
14  Porém, as mulheres, e as crianças, e os animais; e tudo o que houver na cidade, todo o seu despojo, tomarás para ti; e comerás o despojo dos teus inimigos, que te deu o SENHOR teu Deus.

Atente o leitor que os despojos de uma guerra eram compostos por bens materiais e também de almas humanas, principalmente mulheres e crianças. Veja o que Abrão trouxe como despojo da guerra: “E tornou a trazer todos os seus bens, e tornou a trazer também a Ló, seu irmão, e os seus bens, e também as mulheres, e o povo” (Gênesis 14 : 16). Então, quando Abraão deu a Melquisedeque o dízimo de tudo, estavam inclusas as pessoas também. Eis o motivo pelo qual o rei de Sodoma foi o primeiro a ir ao encontro de Abrão no vale de Savé. Vejam o que ele pediu a Abrão: “E o rei de Sodoma disse a Abrão: Dá-me a mim as pessoas, e os bens toma para ti” (Gênesis 14 : 21). Porém, Abrão, depois que entregou o dizimo de tudo (10%) dos despojos a Melquisedeque, entregou o restante a Bera, não ficando com nada, testificando assim que aquelas bênçãos não lhe pertenciam, apesar de por direito de guerra ser tudo dele.

Gênesis 14 : 22 – 24:
22 Abrão, porém, disse ao rei de Sodoma: Levantei minha mão ao SENHOR, o Deus Altíssimo, o Possuidor dos céus e da terra,
23 Jurando que desde um fio até à correia de um sapato, não tomarei coisa alguma de tudo o que é teu; para que não digas: Eu enriqueci a Abrão;
24 Salvo tão-somente o que os jovens comeram, e a parte que toca aos homens que comigo foram, Aner, Escol e Manre; estes que tomem a sua parte.

Isto sim é um exemplo para nós, legado por Abraão, nosso pai na fé. Quantos hoje poderiam imitá-lo nesse ato de justiça?

Ainda quanto ao dízimo de tudo dado a Melquisedeque, temos que considerar que além de sacerdote, Melquisedeque era rei. Muitos entendem que Melquisedeque recebeu o dízimo de Abrão como sacerdote, ignorando que a bíblia ensina que os reis também recebiam dízimos (1Samuel 8 : 15 , 17), principalmente dos estranhos que cruzavam seus domínios. Costume esse que foi observado até nos tempos de Jesus (Mateus 17 : 24 – 27).

Quero concluir esse subsídio, citando o que o historiador judeu Flávio Josefo em sua obra denominada a História dos Hebreus, relata sobre o encontro dos reis Bera e Melquisedeque com Abrão:

“O rei de Sodoma veio até ele no lugar a que chamam Campo Real, onde o rei de Salém, que agora é Jerusalém, o recebeu com grandes demonstrações de estima e de amizade. Esse príncipe chamava-se Melquisedeque, isto é, "rei justo". E ele era verdadeiramente justo, pois a sua virtude era tal que, por consentimento unânime, havia sido feito sacerdote do Deus Todo-poderoso. Ele não se contentou em receber apenas a Abraão, mas também a todos os seus.

Deu-lhes, no meio dos banquetes que realizou, os louvores devidos à sua coragem e virtude e prestou a Deus públicas ações de graças por tão gloriosa vitória. Abraão, por sua vez, ofereceu a Melquisedeque a décima parte dos despojos que tomara dos inimigos, e este aceitou, já o rei de Sodoma, ao qual Abraão ofereceu também parte dos despojos, teve dificuldade em receber a oferta, contentando-se com a parte de seus súditos. Mas Abraão o obrigou a receber tudo, reservando-se somente alguns víveres para os seus homens e uma parte dos despojos para os seus três amigos, Escol, Aner e Manre, que o haviam acompanhado.

Esse ato generoso de Abraão foi tão agradável aos olhos de Deus que Ele afirmou que não o deixaria sem recompensa, pelo que Abraão respondeu: "E como, Senhor, os vossos benefícios me poderiam dar alegria, pois que não deixarei a ninguém depois de mim que deles possa gozar e possuí-los?" Ele ainda não tinha filhos. Então Deus prometeu que lhe daria um filho e que a sua posteridade seria tão grande que igualaria o número das estrelas”.

(História dos Hebreus 10 : 27 , 28).

Em Cristo,

Reginaldo Barbosa
Santa Bárbara do Pará


27 comentários:

  1. Respostas
    1. Olá Marcelo,

      Bom te ver de novo por aqui. Voce cita Gn 24:35 que diz:"E o SENHOR abençoou muito o meu senhor, de maneira que foi engrandecido, e deu-lhe ovelhas e vacas, e prata e ouro, e servos e servas, e camelos e jumentos".

      Espero que tenhas entendido o assunto, pois foi isso mesmo que eu falei aqui. Abrão era muito rico e tinha de tudo, mas não foi das riquezas que tinha que tirou os dizimos e os deu a Melquisedeque.

      Abraços.

      Excluir
    2. Abraão jamais entregaria a Melquisedeque 10% de algo ilícito ou que não lhe pertencia.

      Excluir
    3. Abrão deu o dizimo de despojos daquilo que pertencia aos habitantes de Sodoma e demais cidades que foi levado por Quedorlaomer e seus aliados. Abrão ao voltar vitorioso, trouxe de volta esses despojos e deles de TUDO deu 10% a Abrão.

      Leia com cuidado o capítulo 14 de Gênesis, pois só tem 24 versos. Não vai cansar nem enfadar. Quem lê aprende.

      Abraços.

      Excluir
    4. por direito os dspojos pertence ao vencedor , ou por instrução de Deus os despojos poderia ser destruido , o que nao é o caso

      Excluir
    5. Isso só foi estabelecido na lei, 400 anos depois de Abrão. Mas como eu enfatizei, o dizimo de Abrão foi um ato profético, assim como o ato de Melquisedeque dar pão e vinho a Abrão.

      Excluir
    6. por direito hoje também os gentios que ministram podem receber

      Excluir
    7. pessoas não estavam inclusas nos 10% que melquisedeque recebeu

      Excluir
    8. 1Corintios 9:11,12:

      11 Se nós vos semeamos as coisas espirituais, será muito que de vós recolhamos as carnais?
      12 Se outros participam deste poder sobre vós, por que não, e mais justamente, nós? Mas nós não usamos deste direito; antes suportamos tudo, para não pormos impedimento algum ao evangelho de Cristo.

      O que Paulo com o apóstolo dos gentios está ensinando aqui. Ele está fazendo mais uma vez o comparativo de como era sustentado o sacerdote levita que deveria comer das OFERTAS que se colocava no altar (1Cor 9:13), com o ministro do evangelho que deva se contentar com aquilo que receber quando estiver em missão, conforme ordenou Jesus (Lc 10.7). Quem eram esses outros? Os judaizantes que entendiam que ainda podiam viver conforme ordenava a lei. Mas, em relação ao obreiro gentio, veja o que Paulo diz: "Mas nós não usamos deste direito; antes suportamos tudo, para não pormos impedimento algum ao evangelho de Cristo" (1Cor 9.12b).

      Decerto que o maior impedimento ao evangelho hoje não é externo, ou seja, não provém das perseguições, mais daqueles que cobram para pregar o que Deus ordenou entregar de graça.

      Excluir
    9. antes dos dez% ser entregue ouve uma separação Hb7;2

      Excluir
    10. antes dos dez% ser entregue ouve uma separação Hb7;2

      Excluir
    11. O escritor aos hebreus não está detalhando o que aconteceu no vale de Savé onde Melquisedeque foi encontrar Abrão, apenas reiterando a importância da figura de Melquisedeque que representava o sacedócio de Cristo que é superior e eterno. Gênesis 14 conta com detalhes o que aconteceu e mostra que Abrão deu 10% dos DESPOJOS a Melquisedeque e não de seus bens pessoais.

      Excluir
    12. VERBO PAGAR NINGUÉM PAGA COM O QUE NÂO LHE PERTENCE POR DIREITO , Hb7;4

      Excluir
    13. Eu tenho sempre falado para o povo procurar obter uma bíblia com linguagem confiável. A maioria das versões foi adulterada pela conveniência dos seus copistas que na maioria são "pastores".

      Eis aqui o verso de Hb 7.4 na versão fiel ao texto original:

      "Considerai, pois, quão grande era este, a quem até o patriarca Abraão deu os dízimos dos despojos" (Hb 7.4).

      Observe que aqui não tem o verbo PAGAR, mas DAR o que muda todo um contexto.

      Excluir
    14. "E, por assim dizer, pode-se entender que Levi, que recebe os dízimos, entregou-os por meio de Abraão" (Hebreus 7:9 KJ).

      Excluir
    15. Mas entregar não é pagar.

      ENTREGAR: ceder, oferecer, doar, dar, conceder, transferir, consignar, conferir, emprestar, alienar, vender, passar às mãos.

      PAGAR: premiar, remunerar, recompensar, gratificar, indenizar, ressarcir, reembolsar, restituir.

      Porque Abrão entregou dizimos por Levi? No fututo, quando Israel se consolidasse como nação e tomasse posse da terra prometida, todas as doze tribos deveriam honrá-lo com as primícias desta terra, dando-lhe o dizimo dela tirado. Mas a tribo de Levi que foi separada para exercer o sacerdócio, não recebeu herança na terra. A tribo de Levi não tinha como trabalhar na terra para produzir e dela tirar o dízimo. Então, como haveria ele de dar os dízimos da terra ao Senhor? Deus que conhece todas as coisas providenciou isso por meio de Abrão muito tempo antes. Assim Abrão antecipadamente entregou os dizimos que Levi deveria dar.

      Hoje, eu faço parte de um reino sacerdotal muito superior ao de Levi. Jesus ao se entregar na cruz quitou com seu sangue a dívida que eu tinha com a lei e com o pecado e hoje não devo nada. Minha única dívida é o amor com qual preciso amar meu semelhante (Rm 13.8). Que Deus maravilhoso esse que eu tenho que não me cobra para servi-lo. Você não quer esse Deus?

      "Havendo riscado a cédula que era contra nós nas suas ordenanças, a qual de alguma maneira nos era contrária, e a tirou do meio de nós, cravando-a na cruz". (Colossenses 2:14)

      Excluir
    16. dízimo não é ordenança cerimonial

      Excluir
    17. Nem que fosse. É uma obra da lei e como todas elas acabou na cruz.

      Excluir
    18. NEM QUE FOSSE NÃO !!! LEIA A BÍBLIA COM DISCERNIMENTO ESPIRITUAL E VC SABERÁ QUE NÃO É !!! O dízimo não é ordenança cerimonial , se assim fosse Deus não seria injusto de reclamar de algo que não pertence-se a ele que é o dízimo E QUE OS LEVITAS SOMENTE DEUS DEU A ELES PARA ADMINISTRAREM e por consequência o DÍZIMO não estava sendo entregue pela nação(povo de Deus) não geraria pecado semelhante ao pecado do roubo(Ml3:8-10)(Jo10:10) Ora , se o dízimo não estava sendo entregue como Deus iria receber a sua porção o dízimo dos dízimos ? ISSO PROVA QUE O DÍZIMO NÃO ERA E NUNCA FOI 100% DOS LEVITAS E DE ORFÃOS ESTRANGEIROS E VIÚVAS , OS LEVITAS TERIAM QUE ENTREGAR 10% A DEUS o (DÍZIMO DOS DÍZIMOS) E O RESTANTE TERIAM QUE ADMINISTRAR A PARTE QUE POR DIREITO ERA DELES E A DE TODOS QUE TAMBÉM TINHAM DIREITO OU SEJA 90%. Veja que Deus não especifica aqui ouro , prata , bronze , vacas plantação ovelha , cabra , ovelha , despojo ou dinheiro etc.. etc... e sim Dízimo o fruto do trabalho produzido ( a "proporção" justa 10% )JÁ DISSE E REPITO ISSO TÁ NA SUA BÍBLIA. SOMENTE O DÍZIMO MESMO SENDO UMA MEDIDA DE PROPORÇÃO JUSTA NUNCA FOI E NUNCA SERÁ SUFICIÊNTE PARA RESOLVER OS PROBLEMAS DE TODOS QUE TEM DIREITO uma parte levitas , POBRES , ORFÃOS , ESTRANGEIROS E VIÚVAS. MESMO NA ÉPOCA PRIMITIVA DO POVO DE DEUS QUE JÁ EXISTIA O DÍZIMO E DOS CRISTÃOS PRIMITIVOS TAMBÉM NESSA ÉPOCA JÁ EXISTIA ESMOLAS E NEM DEUS E NEM JESUS E NENHUM DOS APÓSTOLOS OU CRISTÃOS REPREENDIA QUEM PEDIA ESMOLAS PORQUE ELES SABIAM QUE AS NECESSIDADES DO SER HUMANO QUE REALMENTE PRECISA ERAM E SÃO MUITAS. ALÉM DO MAIS AGORA EM ESCALA MUNDIAL. ATÉ PORQUE SE QUEM MINISTRA A PALAVRA DE DEUS NÃO TIVER RECURSOS(dinheiro)(1Cor9:11)(Atos 4:36)(Ecl9:10 )COMO vão levar a palavra em algum lugar? vários preceitos vieram do judaísmo e foram adotados como ensino no N.T vc sabe disso !!! todos os cristãos fiéis também sabe e cabe a cada um obedece-los ou não. Até porque leia o N.T. todo e veja quantos preceitos vieram da Lei e é para serem obedecidos pelos (gentios)cristãos primitivos e atuais. 100% DOS LUCROS DO FRUTO DO TRABALHO É DEUS QUEM DÁ. A entrega do dízimo é de livre e espontânea vontade , por amor , fé e principalmente obediência a Deus.

      Excluir
    19. Dizimo não era dinheiro. Era alimento. Nada mais a declarar.

      Excluir
    20. AS NECESSIDADES SÃO EM EM ESCALA MUNDIAL.

      Excluir
    21. Reginaldo Barbosa , deixe o seu comentário no blog no assunto Melquisedeque era sem filho de Noé

      http://fim-dos-tempos-o-encoberto-descoberto.blogspot.com.br/2011/11/melquisedeque-era-sem-filho-de-noe.html

      Excluir
    22. Oi Marcelo

      Com certeza vou comentar sim. Mas antes vou analisar com cuidado.

      Abraços

      Excluir
    23. leia muito as escrituras e torço que vc concorde comigo pelo menos 1 vez na vida , kkkkkkkkk

      Excluir