Páginas

segunda-feira, 4 de julho de 2016

Quem é o ladrão que veio para roubar, matar e destruir?

“O ladrão não vem senão a roubar, a matar, e a destruir; eu vim para que tenham vida, e a tenham com abundância” (João 10 : 10).

INTRODUÇÃO

No capítulo 10 do evangelho de João encontramos uma linda narrativa de Jesus a respeito do ministério pastoral, mostrando o cuidado do pastor para com as ovelhas. Infelizmente, a grande maioria dos pregadores e ensinadores quando se relacionam a essa passagem fogem da verdadeira lição que Jesus deixou nesta passagem. Como exemplo, temos o verso 10 deste capítulo que é o preferido de muitos que o usam para enaltecer a pessoa e a missão de Jesus em relação a figura do ladrão que veio para roubar, matar e destruir, qual afirmam ser o diabo. Seria o diabo esse ladrão como muitos pregam? Para sabermos quem de fato é, se faz necessários analisar o texto a partir do primeiro verso do capítulo 10.

Do verso 1 ao 6 Jesus conta aos ouvintes uma parábola falando sobre o ladrão e salteador, o curral das ovelhas, a porta, o porteiro e aquele que entra no curral pela porta. A parábola não foi entendida pelos ouvintes da época, assim como também ainda não é compreendida por muitos crentes. Neste artigo, vamos estudar detalhadamente esse ensino, da forma como Jesus desejou nos passar e assim vamos saber quem era ou quem é o ladrão.

O CURRAL DAS OVELHAS: “Na verdade, na verdade vos digo que aquele que não entra pela porta no curral das ovelhas, mas sobe por outra parte, é ladrão e salteador” (João 10 : 1).

O que viria a ser o curral das ovelhas? Podemos interpretar que quando Jesus falou sobre o curral estava falando de Israel com sua religião e suas leis dadas por Moisés. É interessante entender que as ovelhas em primeiro plano eram os judeus e não a igreja. Jesus vai falar sobre a igreja somente no verso 16, conforme explicarei depois. Sabemos que Jesus veio primeiramente para os judeus. Em João 1. 11 está dito que Jesus veio para o que era seu (judeus), e os seus não o receberam. Quando enviou pela primeira vez seus discípulos em missão de pregar as boas novas do reino, ordenou: "Mas ide antes às ovelhas perdidas da casa de Israel;" (Mateus 10 : 6). E Ele mesmo testificou dessa missão: "E ele, respondendo, disse: Eu não fui enviado senão às ovelhas perdidas da casa de Israel." (Mateus 15 : 24). Por aí vemos que as ovelhas que estavam no curral (Israel) eram os judeus.

Mas também Jesus deixa claro que havia aqueles que entravam no curral sem passar pela porta, aos quais Ele chama de ladrões e salteadores. Mas adiante quando Jesus passa a explicar a parábola Ele explica: “Tornou, pois, Jesus a dizer-lhes: Em verdade, em verdade vos digo que eu sou a porta das ovelhas” (Verso 7). Em seguida, mais uma vez Ele enfatiza que os ladrões e salteadores foram os que vieram antes Dele. “Todos quantos vieram antes de mim são ladrões e salteadores; mas as ovelhas não os ouviram” (verso 8). Sendo Jesus a porta, no período veterotestamentário, esta porta era a Palavra revelada pelos profetas (Hebreus 1 : 1). Palavra que na plenitude dos tempos se fez carne e habitou entre os homens (João 1 : 14).

Mas quem eram estes ladrões e salteadores? Jesus foi claro afirmando que eles haviam vindo antes dEle. Quando estudamos cuidadosamente as Escrituras, vamos entender que Ele estava se referindo aos pastores de Israel no antigo concerto. Pastores que não obedeceram a Palavra, isto é não entraram no curral pela porta, mas usavam de seus privilégios para extorquirem e se aproveitarem das ovelhas, como vaticinou o profeta Ezequiel: “Portanto, ó pastores, ouvi a palavra do SENHOR: Assim diz o Senhor DEUS: Eis que eu estou contra os pastores; das suas mãos demandarei as minhas ovelhas, e eles deixarão de apascentar as ovelhas; os pastores não se apascentarão mais a si mesmos; e livrarei as minhas ovelhas da sua boca, e não lhes servirão mais de pasto”. (Ezequiel 34 : 9 , 10). Os textos não deixam dúvidas de que esses ladrões e salteadores eram os maus pastores que por ganancia e avareza faziam o povo errar, dispersando as ovelhas, como profetizou também Jeremias: "Ovelhas perdidas têm sido o meu povo, os seus pastores as fizeram errar, para os montes as desviaram; de monte para outeiro andaram, esqueceram-se do lugar do seu repouso." (Jeremias 50 : 6).

A PORTA E O PORTEIRO: “Aquele, porém, que entra pela porta é o pastor das ovelhas. A este o porteiro abre, e as ovelhas ouvem a sua voz, e chama pelo nome às suas ovelhas, e as traz para fora” (João 10 : 2 , 3).

Sabemos que a porta do curral das ovelhas é o próprio Jesus. Mas Ele não é somente a porta, como também o pastor, afinal, Ele é o verbo vivo de Deus, a Palavra encarnada. Sobre Ele como fiel pastor, os profetas também falaram: “E suscitarei sobre elas um só pastor, e ele as apascentará; o meu servo Davi é que as apascentará; ele lhes servirá de pastor” (Ezequiel 34 : 23). Mas o pastor só entra no curral das ovelhas porque o porteiro lhe abre a porta. Quem seria este porteiro? Foi a Lei! A Lei guardou as ovelhas até a chegada daquele que seria o autor e o consumador da fé (Hebreus 12 : 2). Paulo, um judeu conhecedor da Lei nos explica sobre isso: "Mas, antes que a fé viesse, estávamos guardados debaixo da lei, e encerrados para aquela fé que se havia de manifestar. De maneira que a lei nos serviu de aio, para nos conduzir a Cristo, para que pela fé fôssemos justificados” (Gálatas 3 : 23). Sim, a Lei exerceu a sua função disciplinadora, guardando e protegendo as ovelhas até a vinda do sumo pastor que chamaria suas ovelhas pelo nome, pois Ele conhece Suas ovelhas. As que ouvem a sua voz saem do curral e são conduzidas para os montes, onde o pastor as apascentará e dará a elas bons pastos. "Em bons pastos as apascentarei, e nos altos montes de Israel será o seu aprisco; ali se deitarão num bom redil, e pastarão em pastos gordos nos montes de Israel."  (Ezequiel 34 : 14). É bem certo que essa profecia só ocorrerá no milênio, quando o restante dos judeus reconhecerem a Jesus como o verdadeiro pastor.

“E, quando tira para fora as suas ovelhas, vai adiante delas, e as ovelhas o seguem, porque conhecem a sua voz” (João 10 : 4). É interessante observar que o sumo-pastor veio para tirar as suas ovelhas para fora do curral e não para metê-las para dentro. Qual o motivo? Dentro do curral que também pode ser subentendido como a religião, não existe alimento sadio para as ovelhas. Por isso Ele as tira para fora e vai adiante delas conduzindo-as a bons pastos e segurança. Além do mais, dentro do curral as ovelhas ficam a mercê do ladrão e dos lobos, que estão infiltrados no meio das ovelhas (Mateus 7 : 15). A religião agia assim no tempo em que Cristo veio ao mundo. Observe que na parábola das cem ovelhas há o mesmo principio, onde o pastor deixa as noventa e nove seguras no deserto para ir a busca da que se perdeu: "Que homem dentre vós, tendo cem ovelhas, e perdendo uma delas, não deixa no deserto as noventa e nove, e não vai após a perdida até que venha a achá-la?"  (Lucas 15 : 4). Porque não no curral? Em contraste com a religião que aprisionava e aprisiona as pessoas, Jesus disse que edificaria Sua igreja (Mateus 16 : 18). E Igreja do grego “Ecklesia” quer dizer “tirados para fora”.

“Mas de modo nenhum seguirão o estranho, antes fugirão dele, porque não conhecem a voz dos estranhos” (João 10 : 5). Certamente aqui Jesus estava se referindo aos falsos Cristos e falsos profetas que nos dias anteriores à sua vinda surgiriam e enganaria a muitos (Mateus 24 : 24). Mas as ovelhas de Jesus conhecem a sua voz e não se deixam enganar. Infelizmente nos dias atuais os estranhos tem agido de forma inversa a de Jesus. Eles têm levado de volta as ovelhas para os currais da religião e gozado da atenção e companhia destas, enquanto que Jesus está sendo deixado do lado de fora (Apocalipse 3 : 20).

“O ladrão não vem senão a roubar, a matar, e a destruir; eu vim para que tenham vida, e a tenham com abundância” (João 10 : 10). Como sabemos, o ladrão é aquele que se apropria dos bens alheios. O ladrão também é aquele que age na surdina e sem que sua ação seja percebida. E, como foi explicado, o ladrão dentro do contexto da parábola é o falso ou mau pastor. Então, não é o diabo como muito se prega nas igrejas. Há pregadores que chegam até mesmo a mudar o título “ladrão” por “diabo” em suas pregações, mudando totalmente o sentido do texto. Todo pastor que distorce a Palavra é o que não entra pela porta que é Jesus (a palavra fiel). E quando ele modifica o que está escrito, acaba por furtar (roubar) as palavras de Deus: "Portanto, eis que eu sou contra os profetas, diz o SENHOR, que furtam as minhas palavras, cada um ao seu próximo." (Jeremias 23 : 30). Fazendo assim acabam por matar e destruir as ovelhas de Jesus, como os pastores citados em Ezequiel 34.

Nos versos 12 e 13, Jesus deixa bem claro que o ladrão é o mercenário, isto é, o falso pastor de quem não são as ovelhas. Este é o que se aproxima das ovelhas travestido de pastor por interesse no dinheiro ou nos bens que as ovelhas podem lhe proporcionar. É aqueles que come a gordura, se veste da lã, mata o cevado, mas não apascenta as ovelhas do Senhor (Ezequiel 34 : 3). Ele não fortalece as fracas, não cura as doentes, não liga a quebrada, não traz a desgarrada e nem busca a que se perdeu. Pelo contrário, age como um nicolaíta dominando sobre o rebanho que não lhe pertence (Ezequiel 34 : 5). Por essa razão que Jesus foi enfático quando disse que o ladrão veio para a roubar, a matar, e a destruir. O ladrão se apropria de algo que não lhe pertence: “Mas o mercenário, e o que não é pastor, de quem não são as ovelhas,..” (João 10 : 12a). Mas Jesus veio para que as Suas ovelhas tenham vida, e a tenham com abundância.
O BOM PASTOR: “Eu sou o bom Pastor; o bom Pastor dá a sua vida pelas ovelhas” (João 10 : 11). Em contraste com o ladrão que é o mau pastor, que é o ladrão que rouba, mata e destrói; Jesus é o bom pastor que dá Sua vida pelas ovelhas. Ao morrer na cruz, Jesus se deu pelos judeus que eram as ovelhas perdidas da casa de Israel e também pelos gentios, aqueles que haveriam de aceita-lo pela fé.

“Ainda tenho outras ovelhas que não são deste aprisco; também me convém agregar estas, e elas ouvirão a minha voz, e haverá um rebanho e um Pastor” (João 10 : 16). As outras ovelhas somos nós gentios que hoje formamos a Sua Igreja. Os gentios não faziam parte do aprisco (Israel), mas aprouve a Deus nos tornar seus filhos, pela fé que temos em Seu filho Jesus. “Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que crêem no seu nome” (João 10 : 12). Em Cristo Judeus e gentios foram unidos formando um só corpo – a Igreja (João 11 : 52 ; Efésios 2 : 15).

CONCLUSÃO

Como vimos, Jesus falou que o ladrão e salteador foram aqueles que vieram antes dEle, que eram os pastores de Israel que dispersaram as ovelhas do Senhor. Vimos também que Jesus deixou claro que o ladrão que veio para roubar, matar e destruir não é o diabo como se acredita, mas o mercenário que não é pastor. Em contraste com o ladrão Jesus se apresentou como o bom pastor que dá a vida pelas ovelhas; com sua morte expiatória Ele agregou outras ovelhas que a princípio não faziam parte do aprisco, qual é a Sua igreja.

A igreja de Jesus são as suas ovelhas que Ele as tirou para fora do curral da religião. Jesus veio para livrar Suas ovelhas do poder do ladrão. Mas, estaria ainda o ladrão, ou ladrões e salteadores agindo na igreja roubando e matando as ovelhas do Senhor?

Em Cristo,

Reginaldo Barbosa
Santa Bárbara do Pará.

4 comentários:

  1. REGINALDO, MAIS UMA VEZ, PERFEITO SEU ESTUDO!SÓ PARA ACRESCENTAR, A PALAVRA "MERCENÁRIO", NA TRADUÇÃO DO GREGO PARA O PORTUGUÊS É "ASSALARIADO".

    ABRAÇO

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grato pela visita e contribuição irmão.

      Deus o abençoe.

      Excluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir