Páginas

segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Esteja Alerta e Vigilante, Jesus Voltará!



INTRODUÇÃO

Dando seguimento ao estudo sobre escatologia, a lição desta semana trás como tema: “Esteja Alerta e Vigilantes, Jesus Voltará”. Na introdução da revista o comentarista enfatiza que Jesus alertou várias vezes sobre a natureza súbita de sua vinda, mas que mesmo assim, muitos crentes estão descuidados e envolvidos com os afazeres desta vida e não preparados para o grande momento em que Jesus voltará. Realmente, a grande maioria dos crentes está mais preocupada com bênçãos, prosperidade e vitórias, mas não com a volta do Senhor. De quem é a culpa em parte? Na lição anterior, comentei a respeito do servo fiel e prudente, mostrando que esta parábola citada por Jesus ser refere a liderança da igreja (Mateus 24 : 45 – 47 ; Lucas 12 : 42 – 46). A estes, foi dada a responsabilidade de dar ao rebanho o sustento a seu tempo, que é o ensino da Palavra, para que quando o Senhor voltar, não encontre um povo despreparado. O líder, seja pastor, bispo, presbítero ou como se intitule, precisa cuidar da igreja do Senhor como a meninos novamente nascidos, dando-lhe o alimento adequado na hora certa (1Pedro 2 : 2). Quando Jesus aqui voltar deseja encontrar os líderes fazendo o que lhes foi confiado e o rebanho bem alimentado, isto é, preparado para recebê-lo. Eis porque a razão do Senhor alertar: "Bem-aventurado aquele servo que o seu senhor, quando vier, achar servindo assim."  (Mateus 24 : 46 ACF).

I – A VINDA REPENTINA DE JESUS.

1. Como um relâmpago. "Porque, assim como o relâmpago sai do oriente e se mostra até ao ocidente, assim será também a vinda do Filho do homem." (Mateus 24 : 27ACF ). 

Quando se forma uma tempestade com, relâmpagos, raios e trovões é aconselhável procurar abrigo e se proteger. Isto porque, todos sabem que um raio pode cair a qualquer momento, mas não se sabe precisar o exato momento. A mesma coisa acontece com o relâmpago que inesperadamente ilumina os céus e rapidamente desaparece. Jesus comparou sua vinda desta maneira com o fim de levar a Sua igreja. Os tempos em que vivemos são turbulentos, comparados a uma tempestade com raios e trovões e relâmpagos. Assim, como um relâmpago, Jesus pode surgir e nos levar daqui num abrir e fechar de olhos.

Mas, e sobre o que Ele disse: "E dir-vos-ão: Ei-lo aqui, ou: Ei-lo ali. Não vades, nem os sigais;" (Lucas 17 : 23 ACF)? Sabendo que Jesus virá como um relâmpago, pode ocorrer de alguém ainda ser enganado? Sim, e não são poucos. Na lição nº 2 foi falado a respeito do surgimento de falsos cristos e falsos profetas que viriam em nome de Jesus e assim enganariam a muitos. Repito aqui que os falsos cristos são aqueles que em nome de Jesus se apresentam nas igrejas como “ungidos de Deus”, uma vez que o termo “cristo” no novo testamento é o mesmo que “ungido” no antigo testamento. Fazendo o povo acreditar que são ungidos (cristos), eles podem facilmente enganar as massas dizendo que Cristo está exclusivamente na vida deles, operando curas, libertações e maravilhas. Ou ainda que Jesus esteja presente lá nas igrejas que eles dirigem, como uma maneira de atrair o povo até eles. Quem nunca ouviu propaganda de determinadas igrejas alardeando que Jesus está alí e que está operando e quem for lá receberá a sua bênção? Quantos pregadores não tem se apresentado nas igrejas realizando sinais e maravilhas? Estes, geralmente se apresentam nas igrejas como aquele quem tem uma unção especial e realizam campanhas de dois ou três dias, conforme a presença e o gosto do público. Mas no final se percebe o engano, quando começam a distribuir envelopes, levando o crente enganado a realizar desafios com Deus para ser abençoado. Os falsos cristos e falsos profetas nunca fazem nada de graça, pois sempre cobram por seus feitos.

Atente para o que Jesus disse aos religiosos que queriam saber sobre a chegada do reino de Deus. “E, interrogado pelos fariseus sobre quando havia de vir o reino de Deus, respondeu-lhes, e disse: O reino de Deus não vem com aparência exterior. Nem dirão: Ei-lo aqui, ou: Ei-lo ali; porque eis que o reino de Deus está entre vós” (Lucas 17 : 20 , 21 ACF).

Jesus ainda disse que aquele que nEle cresse faria as obras que Ele fez e as faria ainda maiores, pois Ele iria para o Pai (João 14 : 12). Mas o que vemos? Crentes que quando passam por situações difíceis em algumas áreas da vida e até mesmo de enfermidades, esquecem que o reino de Deus está entre eles. Em vez de entrarem na presença de Deus em oração, sabendo que o Pai responderá toda petição que for feita em o Nome de Jesus, os tais vão a busca de soluções nos templos, achando que só lá Deus irá lhes responder; isso quando não, procuram aqueles que possuem o dom de profecia e de revelação.

2. Como um ladrão. "Mas considerai isto: se o pai de família soubesse a que vigília da noite havia de vir o ladrão, vigiaria e não deixaria minar a sua casa." (Mateus 24 : 43 ACF). Porque Jesus comparou a sua vinda com a ação de um ladrão? É por que o ladrão quando vai agir ele não manda aviso. Assim Jesus virá, pois o arrebatamento não será precedido de sinais. Mas, e os sinais que Jesus falou? Os sinais mencionados no sermão escatológico do monte apontam para a vinda de Jesus em glória que se dará sete anos após a igreja ter sido arrebatada, quando ele virá visivelmente assim como subiu ao céu (Atos 1 : 11 ; Apocalipse 1 : 7). Logo, precisamos dobrar a vigilância sabendo que a vinda de Jesus está muito mais perto que imaginamos.

Atente que Jesus também falou sobre a ação do ladrão que se dará em alguma vigília da noite. A noite aqui tem um sentido espiritual, pois vivemos em um mundo imerso em trevas. Na parábola das dez virgens, o clamor sobre a chegada do noivo se deu a meia-noite (Mateus 25 : 6). Paulo também profetizou sobre isso: "Porque vós mesmos sabeis muito bem que o dia do Senhor virá como o ladrão de noite;"  (1Tessalonicenses 5 : 2 ACF). Da mesma maneira Pedro se expressou: "Mas o dia do Senhor virá como o ladrão de noite...” (2Pedro 3 : 10a ACF). Assim, convém estarmos vigilantes e não dormirmos, como nos exorta as Escrituras: “Mas vós, irmãos, já não estais em trevas, para que aquele dia vos surpreenda como um ladrão; Porque todos vós sois filhos da luz e filhos do dia; nós não somos da noite nem das trevas. Não durmamos, pois, como os demais, mas vigiemos, e sejamos sóbrios” (1Tessalonicenses 5 : 4 – 6 ACF).

Quanto a esse dia, Jesus requer vigilância da Sua igreja e principalmente daqueles que a lideram: "Lembra-te, pois, do que tens recebido e ouvido, e guarda-o, e arrepende-te. E, se não vigiares, virei sobre ti como um ladrão, e não saberás a que hora sobre ti virei." (Apocalipse 3 : 3 ACF).

II – COMO FOI NOS DIAS DE NOÉ

1. Comiam e bebiam; 2. Casavam e davam-se em casamento. "Comiam, bebiam, casavam, e davam-se em casamento, até ao dia em que Noé entrou na arca, e veio o dilúvio, e os consumiu a todos."  (Lucas 17 : 27 ACF).

A expressão comer, beber, casar e dar-se em casamento não se constitui um sinal que identifique a vinda do Senhor. Quando o Senhor se expressou dessa maneira, aludindo sobre o que acontecia no tempo de Noé, Ele quis dizer que as pessoas naquela época estavam vivendo normalmente, realizando seus afazeres e suas necessidades diárias, sem levarem em conta que o mundo em que viviam prazerosamente em breve seria destruído pelas águas do dilúvio. Eles foram avisados, pois o justo Noé, incessantemente pregou sobre esse dia por 120 anos. Mas, deliberadamente decidiram não crer e foram surpreendidos quando as águas cobriram o planeta destruindo tudo o que era vivo.

Assim também nos dias em que vivemos. Muito embora se apregoe que Jesus está voltando e se mostre os sinais que são evidentes, muitos ignoram e até zombam achando que a vinda do Senhor é uma utopia. Os tais também serão surpreendidos e lamentarão amargamente.

III – A CORRUPÇÃO GERAL NA TERRA

1. Toda a terra estava corrompida e violenta“A terra, porém, estava corrompida diante da face de Deus; e encheu-se a terra de violência. E viu Deus a terra, e eis que estava corrompida; porque toda a carne havia corrompido o seu caminho sobre a terra” (Gênesis 6 : 11 , 12 ACF). 

Quando Jesus disse que os dias anteriores a sua vinda seriam semelhantes aos dias de Noé, Ele quis chamar nossa atenção ao que ocorreria na terra nos últimos dias. Quais fatores levaram Deus a destruir o mundo no tempo de Noé? CORRUPÇÃO E VIOLÊNCIA! Não é o que estamos presenciando atualmente na sociedade? No meio político e até no religioso vemos a corrupção desenfreada. No mundo religioso, muitos homens por amor ao dinheiro estão se desviando da fé e traspassando-se a sí mesmo com muitas dores (1Timóteo 6 ; 10 ACF). 

No cenário político presenciamos, em particular, o nosso Brasil mergulhar numa crise sem precedentes, por causa da ganancia daqueles que foram eleitos para dirigir este país.
E quando se fala em violência, vemos que nem dentro das casas as pessoas tem segurança. Aqueles que precisam se locomover diariamente de suas casas para o trabalho ou escolas, andam apreensivos por medo de serem assaltados, seja nas ruas ou nos coletivos.

2. O juízo de Deus sobre a corrupção geral. Diante destas atrocidades, as pessoas se revoltam, fazem protestos e cobram posições dos governantes. Mas estamos vivendo os dias semelhantes aos de Noé, onde só uma intervenção divina porá fim ao caos em que o mundo ora está imerso. Enquanto isso, oremos e vigiemos. "Vigiai, pois, em todo o tempo, orando, para que sejais havidos por dignos de evitar todas estas coisas que hão de acontecer, e de estar em pé diante do Filho do homem."  (Lucas 21 : 36 ACF).

IV – COMO FOI NOS DIAS DE LÓ

1. Dias de intensa corrupção; 2. A corrupção mundial; “Como também da mesma maneira aconteceu nos dias de Ló: Comiam, bebiam, compravam, vendiam, plantavam e edificavam; Mas no dia em que Ló saiu de Sodoma choveu do céu fogo e enxofre, e os consumiu a todos. Assim será no dia em que o Filho do homem se há de manifestar” (Lucas 21 : 28 – 30 ACF).

Assim como nos dias de Noé, Jesus ilustrou que os dias anteriores a sua vinda seriam semelhantes aos dias em que Ló viveu em Sodoma. Quando falamos nos dias de Ló, logo vem a mente a corrupção moral em que Sodoma e Gomorra se afundaram. Sodoma e as cidades circunvizinhas, Gomorra, Admá e Zeboim foram devastadas pelo fogo divino assim que Ló saiu de lá e se refugiou em Zoar. Judas, o irmão do Senhor diz: "Assim como Sodoma e Gomorra, e as cidades circunvizinhas, que, havendo-se entregue à fornicação como aqueles, e ido após outra carne, foram postas por exemplo, sofrendo a pena do fogo eterno."  (Judas 1 : 7 ACF). Sim, a depravação e a corrupção moral foi um dos fatores que levaram Deus a condenar àquelas cidades a destruição pelo fogo. Quando Judas menciona que havendo-se entregue à fornicação como aqueles, e ido após outra carne”, está se referindo a prática do homossexualismo em que a sociedade daquelas cidades se atolaram. Mas, não foi somente por isso que aquelas cidades foram destruídas. Há outro fator que muitos desconhecem, mas que está bastante evidente no meio cristão, como um dos sinais da vinda do Senhor – a INIQUIDADE.

Em Mateus 24 : 12, Jesus disse que por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos esfriaria. O que seria a iniquidade? Geralmente se confunde a iniquidade com o pecado, por isso, muitos não se dão conta que podem estar cometendo-a. Segundo o dicionário, pecado é toda a transgressão contra a lei de Deus e iniquidade é “maldade”, “perversidade”. Mas, segundo a bíblia, iniquidade é a injustiça praticada contra o semelhante, falta de amor e de respeito. O profeta Ezequiel quando denunciou a prevaricação de Judá, citou como exemplo o que aconteceu com Sodoma que a levou a destruição: "Eis que esta foi a iniqüidade de Sodoma, tua irmã: Soberba, fartura de pão, e abundância de ociosidade teve ela e suas filhas; mas nunca fortaleceu a mão do pobre e do necessitado."  (Ezequiel 16 : 49 ACF). Sodoma tinha muita fartura, mas não olhava para quem tinha necessidades.

Quando a igreja do Senhor nasceu no dia de Pentecostes, toda a comunidade de crentes vivia na equidade, que é a prática da justiça e do amor. "Não havia, pois, entre eles necessitado algum; porque todos os que possuíam herdades ou casas, vendendo-as, traziam o preço do que fora vendido, e o depositavam aos pés dos apóstolos."  (Atos 4 : 34 ACF). Tudo o que a igreja fazia era em prol do bem de todos, pois todos viviam no amor que ensinou Jesus. Os líderes da igreja recebiam as contribuições dos irmãos e as administravam em benefício do bem comum de todos. Mas, com o aumento da iniquidade, o amor de muitos esfriou, a ponto de estarmos vivendo os dias semelhantes aos de Ló. Apesar de Ló viver nessas cidades corrompidas moralmente e pela iniquidade, ele preservou sua justiça. Assim como Noé, esse foi o diferencial que fez Ló escapar da destruição daquelas cidades. Ló é um exemplo da igreja fiel que pratica a justiça e que será arrebatada.

Pedro também se reportou sobre o ocorrido naquelas cidades: “E condenou à destruição as cidades de Sodoma e Gomorra, reduzindo-as a cinza, e pondo-as para exemplo aos que vivessem impiamente; E livrou o justo Ló, enfadado da vida dissoluta dos homens abomináveis (Porque este justo, habitando entre eles, afligia todos os dias a sua alma justa, vendo e ouvindo sobre as suas obras injustas); Assim, sabe o Senhor livrar da tentação os piedosos, e reservar os injustos para o dia do juízo, para serem castigados” (2Pedro 2 : 6 – 9 ACF).

3. A destruição da família. O comentário do tópico assevera que a família tradicional esta sendo destruída por causa de projetos malignos como a “ideologia do gênero”. Certamente que isso tem confrontado o modelo divino estabelecido para a família. Porém, muitos ignoram que existe um mal ainda maior destruindo famílias e até no meio religioso – o DIVÓRCIO. O divórcio tem sido como um câncer nestes últimos dias, pois ele, além de separar casais, atinge diretamente os filhos que não estão preparados para conviver com a ausência dos pais. Na maioria dos casos, com raras exceções, a parte repudiada e os filhos são os que mais sofrem onde muitos deles entram para o submundo do crime, da prostituição e das drogas. As recentes leis elaboradas têm facilitado casais que não desejam mais viver juntos. Não seria o diabo também por trás disso destruindo as famílias?

O modelo que Deus estabeleceu para a família é o casamento monogâmico, de um macho com uma fêmea e que só pode ser diluído pela morte (Romanos 7 : 3). E, muito embora Deus se mostre totalmente contrário a essa prática, chegando a dizer que odeia o divórcio, muitos crentes preferem seguir na contramão de Sua vontade em busca de uma felicidade egoísta (Malaquias 2 : 16). Recentemente uma igreja de renome alterou seu estatuto para permitir que seus obreiros se divorciem e casem de novo para poderem permanecer no ministério cristão. A mídia divulgou que certo pastor se divorciou de sua esposa e anunciou seu novo casamento, mostrando inclusive o convite ao público.

Ainda que muitos aprovem essa prática, inclusive igrejas evangélicas, a palavra de Deus continua fiel quando diz: "Qualquer que deixa sua mulher, e casa com outra, adultera; e aquele que casa com a repudiada pelo marido, adultera também." (Lucas 16 : 18 ACF). "Venerado seja entre todos o matrimônio e o leito sem mácula; porém, aos que se dão à prostituição, e aos adúlteros, Deus os julgará."  (Hebreus 13 : 4 ACF).

CONCLUSÃO

Os fatos que ora presenciamos, são mais que claros mostrando que Cristo está voltando. Certamente que a paciência divina está chegando a seu limite, pois Deus, que é santo e justo, não poderá tolerar mais a violência, a corrupção moral e religiosa e a iniquidade no seu mais alto grau. Não podemos ficar indiferentes aos acontecimentos, mas, semelhantes a Noé e Ló, não devemos nos conformar com o que ocorre ao nosso redor. É nosso dever falar e, se possível denunciar o erro, mas tendo o cuidado de preservar nossa integridade e agir com justiça. Enquanto Jesus não vem, preguemos a justiça e falemos a verdade, ainda que sejamos rejeitados, pois nosso dever é batalhar pela fé que uma vez foi dada aos santos (Judas 1 : 3). Maranatha, ora vem Senhor Jesus!

Em Cristo,

Reginaldo Barbosa
Santa Bárbara do Pará.


Nenhum comentário:

Postar um comentário