Páginas

segunda-feira, 23 de março de 2015

A Igreja e a Lei de Deus - Subsídio da lição nº 13


Texto Áureo:
“Anulamos, pois, a lei pela fé? De maneira nenhuma, antes estabelecemos a lei” (Romanos 3 : 31).

Verdade Prática:

O Senhor Jesus definiu de maneira clara a relação entre o Antigo e Novo Testamento, entre a Lei eo Evangelho.

INTRODUÇÃO

No decorrer deste trimestre, aprendemos que a Lei de Deus não se resume apenas ao decálogo, mas é todo o conjunto de 613 preceitos que se encontram no Pentateuco, isto é, nos cinco livros escritos por Moisés, também conhecidos como os livros da lei que são: Gênesis, Êxodo, Levítico, Números e Deuteronômio. Muito embora alguns teólogos tenham dividido a lei em moral, cerimonial, civil e outros, contudo na bíblia não encontramos essa divisão. O que encontramos são os princípios morais, cerimoniais, civis, de saúde e outros que compõe toda a lei, mas a lei em sí é una e santa, pois foi estabelecida por Deus que é santo. Faz-se necessário saber que quem formou a bíblia como a temos hoje foi a igreja romana, e também foi ela quem inicialmente fez essa divisão na lei, além de mudar alguns mandamentos, como o sábado para o domingo e o dízimo que na lei era alimento para dinheiro na atualidade. Os que seguem essa tradição romana da divisão da lei, o fazem para assegurar a observância de alguns mandamentos que julgam serem necessários ao ser humano como a abstinência de alguns alimentos, a guarda do dia de sábado e a cobrança do dízimo como essencial a manutenção do serviço religioso.

É necessário também avisar os crentes que fazem isso que as Escrituras dizem que: "Todos aqueles, pois, que são das obras da lei estão debaixo da maldição; porque está escrito: Maldito todo aquele que não permanecer em todas as coisas que estão escritas no livro da lei, para fazê-las." (Gálatas 3 : 10). Alguns que observam uns mandamentos em detrimento dos demais tentam se justificar afirmando que o que foi abolida foi somente a lei cerimonial que consistia em festas e sacrifícios, enquanto que a lei moral contida nos dez mandamentos continua eterna, por ter sido escrita pelo dedo de Deus. Outros ainda vão mais longe dividindo a lei em LEI DE DEUS e LEI DE MOISÉS. Os tais afirmam que os dez mandamentos são a lei de Deus e os demais 603 preceitos são a lei de Moisés, quais foram abolidos. Mas Tiago, o irmão do Senhor confirma o que o apóstolo dos gentios falou em Gálatas 3 : 10: "Porque qualquer que guardar toda a lei, e tropeçar em um só ponto, tornou-se culpado de todos." (Tiago 2 : 10). Toda a lei aqui é todo o conjunto de 613 preceitos, incluindo os dez mandamentos e nenhum foi abolido, mas cumprido.

A lei foi dada diretamente a Moisés no Monte Sinai, mas este não a dividiu. Jesus, o filho de Deus que veio para cumpri-la também não a dividiu e, quando Ele, nos seus ensinos se referia à lei, falava dela como um todo. Vamos aprender nesta lição que nenhuma lei foi abolida, mas continua em vigor até porque ela foi dada a um povo específico que são os judeus que enquanto o céu e a terra não passam, deverão observá-las. A lei foi estabelecida como uma aliança entre Deus e Israel, com o fim de fazer de Israel o povo peculiar e exclusivo de Deus: "Agora, pois, se diligentemente ouvirdes a minha voz e guardardes a minha aliança, então sereis a minha propriedade peculiar dentre todos os povos, porque toda a terra é minha." (Êxodo19 : 5). "Disse mais o SENHOR a Moisés: Escreve estas palavras; porque conforme ao teor destas palavras tenho feito aliança contigo e com Israel." (Êxodo 34 : 27).

I – O QUE SIGNIFICA CUMPRIR A LEI?

1-Completar a revelação; Cumprimento das profecias e O centro das Escrituras:

Jesus disse que não veio abolir a lei, mas cumpri-la (Mateus 5 : 17 -19). De fato, as Escrituras e a lei não teriam nenhum sentido se Cristo não tivesse vindo ao mundo. Ele é o centro e o cumprimento de toda profecia relacionada à salvação encontrada na Bíblia desde Gênesis a Apocalipse. Em Gênesis encontramos a primeira promessa de redenção relacionada a Jesus: "E porei inimizade entre ti e a mulher, e entre a tua semente e a sua semente; esta te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar." (Gênesis 3 : 15). Em Apocalipse que encerra o cânon sagrado da revelação, o próprio Jesus fala de sí mesmo dizendo: "Eu sou o Alfa e o Ômega, o princípio e o fim, o primeiro e o derradeiro." (Apocalipse 22 : 13). Toda a vida de Jesus desde o seu nascimento foi em função do cumprimento da lei. Paulo aos Gálatas diz: “Mas, vindo a plenitude dos tempos, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido sob a lei, Para remir os que estavam debaixo da lei, a fim de recebermos a adoção de filhos” (Gálatas 4 : 4 , 5).

Toda a lei composta de 613 preceitos tornara se impossível a um mortal comum observá-la na sua totalidade. Na carta aos romanos, Paulo explica o porquê dessa impossibilidade: "Porque bem sabemos que a lei é espiritual; mas eu sou carnal, vendido sob o pecado." (Romanos 7 : 14). Logo, somente alguém plenamente espiritual e sem pecado poderia cumpri-la em lugar do pecador. Jesus foi esse homem que além de espiritual, também era da linhagem israelita, isto é era um judeu. E, como um judeu, cujo povo a quem foi dada a lei pode cumpri-la na sua totalidade. Quando o Senhor ressuscitou de entre os mortos e apareceu aos discípulos, disse: "E disse-lhes: São estas as palavras que vos disse estando ainda convosco: Que convinha que se cumprisse tudo o que de mim estava escrito na lei de Moisés, e nos profetas e nos Salmos." (Lucas 24 : 44). A lei de Moisés citada aqui por Jesus é a própria lei de Deus, pois não há divisão ou diferença de ambas. Ao cumprir a lei, Jesus pagou toda a dívida que essa nos induzia: "Havendo riscado a cédula que era contra nós nas suas ordenanças, a qual de alguma maneira nos era contrária, e a tirou do meio de nós, cravando-a na cruz." (Colossenses 2 : 14). Aleluia!

Quanto ao cumprimento da lei, explicarei com mais detalhes nos seguintes tópicos.

II-O SENHOR JESUS VIVEU A LEI.

Preceitos cerimoniais; Preceitos civis e Preceitos morais.

O que são preceitos senão a própria lei em sí?  Tomo como exemplo o texto a seguir que fala de Zacarias e sua esposa Isabel, que esclarece essa verdade: "E eram ambos justos perante Deus, andando sem repreensão em todos os mandamentos e preceitos do Senhor." (Lucas 1 : 6). Discordar de quem defende a divisão da lei em moral, cerimonial e civil, e afirmar que o que existe são preceitos morais, cerimoniais e civis dá no mesmo. O que existe é claro, são princípios inseridos dentro de toda a lei. É, no cumprimento da lei, Jesus, por seu judeu precisou observá-la, obedecendo aos seus princípios, tanto cerimonial, como civil e moral. Vejamos a seguir:

Segundo a lei, Jesus foi circuncidado, obedecendo aos princípios cerimoniais da lei: Como foi dito acima, Jesus nasceu sob a lei (Gálatas 4 : 4). Oito dias após nascido, Jesus foi circuncidado conforme a lei exigia. “E, quando os oito dias foram cumpridos, para circuncidar o menino, foi-lhe dado o nome de Jesus, que pelo anjo lhe fora posto antes de ser concebido” (Lucas 2 : 21). Segundo a lei, Jesus foi levado ao templo quando os dias da purificação de sua mãe Maria se completaram que era de 40 dias. Alí ele foi apresentado conforme a lei exigia e também foi dado uma oferta pela purificação de sua mãe. Por serem pobres essa oferta foi um par de rolas ou dois pombinhos:  “E, cumprindo-se os dias da purificação dela, segundo a lei de Moisés, o levaram a Jerusalém, para o apresentarem ao Senhor  (Segundo o que está escrito na lei do Senhor: Todo o macho primogênito será consagrado ao Senhor); E para darem a oferta segundo o disposto na lei do SENHOR: Um par de rolas ou dois pombinhos” (Lucas 2 : 22 – 24).

O que dizia a lei sobre o primogênito: "Porque todo o primogênito é meu; desde o dia em que tenho ferido a todo o primogênito na terra do Egito, santifiquei para mim todo o primogênito em Israel, desde o homem até ao animal: meus serão; Eu sou o SENHOR."  (Números 3 : 13)  O que lei dizia sobre a oferta de purificação da mãe: "E, quando forem cumpridos os dias da sua purificação por filho ou por filha, trará um cordeiro de um ano por holocausto, e um pombinho ou uma rola para expiação do pecado, diante da porta da tenda da congregação, ao sacerdote."  (Levítico 12 : 6). Eu fiz questão de enfatizar que a oferta era dada pela purificação da mãe e não pela apresentação da criança, porque há igrejas que cobram ofertas por apresentação de crianças, como também oferta de santificação por cada de primogênito nascido. Isto fazem, sob a alegação que se está escrito na bíblia é para se obedecer.

Quando adulto Jesus realizou milagres, curando, libertando e ressuscitando. Mas no tocante a cura de leprosos, Jesus ao curá-los ordenava que esses fossem ao templo apresentar-se ao sacerdote, pois a lei assim dizia: “Quando no homem houver praga de lepra, será levado ao sacerdote” (Levítico 13 : 9 ; Mateus 8 : 2 - 4).

Eu poderia citar muitos outros exemplos de cumprimento da lei por Jesus como: participação dos festejos dos judeus, como páscoa, tabernáculos, pentecostes e outros. Mas quero encerrar este tópico, falando da morte do Salvador que foi no cumprimento da lei. Em Romanos 6 : 23, Paulo diz: "Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus nosso Senhor." Em 1Corintios 15 : 56, reitera que: "Ora, o aguilhão da morte é o pecado, e a força do pecado é a lei." Sabemos perfeitamente que Jesus não tinha pecados, mas, pela lei que exigia a morte do pecador, Ele precisou morrer para pagar o salário de nossos pecados.

Na lei, Deus determinou um ritual para a purificação do pecador, onde um animal puro, sem manchas e sem defeito era levado para ser sacrificado no altar por expiação pelo pecado do homem (Levítico 4 : 28 -35). Como um cordeiro para expiar nossos pecados definitivamente, Jesus foi sacrificado no altar da cruz (Marcos 15 : 32). Na carta aos Hebreus diz: "E quase todas as coisas, segundo a lei, se purificam com sangue; e sem derramamento de sangue não há remissão." (Hebreus 9 : 22). O sangue de Jesus derramado na cruz foi para cumprir a lei (Levítico 4 : 5 – 7). Na lei, o animal morto em expiação dos pecados deveria ser queimado fora do arraial (Levítico 9 : 11). Jesus, como sacrifício perfeito foi morto fora do arraial, isto é fora das portas de Jerusalém: “E por isso também Jesus, para santificar o povo pelo seu próprio sangue, padeceu fora da porta. Saiamos, pois, a ele fora do arraial, levando o seu vitupério” (Hebreus 13 :  1 , 12). Enfim, Jesus viveu a lei e a cumpriu em sua totalidade. E quanto aos privilégios que Jesus na sua morte transferiu de Israel à igreja (Mateus 21 : 43), dizem respeito a missão de anunciar o seu evangelho a toda a criatura, coisa que até os anjos anelaram fazer (1Pedro 1  : 12).

 III - A LEI NÃO PODE SER REVOGADA

Jesus revela seu pensamento; Até que o céu e a terra passem e O menor mandamento:

Aqueles que pensam que uma parte da lei foi abolida e outra não precisam rever seus conceitos, pois Jesus foi bem claro quando disse que enquanto os céus e a terra não passarem, nenhum jota ou um til se omitirá da lei sem que tudo se cumpra (Mateus 5 : 18). Interessante que somente Mateus registra esta afirmação de Jesus. O motivo: Mateus escreveu seu evangelho aos judeus, povo que tem até hoje a obrigação de observar a lei. No entanto, se a lei não pode ser revogada, também não pode ser adaptada ou mudada, como alguns querem. Quanto a esse fato, Jesus também foi incisivo quando disse: "Qualquer, pois, que violar um destes mandamentos, por menor que seja, e assim ensinar aos homens, será chamado o menor no reino dos céus; aquele, porém, que os cumprir e ensinar será chamado grande no reino dos céus." (Mateus 5 : 19). Não obstante essa advertência do próprio Senhor, a lei não só foi mudada, como também adaptada para atender os interesses de uns poucos. E o pior é que tais preceitos que são puramente humanos são ensinados nas igrejas tal qual os fariseus faziam, invalidando assim os mandamentos de Deus, pelas suas tradições (Marcos 7 : 9).

Sabemos que a lei não pode ser revogada, mas no evangelho escrito por Lucas, temos um texto que parece contradizer este ponto. O texto é esse: "A lei e os profetas duraram até João; desde então é anunciado o reino de Deus, e todo o homem emprega força para entrar nele." (Lucas 16 : 16). Na verdade, Lucas parece contradizer Mateus 5 : 17 que disse: "Não cuideis que vim destruir a lei ou os profetas: não vim ab-rogar, mas cumprir."  (Mateus 5 : 17). Alguns cristãos se valem de Lucas 16 : 16, para afirmarem que a lei não está mais em vigor, enquanto que os céticos e opositores da Bíblia aproveitam textos como estes para criticar a bíblia como contraditória e cheia de erros. Mas, o que Jesus quis dizer no evangelho de Lucas 16 : 16? Estava Jesus a dizer que a lei e os profetas só valeram até João o Batista e que depois dele ambos não têm mais nenhum valor? É lógico que não! Crer nessa tese é afirmar também que não existem mais profetas na graça. Mas, para entender isso, vamos nos valer da exegese e retroceder alguns capítulos do evangelho de Lucas. No capítulo 7 está escrito: "E eu vos digo que, entre os nascidos de mulheres, não há maior profeta do que João o Batista; mas o menor no reino de Deus é maior do que ele." (Lucas 7 : 28). Jesus estava afirmando que João o Batista foi o último dos profetas veterotestamentários.

João o Batista foi o último dos profetas do antigo concerto a profetizar na Lei, porém, foi o mais privilegiado de todos, porque preparou o caminho para o Salvador. O evangelista Lucas enfatizou no primeiro capítulo de seu evangelho que João o Batista veio na virtude e no poder de Elias, um dos profetas mais contundentes do antigo concerto: "E irá adiante dele no espírito e virtude de Elias, para converter os corações dos pais aos filhos, e os rebeldes à prudência dos justos, com o fim de preparar ao Senhor um povo bem disposto." (Lucas 1 : 17). A tradução King James, sobre Lucas 16 : 16 diz: “A Lei e os Profetas PROFETIZARAM até João. Dessa época em diante estão sendo pregadas as Boas Novas do reino de Deus, e todos tentam conquistar sua entrada no Reino”. A carta aos Hebreus que foi escrita aos judeus que se convertiam ao evangelho da graça, fala disso: "Havendo Deus antigamente falado muitas vezes, e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas, a nós falou-nos nestes últimos dias pelo Filho," (Hebreus 1 : 1). É bom compreender que muito embora os evangelhos façam parte do compendio do Novo Testamento, este só teve início após a morte de Jesus, como diz as Escrituras: “Porque onde há testamento, é necessário que intervenha a morte do testador. Porque um testamento tem força onde houve morte; ou terá ele algum valor enquanto o testador vive?” (Hebreus 9 : 16, 17). Resumindo: a Lei não foi abolida em João o Batista e nem os profetas.

Em algumas das lições que passamos, foi falado a respeito da adaptação de certos mandamentos à graça. Porém, nada da Lei foi adaptado a graça e sim cumprido. Jesus ao cumprir a lei nos deu um NOVO MANDAMENTO. "Um novo mandamento vos dou: Que vos ameis uns aos outros; como eu vos amei a vós, que também vós uns aos outros vos ameis." (João 13 : 34). Ele mesmo disse: "Destes dois mandamentos dependem toda a lei e os profetas." (Mateus 22 : 40). Paulo confirma as Palavras do Senhor dizendo: "Na sua carne desfez a inimizade, isto é, a lei dos mandamentos, que consistia em ordenanças, para criar em si mesmo dos dois um novo homem, fazendo a paz," (Efésios 2 : 15).

IV-A LEI E O EVANGELHO

O papel da Lei; Jesus e Moisés estão do mesmo lado e A Justiça dos fariseus

"Sabendo que o homem não é justificado pelas obras da lei, mas pela fé em Jesus Cristo, temos também crido em Jesus Cristo, para sermos justificados pela fé em Cristo, e não pelas obras da lei; porquanto pelas obras da lei nenhuma carne será justificada." (Gálatas 2 : 16). É bom salientar que as obras da lei são diferentes das obras de misericórdia, qual Tiago ensina ser essências acompanharem nossa fé (Tiago 2 : 24). Obras essas que justificam a nossa fé. Mas, o que seria essas obras da lei? Todas aquelas ordenanças que quando a lei foi promulgada no Sinai, foram nela inseridas. Até mesmo os mandamentos que Deus deu antes da lei, como a observância do dia de sábado e a circuncisão, passaram a ser obra da lei, quando esta passou a vigorar. Em Neemias 10 : 28 a 39 é citado uma lista de ordenanças que são obras da lei, onde algumas delas são praticadas e ensinadas na igrejas cristãs, justamente por haverem sido adaptadas à graça, sem consentimento do seu autor. Na carta aos Gálatas, que é considerada por muitos cristãos, como a carta magna da liberdade dos crentes, Paulo diz que: “...a lei nos serviu de aio, para nos conduzir a Cristo, para que pela fé fôssemos justificados."  (Gálatas 3 : 24). Isto é, o papel da lei foi preparar o caminho para a chegada do Messias que é o autor e consumador de nossa fé (Hebreus 12 : 2).

Jesus e Moisés estão do mesmo lado. A respeito de Jesus, Moisés falou: “O SENHOR teu Deus te levantará um profeta do meio de ti, de teus irmãos, como eu; a ele ouvireis” (Deuteronômio 18 : 15). Moisés, como profeta que teve o privilégio de falar face a face com Deus, sabia que a lei que ele como medianeiro deu ao povo de Israel era transitória (2Corintios 3 : 7). Deus lhe revelara que a lei teria o seu cabal cumprimento na vida de Seu unigênito filho, que remiria os crentes de debaixo do jugo da lei (Gálatas 4 : 5). No cumprimento da lei, conforme já expliquei acima, Jesus falou de Moisés, ordenando que os judeus atentassem para aquilo que Moisés havia designado em lei, como a oferta pela purificação do leproso: "Disse-lhe então Jesus: Olha, não o digas a alguém, mas vai, mostra-te ao sacerdote, e apresenta a oferta que Moisés determinou, para lhes servir de testemunho." (Mateus 8 : 4), bem como aconselhou aos escribas e fariseus continuarem entregando os seus dízimos, conforme Moisés havia determinado em lei que era em produtos da terra e não em dinheiro (Mateus 23 : 23 ; Lucas 11 : 42).

E, quanto a nossa justiça exceder a dos escribase dos fariseus, não significa fazer o que os fariseus faziam ou além do que faziam, como muitos supõe. É fazer exatamente o contrário, pois os fariseus não eram justos e sim hipócritas. Basta uma leitura atenciosa no capítulo 23 de Mateus e entender como agiam. No verso 3 Jesus aconselha seus discípulos: “Todas as coisas, pois, que vos disserem que observeis, observai-as e fazei-as; mas não procedais em conformidade com as suas obras, porque dizem e não fazem” (Mateus 23 : 3). Entre outras coisas, os escribas e fariseus, quando faziam alguma obra era com o intuito de serem vistos pela sociedade (verso 5); gostavam de serem reconhecidos pelos títulos eclesiásticos (verso 6); pelo legalismo exacerbado fechava a porta do reino dos céus às pessoas (verso 13); visitavam as viúvas e cobravam pelas longas orações que faziam (Verso 13); davam o dízimo que a lei exigia, mas não exerciam misericórdia, justiça e fé (verso 23). Enfim, nada do que faziam contava com a aprovação do Senhor, por isso, Jesus disse: "Porque vos digo que, se a vossa justiça não exceder a dos escribas e fariseus, de modo nenhum entrareis no reino dos céus." (Mateus 5 : 20).
                                
CONCLUSÃO

"Concluímos, pois, que o homem é justificado pela fé sem as obras da lei." (Romanos 3 : 28). A fé cristã não é contra a lei, mas entende que ela exerceu o seu papel que foi servir de tutor até a chegada Cristo que nos justificou pela fé, sendo Ele próprio o autor e consumador desta (Gálatas 3 : 24 ; Hebreus 12 : 2) . A lei não foi revogada, mas continua em pleno vigor, mas para o povo a quem foi dada – Os judeus. A Lei veio revelar o pecado, mas não trouxe a solução, mas Cristo sim, pela graça. E, quanto à igreja, o próprio Espírito Santo conduziu os primeiros líderes a tomarem uma decisão bastante importante no que concerne as obras da lei, conforme está no capítulo 15 do livro de Atos:

“Agora, pois, por que tentais a Deus, pondo sobre a cerviz dos discípulos um jugo que nem nossos pais nem nós pudemos suportar? Mas cremos que seremos salvos pela graça do Senhor Jesus Cristo, como eles também... Por isso julgo que não se deve perturbar aqueles, dentre os gentios, que se convertem a Deus.Mas escrever-lhes que se abstenham das contaminações dos ídolos, da prostituição, do que é sufocado e do sangue. Porque Moisés, desde os tempos antigos, tem em cada cidade quem o pregue, e cada sábado é lido nas sinagogas... Na verdade pareceu bem ao Espírito Santo e a nós, não vos impor mais encargo algum, senão estas coisas necessárias: Que vos abstenhais das coisas sacrificadas aos ídolos, e do sangue, e da carne sufocada, e da prostituição, das quais coisas bem fazeis se vos guardardes. Bem vos vá” (Atos 15 : 10 ,11 ; 19 – 21; 28 , 29).

A igreja do Senhor é salva pela graça sem as obras da Lei. Porém, existem alguns que por falta de conhecimento acham que devem cumprir alguns cerimoniais da lei que é próprio dos judeus. A estes que não são judeus, mas que se passam por judeus, Jesus os chama de Sinagoga de Satanás (Apocalipse 2 : 9 ; 3 : 9).

"Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se maldição por nós; porque está escrito: Maldito todo aquele que for pendurado no madeiro;"  (Gálatas 3 : 13)


Em Cristo,

Reginaldo Barbosa

Santa Bárbara do Pará.

26 comentários:

  1. Excelente texto Reginaldo mais detalhado que isso, impossível!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. DESIGREIJADOS E SEM PASTOR , Boa sorte !

      Excluir
  2. É Reginaldo, e existem áqueles que gostam de judaizar o cristianismo!

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É o que mais se vê nas igrejas e muitos não se dão conta do perigo que correm de ficar fora do reino de Deus.

      Excluir
  3. Excelente texto Reginaldo mais detalhado que isso, impossível!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Roberto Nogueira , Ahhh ! debata as "suas idéias" com o pastor Augustus Nicodemus , ele é mestre em NT , doutor em interpretação bíblica , teólogo , professor de Novo Testamento , Ahhh ! acredito que vc não acreditará em NADA DO QUE ELE DIZ PORQUE ELE TAMBÉM É "PASTOR" e congrega na PRIMEIRA IGREJA Presbiteriana de Goiânia. ASSISTA OS 2 VÍDEOS: https://youtu.be/H7gf7RcUsxE https://youtu.be/iiK2A84iXHg E MESMO DEPOIS DE ASSISTIR E MESMO ASSIM NÃO ACREDITAR CONTINUE NA SUA IGNORÂNCIA ESPIRITUAL. PERGUNTE ANTES NO LUGAR QUE VC FOR SE REUNIR com 2 OU 3 em nome do "deus" de Desigreijados e sem Pastores lá FOI FEITO POR MÃO DE QUEM ?

      Excluir
    2. Rsrsrssrrs

      Mestre em NT? Ahhhh, conta outra Marcelo. Você acredita em papai noel também?

      E por falar em igreja presbiteriana, já viu que ela está divida e uma de suas vertentes defende o casamento gay?

      http://noticias.gospelmais.com.br/igreja-presbiteriana-aprova-mudanca-permite-casamento-gay-75034.html

      Seria esse o modelo de igreja no Novo Testamento defendidas por esses mestres?

      Excluir
    3. TU TÁ POR FORA!!! SABE DE NADA INOCENTE!!! O que tem haver a IPB com a PCUSA ? Como é sabido de todos, a Igreja Presbiteriana do Brasil (IPB) não tem nenhum relacionamento com esta “igreja” americana, da qual se desligou faz décadas por causa das posturas liberais da mesma, muito antes dela aprovar o casamento gay. A PCUSA é uma denominação liberal que já abandonou faz tempo os principais pontos da Reforma, como a autoridade e infalibilidade das Escrituras. Muitos não sabem que o termo “presbiteriana” define apenas um sistema de governo, não uma teologia. A rigor, uma igreja presbiteriana é aquela que é governada por presbíteros. Assim, há igrejas que se dizem presbiterianas mas que são renovadas ou de linha pentecostal. No caso da PCUSA, é uma igreja governada por presbíteros e que adota uma teologia liberal.
      FONTE: http://tempora-mores.blogspot.com.br/ https://pt-br.facebook.com/AugustusNicodemusLopes/posts/738085916243822 ISSO PORQUE VC POSTOU EM UM DE SEUS COMENTÁRIOS E DIZ QUE RESPEITA Augustus Nicodemus , quanta hipocrisia de SUA PARTE JULGA ELE E A IGREJA QUE ELE CONGREGA NO BRASIL SEM SABER DE NADA E DIZ QUE RESPEITA ? TU DEVE ESTAR COM ALGUM PROBLEMA MENTAL , E quem "mistura as coisas" sou eu ? te recomendo um Psicólogo.

      Excluir
    4. Tá!

      Já li essa explicação postada por um membro dessas igrejas. Você apenas copiou e colou aqui como costuma fazer, pois, infelizmente não tem opinião própria.

      A bem da verdade, todas as "igrejas" que são fundadas por homens são farinha do mesmo saco. São todas filhas da igreja romana, a grande prostituta de Apocalipse 17. Todas serão julgadas e condenadas junto com a mãe. Não ponho a mão no fogo por nenhuma delas.

      Graças a Deus que hoje sou um "desigrejado", pois que não estou mais neste sistema corrupto, enganador.

      "E ouvi outra voz do céu, que dizia: Sai dela, povo meu, para que não sejas participante dos seus pecados, e para que não incorras nas suas pragas." (Apocalipse 18 : 4).

      Quanto ao Augusto Nicodemos, eu o respeito como pessoa, como um semelhante, assim como respeito qualquer um. Mas isso não quer dizer que eu concorde com aquilo que ele defende. Saiba diferenciar as coisas também.

      Excluir
    5. AO CONTRÁRIO DO QUE VC PENSA E DIZ AO MEU RESPEITO "infelizmente não tem opinião própria" TENHO SIM A MINHA OPINIÃO PRÓPRIA E RESUMIDA A SEU RESPEITO: CONSULTE UM Psicólogo , DE 100% do que está em seu Blog os crentes fiéis e congregados aproveitam 10% que são só os versículos bíblicos , o resto é lixo virtual e sem proveito algum. SÓ ALGUÉM DESINFORMADO PRATICA ALGUM ENSINO BÍBLICO DE ALGUÉM SEM/100 IGREJA E SEM/100 PASTOR. ESSA É A MINHA OPINIÃO PRÓPRIA ! ! !

      Excluir
    6. Marcelo, atente bem para o que vou lhe dizer:

      "Até o tolo, quando se cala, é reputado por sábio; e o que cerra os seus lábios é tido por entendido." (Provérbios 17 : 28).

      Já ví que é uma tremenda perda de tempo ficar debatendo com pessoas como você. Se você acha que está correto com seus pastores, continue com, eles. Eu nem sei quem você é. Saiba que pastores visitam esse blog e alguns deles concordam com o que aqui é exposto. Pastores de verdade e não mercenários que vivem às custas de prosélitos.

      Se quiser continuar comentando aqui, tem a liberdade, mas fique certo que excluírei os comentários repetitivos, heréticos e os que faltam com respeito, pois eu sou o administrador desse blog e não quero lixo aqui.

      Passar bem.

      Excluir
  4. Caro Marcelo, não preciso de mestre nenhum, meu único "mestre" é o Senhor Jesus!Não necessito de teólogo, mestre, doutor da bíblia!Sabia que essa tal"teologia" é ensino de homens?Quer aprender mais de Deus?leia as escrituras com sua visão, não com a ótica das denominações religiosa e conhecerá a verdade e será liberto!

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sabendo primeiramente isto: que nenhuma profecia da Escritura é de particular interpretação. (2 Pe1:20)

      Excluir
  5. Marcelo, quando voce tiver esse caráter, conhecerá a verdade e será por ela liberto!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.(Jo14:6)

      Excluir
  6. Reginaldo, gostei muito do estudo, muito bom mesmo.
    Quanto às colocações e idéias do indivíduo acima te digo o seguinte:
    "ARGUMENTAR COM UMA PESSOA QUE RENUNCIOU O USO DA RAZÃO, É COMO APLICAR REMÉDIO EM PESSOAS MORTAS!"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá amigo , vc congrega em uma Igreja com Pastor e pratica todas as doutrinas que Deus ou Jesus jamais aboliu ? Se vc não é crente e não pratica jamais vai me dar razão , e não só a mim , mas a todos os crentes praticantes.(Tg1:22) Se ainda não se converteu , converta-se ! https://youtu.be/-5ZKhC9dtRQ

      Excluir
    2. Esse povo tá desesperado Tobias. Multidões estão conhecendo o que de fato é a igreja e estão saíndo das gaiolas que são as igrejas institucionais com seus fundadores para servirem na igreja como corpo de Cristo. O medo dos pseudos-pastores é que está chegando a hora em que eles irão ter de trabalhar para ganhar a vida normalmente como qualquer filho de Deus, comendo do suor do próprio rosto e não do rosto do incauto fiel.

      Excluir
    3. Não congrego na Igreja universal , mas pesquisando na internet como "ALGUNS" a chamam de seita e só enxergam o lado negativo e o positivo com o tempo cai no esquecimento como é natural do ser humano. Li sobre OBRAS DA IGREJA UNIVERSAL: Trabalho voluntário, espiritual e social e pregando o evangelho pelo mundo
      Ações com os jovens
      Valorização da mulher
      Cuidados a crianças e adolescentes
      Visita a hospitais
      Apoio a presos e familiares
      Conforto a quem perdeu entes queridos
      Atenção a crianças órfãs
      Evangelização em asilos
      Auxílio espíritual a mães
      Ações sociais nas comunidades
      Trabalho voluntário com universitários
      Ajuda a moradores de rua
      Apoio a vítimas de violência doméstica
      Apoio a adolescentes grávidas e mães solteiras
      Incentivo e auxílio a idosos
      Oportunidades no mercado de trabalho
      Auxílio na recuperação de dependentes químicos
      Apoio a equipes de resgates em ocorrências
      Cursos de alfabetização e profissionalizantes http://www.universal.org/noticias-da-universal/acao-social/ http://www.universal.org/grupos-de-trabalho/obreiros.html Tenho que reconhecer que esse trabalho de amor ao próximo está sendo bem executado por pessoas e não está só no blá , blá , blá ! Será que os desigrejados e sem pastor fazem ao menos 1% que a igreja institucional faz ?

      Excluir
    4. Sim Marcelo, fazemos, por sermos filhos de Deus.

      Mas, com a diferença que não tocamos trombetas diante de nossos atos, para sermos reconhecidos pelos homens. Quando estivermos diante de Deus, seremos julgados por nossas ações pessoais (obras), individualmente e não coletivamente. A igreja institucional fundada por homens com interesses nos bens dos fiéis não responderá por sua vida. É você que terá de prestar conta pelo que fez ou deixou de fazer ao seu próximo.

      Naquele dia será inútil dizer: "Senhor, eu fui dizimista fiel na minha igreja, eu dei com fidelidade para o pastor administrar conforme a vontade dele". Jesus responderá: Apartai-de mim para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos, porque tive fome e não me destes de comer, tive sede e não me destes de beber...(Mateus 25:31-46).

      Não delegue suas responsabilidades a terceiros.

      Excluir
    5. Conheço bem as minhas responsabilidades. Não delego as minhas responsabilidades a terceiros. Ao contrário estou antenado ao trabalho individual e coletivo , espiritual de evangelização e de amor ao próximo a todos dentro da Igreja e fora dela e procuro aprender mais com todas as Igrejas de Deus(1Tm3:15) (Ef1:22-23) que prestam excelente trabalho individual e coletivo , espiritual de evangelização e de amor ao próximo.(Ef4:5-6) (Ef4:11) O trabalho de evangelização e de amor ao próximo não é só individual existe o coletivo em união praticado pelas Igrejas e são beneficiados um número maior de pessoas(Mc3:24) Quem deve temer a prestação de contas com Deus são aqueles que não fazem o que Deus manda e ensinam coisas que Deus ou Jesus jamais aboliu , cancelou ou ab-rogou. De novo o assunto dízimo ? eu nem citei esse assunto. Onde está escrito na bíblia "Senhor, eu fui dizimista fiel na minha igreja, eu dei com fidelidade para o pastor administrar conforme a vontade dele" ?

      Excluir
  7. Como os fariseus modernos utilizam errônea e frequentemente a Carta aos Gálatas para tentar reforçar sua tese altamente equivocada pela qual Jesus teria abolido as leis, tudo por conta da lei do sábado que pretendem ver extirpadas no Evangelho, criei esse arquivo que demente todas as pretensões de todos eles, famosos ou não.

    A maioria dos pastores evangélicos interpreta errado a Carta aos Gálatas.
    Parte 1 de 7

    Fiz-me acaso vosso inimigo, dizendo a verdade? Gálatas 4:16.
    Cansado, triste, chateado e desconsolado por causa do despreparo, da ignorância espiritual, ou até do farisaísmo da maioria dos pastores evangélicos, até dos mais famosos por todo o mundo, resolvi apontar seus crassos erros bíblicos, tais como “Jesus nos resgatou das maldições das leis”, onde por esse e por outros preceitos isolados ou não, por ignorância ou por pura conveniência doutrinária, atribuem as leis malditas citadas pelo apóstolo Paulo às leis do Decálogo do Senhor Deus, como se tal coisa fosse minimamente possível.
    Para quem se aplica a estudar a Carta aos Gálatas, dividida pelo homem em seis capítulos, vai notar que Está Escrito bem claramente que havia um grupo de Gálatas (há alguns que vos inquietam... Gálatas 1:7) cujos membros não se conformavam que as leis antigas, as de seus pais, das suas tradições, muitas vezes seculares, a partir de Jesus deixaram de existir na implantação da Nova Mensagem de Deus à Humanidade. Curiosamente, mesmo que não notado, isso caracterizou-se em mais um milagre grandioso de Jesus: Fez os judeus, em boa parte deles, abandonarem as ordenanças antigas, suas tradições antigas, suas leis antigas, enraigadas em suas almas, mesmo que algumas delas se caracterizassem como cargas pesadas - segundo o próprio Jesus, abaixo colocado - a favor da Religião da Graça, pois realmente foi difícil. Mas Está Escrito que tais leis, retrógradas, que escravizavam, que amaldiçoavam e que podiam matar dentro da lei, só vigoraram até João (Batista) Lucas 16:16.
    “Pois atam fardos pesados e difíceis de suportar, e os põem aos ombros dos homens; eles, porém, nem com seu dedo querem movê-los...”. Jesus, em Mateus 23:4, se opondo contra os fariseus e suas leis retrógradas, as mesmas condenadas pelo apóstolo Paulo.
    A Verdade, como provaremos abaixo, é que as leis do Decálogo formaram os fundamentos do Evangelho, como também foram promulgadas por Deus para a humanidade, pois Está Escrito que o Senhor não faz distinção entre pessoas ou raças. Mesmo que resumidas, as 10 leis regulam perfeitamente todas as relações entre os homens e Deus e entre eles próprios, pois se todos obedecessem a essas leis de Deus o mundo seria um paraíso na Terra. Não haveria roubos, assassinatos e outros crimes; não necessitaríamos de muros, de fechaduras, de polícia, de exércitos, de armas, etc. etc. Por isso, mostraremos, sob as Escrituras, que quando o apóstolo Paulo repudiava as leis, essas nada tinham a ver com as leis do Decálogo. Para os que teimam em não aceitar isso, para esses provaremos, aqui a agora, que as Leis do Monte Sinai são perpétuas e absolutamente “imexíveis”.
    Vamos, então, colocar aqui os preceitos da Carta aos Gálatas mais usados pela maioria dos pastores citados na tentativa de burlar as leis de Deus, por pura conveniência doutrinária ou pelo menos na tentativa inútil de anular uma só delas, pois essa se consolida como uma pedra bem pontiaguda no sapato deles todos. Vejamos a VERDADE DE DEUS, impossível de refutar dentro da honestidade. Vem bem ao caso uma declaração de Paulo a um grupo de gálatas que tentava que certas leis antigas e retrógradas que escravizavam continuassem a validade também no Evangelho:
    Fiz-me acaso vosso inimigo, dizendo a verdade? Gálatas 4:16. Continue

    ResponderExcluir
  8. A maioria dos pastores evangélicos interpreta errado a Carta aos Gálatas.
    Parte 2 de 7
    Para quem se aplica a estudar a Carta aos Gálatas, dividida pelo homem em seis capítulos - vai notar que Está Escrito bem claramente que havia um grupo de Gálatas (há alguns que vos inquietam... Gálatas 1:7) cujos membros não se conformavam que as leis antigas, as de seus pais, das suas tradições, muitas vezes seculares, a partir de Jesus deixaram de existir na implantação da Nova Mensagem de Deus à Humanidade. Curiosamente isso se caracterizou em mais um milagre grandioso de Jesus não notado: Fez os judeus, em boa parte deles, abandonarem as ordenanças antigas, suas tradições antigas, suas leis antigas, enraigadas em suas almas, mesmo que algumas delas se caracterizassem como cargas pesadas - segundo o próprio Jesus declarou, abaixo colocado - a favor da Nova Religião, da Religião da Graça, e da Liberdade, pois realmente foi difícil, mas Está Escrito que as tais leis e ordenanças retrógradas, que escravizavam, que amaldiçoavam e que podiam matar dentro da lei, só vigoraram até João (Batista) Lucas 16:16. Portanto, principalmente em Gálatas e em Efésios.
    “Eu quereria que fossem cortados aqueles que vos andam inquietando”. Gálatas 5:12. O Paulo, se referindo ao rebelde grupo de gálatas.
    “Pois atam fardos pesados e difíceis de suportar, e os põem aos ombros dos homens; eles, porém, nem com seu dedo querem movê-los...”. Jesus, em Mateus 23:4, se opondo contra os fariseus e suas leis retrógradas, as mesmas condenadas pelo apóstolo Paulo, pois quanto às leis do Decálogo, veremos agora como o apóstolo Paulo se referia a elas:
    A hora da Verdade do apóstolo Paulo: Principalmente na Carta aos Gálatas, ele abominava as leis que só vigoraram até João, mas quanto às leis do Decálogo, se confessa escravo delas:

    “Graças a Deus por Jesus Cristo, nosso Senhor. De maneira que eu, de mim mesmo, com a mente, sou escravo da lei de Deus, mas, segundo a carne, da lei do pecado”. Romanos, 7:25.

    “Porque, no tocante ao homem interior, tenho prazer na lei de Deus”. Romanos, 7:22.

    “Para Deus não há diferença de pessoas. Assim, pois, todos os que sem a lei pecaram, também sem lei perecerão; e todos os que com a lei pecaram, mediante a lei serão julgados, porque os simples ouvidores da lei não são justos diante de Deus, mas todos os que praticam a lei hão de ser justificados”. Romanos, 2:12. Aqui, Paulo, novamente, ressalta o valor dos Mandamentos, e lembrando que são Dez!

    “... se tornou manifesto e foi dado a conhecer por meio das Escrituras proféticas, segundo o mandamento do Deus eterno, para a obediência por fé, entre todas as nações”. Paulo, em Romanos, 16:25.

    Paulo, o santo em vida, revela que não haveria pecado sem que houvesse antes a Lei instituída, promulgada e propagada e ainda cita uma das leis do Decálogo provando que se referia, de fato, às Dez Leis:

    “Que diremos, pois? É a lei pecado? De modo nenhum! Mas eu não teria conhecido o pecado, senão por intermédio da lei; pois não teria eu conhecido a cobiça se a lei não dissera: Não cobiçarás”. Romanos, 7:7.

    “Por conseguinte, a lei é santa; e o mandamento é santo, justo e bom”. Romanos, 7:12.

    Então, o Evangelho nos prova que Paulo jamais abominou uma só das 10 leis do Decálogo, ao contrário, imitando Jesus no Sermão do Monte, legitimou-as como os fundamentos do Evangelho de Cristo.
    Não nos esqueçamos de que Está Escrito que Jesus nomeou, com plena autoridade divina, como filhos do diabo os fariseus que constantemente o acusavam em público de desrespeitar as leis. Então, quando nos atermos, no Evangelho, a qualquer acusação dos fariseus contra Jesus, supostamente por ele ter violado uma só da leis de Deus, principalmente o Quarto Mandamento, Continue

    ResponderExcluir
  9. A maioria dos pastores evangélicos interpreta errado a Carta aos Gálatas.
    Parte 3 de 7
    se tratava do próprio Adversário tentando atrapalhar e corromper, ao máximo possível, a implantação divina da Nova Mensagem, que tirava o povo das trevas para a Luz, da escravidão e das ordenanças retrógradas e até do pavor da morte por esfacelamento corporal a pedradas para a LIBERDADE, para a GRAÇA, para uma nova vida sem aquelas cargas pesadas. (Jesus anulou a lei da morte ao salvar a pobre mulher adúltera)
    Um dos grandes erros dos pastores evangélicos, parte deles, é que interpretam erradamente que a LIBERDADE e a GRAÇA citadas no Evangelho se caracterizariam como um tipo de libertação das leis do Decálogo, como se isso fosse possível. Impossível!!! Mas impossível mesmo!!! Para isso, valem-se erradamente de certos preceitos de Gálatas, interpretando que Jesus teria nos livrado das leis malditas e escravizantes, atribuindo essas leis aos Dez Mandamentos, afirmando, sob Satanás, que “Jesus cumpriu as leis por nós e agora não temos mais que cumprir”. Mas a verdade é que esses pastores, na maioria, despreparados ou pela dificuldade da observação de todas as 10 leis, defendem, erradamente a anulação delas todas apenas por causa de uma só que os incomoda bastante. Por causa de uma só lei do Decálogo pretendem acabar com todas, como se isso fosse minimamente possível.
    Bem, vamos agora à Carta aos Gálatas. (João Ferreira de Almeida: www.bibliaonline.com.br).
    “Maravilho-me de que tão depressa passásseis daquele que vos chamou à graça de Cristo para outro evangelho, o qual não é outro, mas há alguns que vos inquietam e querem transtornar o Evangelho de Cristo”. Gálatas 1:6,7
    Acima, o apóstolo Paulo, que escrevia e falava sempre iluminado pelo Espírito Santo de Deus, repreende um grupo de Gálatas, inconformado com a visível anulação das leis de sua tradição secular na implantação do Evangelho:
    (...mas há alguns que vos inquietam e querem transtornar o Evangelho de Cristo”. Gálatas 1:7. Um grupo rebelde.
    Vejam que a Palavra Escrita de Deus acusa um grupo de Gálatas de tentar perverter o Evangelho, e isso é importante ressaltar, pois todas as acusações e colocações seguintes do apóstolo Paulo são dirigidas especificamente a esse grupo. E quando ele cita as leis como nocivas, nunca e jamais poderia estar se referindo às leis do Decálogo, pois, com respeito a essas, ele ressaltou-as como imprescindíveis no Evangelho e ainda revelou-se escravo delas:
    “Graças a Deus por Jesus Cristo, nosso Senhor. De maneira que eu, de mim mesmo, com a mente, sou escravo da lei de Deus, mas, segundo a carne, da lei do pecado”. Romanos, 7:25.

    “Porque, no tocante ao homem interior, tenho prazer na lei de Deus”. Romanos, 7:22.

    “Para Deus não há diferença de pessoas. Assim, pois, todos os que sem a lei pecaram, também sem lei perecerão; e todos os que com a lei pecaram, mediante a lei serão julgados, porque os simples ouvidores da lei não são justos diante de Deus, mas todos os que praticam a lei hão de ser justificados”. Romanos, 2:12. Aqui, Paulo, novamente, ressalta o valor dos Mandamentos, e lembrando que são Dez!


    “... se tornou manifesto e foi dado a conhecer por meio das Escrituras proféticas, segundo o mandamento do Deus eterno, para a obediência por fé, entre todas as nações”. Paulo, em Romanos, 16:25
    Paulo, o santo em vida, revela que não haveria pecado sem que houvesse antes a Lei instituída,. Continue

    ResponderExcluir
  10. A maioria dos pastores evangélicos interpreta errado a Carta aos Gálatas.
    Parte 5 de 7
    Esse preceito acima é o mais usado pelos ignorantes do Evangelho na tentativa da derrocada das leis de Deus, as do Decálogo. Mas as obras da lei citadas são exatamente aqueles que o grupo de gálatas tentou fazer vigorar, também, no Evangelho da Liberdade e da Graça, que naturalmente abomina as leis citadas acima, principalmente a lei da morte a pedradas, a lei dos sacrifícios de animais nos templos, a lei da segregação racial, como também a lei da circuncisão, lei da carne, um tipo de operação de fimose, à faca e sem anestesia. Quanto a isso, imaginem o apóstolo Paulo, frente a um grupo de pagãos convertidos ao cristianismo, dizendo a eles: Continue

    “Meus irmãos, dou graças pela vossa conversão à religião de Jesus, mas para que ela se consolide, é necessário que eu agora, com esta faca, corte o prepúcio de vossos pênis para que se cumpra a lei. Vai doer em todos e em alguns vai infeccionar, mas só assim vocês poderão pertencer à religião da Liberdade e da Graça de Jesus”.
    lei não dissera: Não cobiçarás”. Romanos, 7:7.

    “Por conseguinte, a lei é santa; e o mandamento é santo, justo e bom”. Romanos, 7:12.

    Então, estando perfeitamente esclarecido fundamentado no Evangelho que o apóstolo Paulo jamais poderia abominar as leis de Deus, as do Decálogo, sobraram para as leis antigas e retrógradas que só vigoraram até João, como Está Escrito, e que eram justamente essas tais leis que o grupo de gálatas
    Acima, se Paulo tivesse permitido que as leis das obras (como as citadas) integrassem o Evangelho, como pretendia o secreto grupo de gálatas, onde estaria a Liberdade e a Graça de Jesus? Por isso mesmo Paulo escreveu acima “que todos os que estão debaixo das leis das obras são malditos.
    “E é evidente que pela lei ninguém será justificado diante de Deus, porque o justo viverá pela fé”. Paulo cita, novamente, as leis retrógradas, que só valeram, num tempo, para regularizar as relações entre os hebreus israelitas nos sofridos 40 anos de deserto.
    “Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se maldição por nós; porque está escrito: Maldito todo aquele que for pendurado no madeiro”. Gálatas 3:13.
    Acima, Cristo nos livrou das trevas e nos conduziu para a Luz. Da maldição para a Graça. Das leis escravas para a Liberdade. Das Obras da carne para a fé.
    “Mas, antes que a fé viesse, estávamos guardados debaixo da lei, e encerrados para aquela fé que se havia de manifestar. De maneira que a lei nos serviu de aio, para nos conduzir a Cristo, para que pela fé fôssemos justificados. Mas, depois que veio a fé, já não estamos debaixo de aio. Porque todos sois filhos de Deus pela fé em Cristo Jesus. Porque todos quantos fostes batizados em Cristo já vos revestistes de Cristo”. Gálatas 3:23-27
    Antes de Jesus, valiam as leis existentes, a dos sacerdotes, dos príncipes e fariseus dos templos, que como revela Paulo, serviram a eles como um tipo de aio até que veio Jesus. A palavra grega AIO é o mesmo que tutor. Assim Paulo revela que no Evangelho cessaram as atribuições do tutor a favor da lei da Graça e da Liberdade da religião de Jesus.
    Nos primórdios do primeiro século, principalmente entre os gálatas, aconteceram problemas por conta da exigência da separação das leis antigas, tal qual da lei da circuncisão, pois as leis de Levítico ainda permaneceram fortes pelo menos até o apóstolo Paulo que lutou bastante para que tais leis retrógradas e já sem efeito, fossem esquecidas completamente, Continue

    ResponderExcluir
  11. A maioria dos pastores evangélicos interpreta errado a Carta aos Gálatas.
    Parte Final
    Provando, agora, que na Carta aos Gálatas Paulo reprendia um grupo de gálatas por querer a continuação das leis retrógradas no Evangelho, ele cita, diretamente, uma dessas leis e Continue
    ordenanças da carne que escravizavam: a lei da circuncisão. Nesses versos Paulo deixa muito bem claro que um dos jugos da escravidão se tratava da lei da circuncisão:
    “Estai, pois, firmes na liberdade com que Cristo nos libertou, e não torneis a colocar-vos debaixo do jugo da servidão. E de novo protesto a todo o homem, que se deixa circuncidar, que está obrigado a guardar toda a lei. Separados estais de Cristo, vós os que vos justificais pela lei; da graça tendes caído”. Gálatas 5: 1 a 3.

    Somente pelo verso acima tomamos conhecimento de que Paulo nunca e jamais fez qualquer alusão nociva às 10 leis de Deus, instituídas para obediência da Humanidade.

    “Porque este é o amor de Deus: que guardemos os seus mandamentos; e os seus mandamentos não são pesados”. I João 5:3

    “Todos os que querem mostrar boa aparência na carne, esses vos obrigam a circuncidar-vos, somente para não serem perseguidos por causa da cruz de Cristo. Porque nem ainda esses mesmos que se circuncidam guardam a lei, mas querem que vos circuncideis, para se gloriarem na vossa carne”. Gálatas 6:12 a13

    Então, por todas as colocações bíblicas acima, não há Verdade alguma sobre aqueles que atentam conta as Dez Leis de Deus, essas instituídas, promulgadas e propagadas a bem da Humanidade.
    Fiz-me acaso vosso inimigo, dizendo a verdade? Gálatas 4:16.
    Waldecy Antonio Simões
    walasi@uol.com.br
    www.segundoasescrituras.com.br
    Nesse site, temos um arquivo completo sobre as leis de Deus, um Tratado absolutamente fundamentado nas Escrituras. Pagina 2, de número 119, O Tratado Sobre as Leis de Deus
    Também tem o arquivo 137, de nome As Sete Verdades Irrefutáveis Sobre o Sábado.

    ResponderExcluir