Páginas

terça-feira, 3 de março de 2015

Não Furtarás!


No próximo domingo, 8 de março será ministrada a lição nº 10 da lição do presente trimestre que fala sobre os Dez Mandamentos. O assunto falará a respeito do oitavo mandamento que diz: NÃO FURTARÁS! Elaborei um pequeno subsídio sobre o assunto em questão, conforme segue:

Texto Áureo:
"Aquele que furtava, não furte mais; antes trabalhe, fazendo com as mãos o que é bom, para que tenha o que repartir com o que tiver necessidade." (Efésios 4 : 28)

Verdade Prática:
O Oitavo mandamento diz respeito à proteção da propriedade e abrange grande número de modalidades de furto sobre os quais o cristão precisa vigiar para não cair nas ciladas do Diabo.

INTRODUÇÃO

NÃO FURTARÁS ou NÃO ROUBARÁS; Qual o termo correto? Furtar e roubar são dois termos parecidos, mas com significados diferentes em sua etimologia. Porém, em ambos os casos, o furto e o roubo é praticado por alguém que é conhecido como ladrão.

Antes de iniciarmos nosso comentário sobre o oitavo mandamento NÃO FURTARÁS, precisamos entender a diferença que há entre FURTAR e ROUBAR.

FURTARTirar algo de uma pessoa sem o seu consentimento, apropriando- se INDEBITAVELMENTE do objeto”. É uma figura de crime prevista nos artigos 155 do Código Penal Brasileiro, que consiste na subtração de coisa alheia móvel para si ou para outrem, com fim de assenhoreamento definitivo.

ROUBAR: “Tirar algo de uma pessoa utilizando-se de VIOLENCIA (Assalto)”. No Brasil, a pena prevista para este crime é a reclusão, de quatro a dez anos, e multa (art. 157, caput, do Código Penal). Se da violência resulta lesão corporal grave, a pena é de reclusão, de sete a quinze anos, além da multa. Se resulta em morte, a reclusão é de vinte a trinta anos, sem prejuízo da multa. Trata-se do chamado latrocínio, considerado crime hediondo, nos termos da Lei 8.072/90.

NO ANTIGO TESTAMENTO

FURTO vem do hebraico ganab” (ga-nab) (גנב / גָּנַב) e é relativo a furtar”, “roubar” e implica em “enganar”. Em ambos os casos quem pratica tais crimes é considerado ladrão. Este verbo ocorre cerca de 39 vezes no Antigo Testamento e, diz respeito primariamente a sequestro de pessoas que eram roubadas e vendidas como escravas. Um crime que foi cometido pelos filhos de Jacó que venderam o próprio irmão, José a comerciantes ismaelitas (Gênesis 37 : 25 - 27). O próprio José testemunha sobre isso, quando diz: "Porque, de fato, fui roubado da terra dos hebreus; e tampouco aqui nada tenho feito para que me pusessem nesta cova." (Gênesis 40 : 15)

Porém, o oitavo mandamento NÃO FURTARÁS, diz respeito a outros tipos de delitos como: extorquir, sonegar, desviar, desfalcar, usurpar, saquear, piratear, e outros. O furto e/ou roubo na Bíblia também estava associado ao despojo, prática bastante comum nos tempos do Antigo Testamento:

"E não trarão lenha do campo, nem a cortarão dos bosques, mas com as armas acenderão fogo; e roubarão aos que os roubaram, e despojarão aos que os despojaram, diz o Senhor DEUS." (Ezequiel 39 : 10).

"Porque o SENHOR restaurará a excelência de Jacó como a excelência de Israel; porque os saqueadores os despojaram, e destruíram os seus sarmentos." (Naum 2 : 2).

"E, respondendo Jesus, disse: Descia um homem de Jerusalém para Jericó, e caiu nas mãos dos salteadores, os quais o despojaram, e espancando-o, se retiraram, deixando-o meio morto." (Lucas 10 : 30).

Por essa razão que os céticos e críticos da Bíblia, dizem haver contradição nesta, porque Deus, por um lado proíbe a prática do furto e do roubo e por outro ordena que se roube. Se valem isoladamente das passagens de Êxodo: “Porque cada mulher pedirá à sua vizinha e à sua hóspeda jóias de prata, e jóias de ouro, e vestes, as quais poreis sobre vossos filhos e sobre vossas filhas; e despojareis os egípcios (Êxodo 3 : 22) e também. "E o SENHOR deu ao povo graça aos olhos dos egípcios, e estes lhe davam o que pediam; e despojaram aos egípcios." (Êxodo 12 : 36). Esta contradição é desfeita, quando lemos todo o contexto que diz que Deus deu ao povo graça aos olhos dos egípcios. E em Êxodo 12 : 33 diz: “E os egípcios apertavam ao povo, apressando-se para lançá-los da terra; porque diziam: Todos seremos mortos”.

Como vemos, os egípcios tinham pressa que os hebreus deixassem o Egito, por causa do juízo de Deus que ali se derramou e a saída dos hebreus do Egito era a garantia de que eles não morreriam pelas pragas. Com esta atitude, os egipcios cumpriram a vontade de Deus que muito tempo antes havia prometido a Abrão que disse: "Então disse a Abrão: Sabes, de certo, que peregrina será a tua descendência em terra alheia, e será reduzida à escravidão, e será afligida por quatrocentos anos,Mas também eu julgarei a nação, à qual ela tem de servir, e depois sairá com grande riqueza" (Gênesis 15 : 13). Então, os hebreus não despojaram (roubaram) os egípcios.

O oitavo mandamento foi dado a Israel como preceito religioso e jurídico e, ao contrário dos demais mandamentos que estudamos até agora que sentenciava a morte o transgressor; este mandamento, de alguma maneira protegia o infrator, salvo se ele fosse flagrado e morto durante a noite (Êxodo 22 : 2). Fora isto, a pena prevista na lei era que o meliante, no caso de ser apanhado, restituiria com juros a quem havia defraudado. “Se alguém furtar boi ou ovelha, e o degolar ou vender, por um boi pagará cinco bois, e pela ovelha quatro ovelhas." (Êxodo 22 : 1). Quando Zaqueu se converteu ao Senhor, agiu conforme a lei exigia: "E, levantando-se Zaqueu, disse ao Senhor: Senhor, eis que eu dou aos pobres metade dos meus bens; e, se nalguma coisa tenho defraudado alguém, o restituo quadruplicado." (Lucas 19 : 8). Zaqueu não somente cumpriu a lei de Moisés ao devolver quatro vezes mais o que havia roubado de seus compatriotas; bem como também cumpriu a lei de Jesus, ao decidir repartir suas riquezas com os necessitados; o que o jovem rico não quis fazer (Mateus 19 : 22).

Deus não desejava a morte do ladrão, mas que este pagasse pelos seus crimes, caso contrário, determinaria em lei que os tais fossem mortos, como os idólatras; os que violavam o sábado e aos que eram flagrados em adultério. Na própria lei, Deus determinou um sacrifício para perdoar os crimes de furto e roubo, onde o culpado levaria uma oferta ao altar e o oferecia pela sua transgressão, conforme está em Levitico 6 : 1 – 7:

 Falou mais o SENHOR a Moisés, dizendo:
 Quando alguma pessoa pecar, e transgredir contra o SENHOR, e negar ao seu próximo o que lhe deu em guarda, ou o que deixou na sua mão, ou o roubo, ou o que reteve violentamente ao seu próximo,
 Ou que achou o perdido, e o negar com falso juramento, ou fizer alguma outra coisa de todas em que o homem costuma pecar;
 Será pois que, como pecou e tornou-se culpado, restituirá o que roubou, ou o que reteve violentamente, ou o depósito que lhe foi dado em guarda, ou o perdido que achou,
 Ou tudo aquilo sobre que jurou falsamente; e o restituirá no seu todo, e ainda sobre isso acrescentará o quinto; àquele de quem é o dará no dia de sua expiação.
 E a sua expiação trará ao SENHOR: um carneiro sem defeito do rebanho, conforme à tua estimação, para expiação da culpa trará ao sacerdote;
 E o sacerdote fará expiação por ela diante do SENHOR, e será perdoada de qualquer das coisas que fez, tornando-se culpada.
Alguns crentes usam passagens isoladas da Bíblia para afirmar que Deus mata sim a quem pratica o furto e/ou roubo. Citam (fora do contexto é claro) os casos de Acã no antigo testamento e de Ananias e Safira no novo testamento. Afirmam que Deus matou Acã, por este haver se apossado aquilo que era consagrado a Deus. Mas, Acã não morreu por haver roubado, mas sim por ter desobedecido as ordens de Deus, tomando o quera do anátema (maldição) e trazendo esse mal para dentro do arraial de Israel. Tudo o que pertencia a Jericó era maldito e ninguém poderia tomar nada para si. Quando da conquista de Jericó, Deus ordenou destruir tudo o que lá havia, com exceção de Raabe e sua família (Josué 6 : 17 , 18). Também o ouro, a prata e os demais metais que Deus ordenou separar para o santuário só deixaria de ser maldito quando passasse pelo processo de purificação, conforme a lei (Números 31 : 20 - 23). Acã cobiçou-os e se apossou deles muito antes de estes haverem sido separados e purificados para Deus, por isso que tomou maldição. 
E, quanto ao caso de Ananias e Safira no novo testamento, este casal morreu por haver mentido ao Espírito Santo. Como um abismo chama outro abismo, a ganância daquele casal contribuiu para esta tragédia. A propriedade que era deles e ninguém os forçou a vender para ajudar os irmãos. Eles tomaram essa iniciativa, mas a cobiça os dominou e eles tomaram para sí uma parte, achando que enganariam a Deus e ficariam impunes. Algo que acontece muito em nossos dias, quando se usa o nome de Deus em vão, pedindo a igreja contribuições, alegando ser para a obra de Deus, mas aplicando em outras coisas que a igreja muitas vezes não tem conhecimento.
A verdade prática da lição diz que o Oitavo Mandamento diz respeito à proteção da propriedade. De fato, Deus valoriza a conquista de seus filhos, quando adquiridos de forma honesta pelo trabalho. Deus não priva seus servos de possuírem bênçãos, conquanto seja adquirida de forma honesta e que não depositem sua confiança nelas, pois: "Aquele que confia nas suas riquezas cairá, mas os justos reverdecerão como a folhagem." (Provérbios 11 : 28). Ainda, no livro de provérbios encontramos dois exemplos, quanto a proteção de propriedades: “Não desloques os marcos antigos que limitam as propriedades e que foram colocados alí por teus antecedentes” (Provérbios 22 : 28). E, Não mudes os antigos marcos divisórios de propriedades, nem invadas as terras dos órfãos, porquanto o Redentor dos direitos dos órfãos é poderoso, e se colocará contra tí por causa deles" (Porvérbios 23 : 10 , 11). Já ví e ouví muitos pregadores usarem estes textos relacionando-os com a maneira de se obedecer à doutrina e, principalmente para corroborar a manutenção dos costumes e de diversas tradições nas igrejas, quais eles dizem que não temos o direito de mudar. Porém, os textos dizem respeito a proteção de propriedades alheias. Acabe e sua descendência foram punidos por Deus por causa desse cuidado (2Reis 9 : 26).

NO NOVO TESTAMENTO

Há um provérbio que diz que o “trabalho dignifica o homem”. O texto áureo da lição diz: "Aquele que furtava, não furte mais; antes trabalhe, fazendo com as mãos o que é bom, para que tenha o que repartir com o que tiver necessidade." (Efésios 4 : 28). O trabalho não é conseqüência do pecado, mas é um privilégio que Deus concedeu a seus filhos, para que estes de uma forma honesta realizem seus sonhos e também possam ajudar a obra de Deus, repartindo com aqueles que têm necessidade. Jesus, como homem, valorizou o trabalho e não viveu na ociosidade. Seus discípulos aprenderam com Ele e o imitaram. Paulo, quando orientava os líderes da igreja em Éfeso diz:

“33 De ninguém cobicei a prata, nem o ouro, nem o vestuário. 34 Sim, vós mesmos sabeis que para o que me era necessário a mim, e aos que estão comigo, estas mãos me serviram. 35 Tenho-vos mostrado em tudo que, trabalhando assim, é necessário auxiliar os enfermos, e recordar as palavras do Senhor Jesus, que disse: Mais bem-aventurada coisa é dar do que receber” (Atos 20 : 33 – 35).
  

Em outras igrejas o conselho dele era: "E procureis viver quietos, e tratar dos vossos próprios negócios, e trabalhar com vossas próprias mãos, como já vo-lo temos mandado;" (I Tessalonicenses 4 : 11), e: "Porque, quando ainda estávamos convosco, vos mandamos isto, que, se alguém não quiser trabalhar, não coma também." (II Tessalonicenses 3 : 10). Jesus havia ensinado que “digno é o trabalhador de seu alimento” (Mateus 10 : 10b). Portanto, todos os que trabalham devam se contentar com o ganho relativo aquilo que fazem. Fazer pouco ou quase nada e querer ganhar muito não é dignidade.

Jesus orienta seus seguidores:  "E disse-lhes: Acautelai-vos e guardai-vos da avareza; porque a vida de qualquer não consiste na abundância do que possui."  (Lucas 12 : 15). A falta de vigilância nesse particular poderá levar o cristão a violar o oitavo mandamento. 

Em Cristo,

Reginaldo Barbosa

Sta. Bárbara do Pará

14 comentários:

  1. Buscai em Primeiro Lugar o Reino de Deus e a Sua Justiça e Todas as Coisas vos Serão Acrescentadas.(Mt6:33) Este princípio de colocar Deus em 1º lugar está narrado em toda bíblia.Sucedeu, depois destas coisas, que Deus provou a Abraão, dizendo-lhe: Abraão! E este respondeu: Eis-me aqui.Prosseguiu Deus: Toma agora teu filho; o teu único filho, Isaque, a quem amas; vai à terra de Moriá, e oferece-o ali em holocausto sobre um dos montes que te hei de mostrar.Levantou-se, pois, Abraão de manhã cedo, albardou o seu jumento, e tomou consigo dois de seus moços e Isaque, seu filho; e, tendo cortado lenha para o holocausto, partiu para ir ao lugar que Deus lhe dissera.(Gn22:1-3) E, estendendo a mão, pegou no cutelo para imolar a seu filho.Mas o anjo do Senhor lhe bradou desde o céu, e disse: Abraão, Abraão! Ele respondeu: Eis-me aqui. Então disse o anjo: Não estendas a mão sobre o mancebo, e não lhe faças nada; porquanto "agora sei" que temes a Deus, visto que não me negaste teu filho, o teu único filho.(Gn22:10-12) "agora sei" significa que DEUS quer saber por experiência qual é o lugar que Ele ocupa em sua vida.Por mim mesmo jurei, diz o Senhor, porquanto fizeste isto, e não me negaste teu filho, o teu único filho,que deveras te abençoarei, e grandemente multiplicarei a tua descendência, como as estrelas do céu e como a areia que está na praia do mar; e a tua descendência possuirá a porta dos seus inimigos;e em tua descendência serão benditas todas as nações da terra; porquanto obedeceste à minha voz.(Gn22:16-18) Abraão colocava Deus em 1º lugar porque OBEDECIA,AMAVA e CONFIAVA em Deus. E Abel também trouxe dos primogênitos das suas ovelhas, e da sua gordura; e atentou o SENHOR para Abel e para a sua oferta (Gn4:4) (Hb11:4) Abel demonstrou Fé, ele separou o 1º lugar para Deus. Sabemos que a lei é boa, se alguém a usa de maneira adequada.
    Também sabemos que ela não é feita para os justos, mas para os transgressores e insubordinados, para os ímpios e pecadores, para os profanos e irreverentes, para os que matam pai e mãe, para os homicidas, para os que praticam imoralidade sexual e os homossexuais, para os seqüestradores, para os mentirosos e os que juram falsamente; e para todo aquele que se opõe à sã doutrina. Essa sã doutrina se vê no glorioso evangelho que me foi confiado, o evangelho do Deus bendito.(1Tm1:8-11) Porque, quando os gentios, que não têm lei, fazem naturalmente as coisas que são da lei, não tendo eles lei, para si mesmos são lei; Os quais mostram a obra da lei escrita em seus corações, testificando juntamente a sua consciência, e os seus pensamentos, quer acusando-os, quer defendendo-os (Romanos 2:14-15) (Hb8:10) CUIDADO COM FALSOS ENSINOS QUE SE LEVANTA PELA INTERNET ELES SÃO SEITAS PSEUDO-CRISTÃS http://www.ia-cs.com/2009/07/seitas-pseudo-cristas-comoidentifica.html E OUTROS TAMBÉM UMA NOVA COMUNIDADE CONHECIDOS COMO: "Sem Igreja" e "Sem Pastor" http://youtu.be/PcvBXEPOvpM https://www.youtube.com/watch?v=PcvBXEPOvpM https://www.youtube.com/watch?v=svTyDMMwpa8

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Veja todo o vídeo e deixe o seu comentário Cristo tinha uma religião? Frequentava igreja? Devolvia os dízimos? deixe o seu comentário ! https://youtu.be/wsvP3wQWtpY Veja todo o vídeo deixe o seu comentário Dízimo da Ordem do Sacerdócio de Melquisedeque https://youtu.be/gCdthr4v9RA

      Excluir
    2. Aff!!!!!

      Nem vale a pena perder tempo.

      Excluir
    3. Reginaldo Barbosa MOSTRAR OS ENGANOS E FALSOS ENSINOS DE SUPOSTOS PREGADORES VIRTUAIS NÃO É PERDA DE TEMPO. A VERDADE SÓ IMCOMODA A QUE TEM ALGO A ESCONDER. Quem não deve não teme ! CUIDADO COM FALSOS ENSINOS QUE SE LEVANTA PELA INTERNET ELES SÃO SEITAS PSEUDO-CRISTÃS http://www.ia-cs.com/2009/07/seitas-pseudo-cristas-comoidentifica.html E OUTROS TAMBÉM UMA NOVA COMUNIDADE CONHECIDOS COMO: "Sem Igreja" e "Sem Pastor" http://youtu.be/PcvBXEPOvpM https://www.youtube.com/watch?v=PcvBXEPOvpM https://www.youtube.com/watch?v=svTyDMMwpa8

      Excluir
  2. Parabéns Reginaldo, excelente trabalho!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Roberto Nogueira , mesmo depois disso aqui que o Reginaldo Barbosa , já confessou e assumiu que não congrega em Igreja e não contribui em dinheiro com Igreja e nem acredita nos Pastores que ensinam dízimo em dinheiro , e disse que "não precisa de Igrejas e nem de pastor mercenário, até porque Deus não habita mais em templos feito pelas mãos dos homens." e que ele pratica esmolas aos pobres e com as contribuições em dinheiro com os necessitados(At10:1-4) (Mt6:2-4).(1Jo3:17-18) (At11:29-30) Como pode alguém cumprir O primeiro de todos os mandamentos Amarás, pois, ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento, e de todas as tuas forças; este é o primeiro mandamento.(Mc12:29-30) Se não quer contribuir em dinheiro com a Igreja onde é a casa de Deus e o corpo de Cristo ? (1Tm3:15) (1Cor12:28) (Ef4:11) (Ef1:23) (Heb10.25) (Ap3:13) Como pode ser isso ? Isso é um bom trabalho ? MEU DEUS ! Se ainda aceita e concorda com isso sirva-se !

      Excluir
    2. O DEUS que os crentes fiéis seguem tem Igreja e Pastor (1Tm3:15) (Ef1:23) (Ef4:11) Não quero e não preciso de um "deus" de desigreijado e sem Pastor me dá Asco ! https://youtu.be/H7gf7RcUsxE https://youtu.be/e-oNmC7Jgws https://youtu.be/J4j0yppOJN4 https://youtu.be/nWvdjjaM3ts

      Excluir
    3. Com certeza que sim.

      Jesus é o pastor e Sua igreja são todos os que lhe obedecem.

      Quanto aos pastores que Ele deu para cuidar de Seu rebanho, não os deu como cargo ou profissão, mas como DOM. Todo aquele que tem o dom pastoral ama o rebanho sem se preocupar o quanto vai receber, pois faz o trabalho de forma voluntária.

      Aliás, o pastor como dom ocupa o quarto lugar na lista de dons ministeriais, pois primeiro é o apóstolo (Aquele que é enviado), em segundo o profeta (aquele que fala a Palavra de Deus sem distorção), em terceiro o evangelista (Aquele que leva o evangelho) em quarto o pastor (Aquele que guia).

      O falso pastor que é profissional age assim: "Comeis a gordura, e vos vestis da lã; matais o cevado; mas não apascentais as ovelhas." (Ezequiel 34 : 3)

      MAs o verdadeiro pastor que tem o dom age assim: "Apascentai o rebanho de Deus, que está entre vós, tendo cuidado dele, não por força, mas voluntariamente; nem por torpe ganância, mas de ânimo pronto;" (I Pedro 5 : 2)

      Excluir
    4. Reginaldo Barbosa , Como vc já confessou e assumiu que não congrega em Igreja e não contribui em dinheiro com Igreja e nem acredita nos Pastores que ensinam dízimo em dinheiro , e disse que "não precisa de Igrejas e nem de pastor mercenário, até porque Deus não habita mais em templos feito pelas mãos dos homens." entendi , continue praticando as suas esmolas aos pobres e com as contribuições em dinheiro com os necessitados(At10:1-4) (Mt6:2-4).(1Jo3:17-18) (At11:29-30) Ah ! NÃO ESQUEÇA DE PERGUNTAR ANTES NO LUGAR QUE VC FOR SE REUNIR com 2 OU 3 em nome do seu "deus" FOI FEITO POR MÃO DE QUEM ? rsrsrsrs DEPOIS QUE VOCÊ JÁ REVELOU , AGORA JÁ SEI O SEU VERDADEIRO CARÁTER !

      Excluir
  3. Bom dia Marcelo,

    Seja mais criativo nas suas colocações. Argumente com base bíblica, pois está repetitivo demais.

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O seu verdadeiro caráter e de seu seguidor Roberto Nogueira já foi exposto já sabemos muito bem o tipo de vcs.

      Excluir
  4. Caro Marcelo , a paz de Cristo!Concordo com tudo que está neste post.Igreja somos nós, pastoreado é um dom, tem que ser de graça!Dízimo é lei, encerrada em Jesus!Não existe mais necessidade de se congregar sob quatro paredes!Jesus disse que a adoração é em Espírito e em verdade!Marcelo dependa única e exclusivamente de Jesus, e não de um pastor que depende do salário de instituição!

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. deveria resumir o seu texto decorado "não precisamos de pastor e nem igrejas"

      Excluir